Rio Paiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Paiva
Passadiço do Paiva (10).JPG

Vista sobre os Passadiços do Paiva

Localização
País
Localização
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
111.5 km
Hidrografia
Tipo
Rio, área protegida da rede Natura 2000 (d), Sítio de importância comunitáriaVisualizar e editar dados no Wikidata
Bacia hidrográfica
Área da bacia
77 km²
Nascente
Afluentes
principais
Foz

O rio Paiva é um curso de água que nasce na serra de Leomil, mais especificamente na freguesia de Pera Velha pertencente ao concelho de Moimenta da Beira e desagua no Douro em Castelo de Paiva, apanhando a freguesia de Fornos pela margem esquerda. Pela margem direita, encontra a freguesia de Souselo, Cinfães.

Foi considerado não há alguns anos o rio menos poluído da Europa, e ainda hoje é local de desova de trutas.[carece de fontes?]

Está classificado como Sítio de Importância Comunitária na Rede Natura 2000.

Ameaças ao rio Paiva[editar | editar código-fonte]

A principal ameaça para além do homem, provém da invasão pelas acácias e da instalação frequente de povoamentos monoculturais de eucaliptos e de pinheiro-bravo.

Outras ameaças são a implementação de pequenos e grandes empreendimentos hidroeléctricos; casos pontuais de extracção e lavagem de inertes, fogos, construção de açudes, construções clandestinas, implantação de aviários e pisciculturas, florestação de terras agrícolas, sobretudo lameiros, cervunais e malhadais.

Arouca Geopark[editar | editar código-fonte]

Um dos principais pontos de passagem deste curso de água é o concelho de Arouca, onde foram construídos os Passadiços do Paiva, a uma hora de distância do Porto, que permitem, por momentos, sairmos da realidade do espaço urbano da cidade e entrar num cenário saído de um filme,[1] sendo um passadiço de madeira com cerca de 8,7 quilómetros, estando prevista a construção de mais 12 quilómetros,[2] localizado no território da União das Freguesias de Canelas e Espiunca, no concelho[3] de Arouca[4] (município da Área Metropolitana do Porto[5] e da Região do Norte[6] de Portugal, integrado no extremo nordeste do distrito de Aveiro[7]) construído ao longo da margem esquerda do rio Paiva, na bacia hidrográfica do rio Douro,[8] entre a ponte de Espiunca e a praia fluvial do Areinho, abarcando assim a área conhecida como a "Garganta do Paiva", sendo um dos elementos principais do Arouca Geopark.

Os Passadiços do Paiva, a 4 de Setembro de 2016, foram eleitos como projeto turístico mais inovador da Europa, na edição de 2016 dos World Travel Awards[9], na categoria de Projeto de Desenvolvimento Turístico Líder na Europa, considerados os Óscars do Turismo a nível mundial.[10]

S.O.S. Rio Paiva[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2010 foi constituída a S.O.S. Rio Paiva - Associação de Defesa do Vale do Paiva, uma Organização Não-Governamental de âmbito regional, que tem como objectivo a promoção sócio-cultural e preservação ambiental do Vale do Rio Paiva, através do fomento de práticas ecológicas sustentáveis e de conservação do património histórico-cultural e ambiental. A Associação tem actualmente mais de 500 associados e abrange 10 municípios ribeirinhos do Paiva: Castelo de Paiva, Arouca, Cinfães, Castro Daire, São Pedro do Sul, Viseu, Vila Nova de Paiva, Sátão, Sernancelhe e Moimenta da Beira.

Afluentes[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rio Paiva
Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.