Rio Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o rio de Minas Gerais, veja Rio Pará (Minas Gerais).
Rio Pará
O rio Pará liga as bacias do Amazonas e Tocantins-Araguaia, ao sul da ilha de Marajó.
País(es)  Brasil

O rio Pará é um curso de água, um braço do rio Amazonas, do qual desenvolve a sua foz em estuário. Situado no estado homônimo, no Brasil, este rio apresenta águas barrentas e turvas, rico em sedimentos originário do seu rio fonte. Genericamente, este rio vem a ser o limite natural, ao sul, sudeste e leste, da ilha de Marajó.

Segundo Aziz Nacib Ab'Sáber, "convém estabelecer uma rápida visão do estuário do rio Pará, entre a região de Belém e a costa sul sudeste da ilha de Marajó. Trata-se de um contínuo estuarino que se inicia na Baía das Bocas (delta de Boiaçu/Breves), prossegue pelo chamado Rio Pará, área em que recebe toda a massa de águas do rio Tocantins e inclui uma pequena baía frente a Belém, à altura do emboque dos rios Guajará/Moju/Acará/Capim, passando à alongada boca do complexo estuarino terminal, sob o nome de baía de Marajó.

Da Baía das bocas até a frente da Baía de Marajó, decorrem 300 quilômetros de extensão. O primeiro trecho, que vai da boca do delta de Breves até a Ponta do Flexal, na embocadura do Tocantins, se estende por 125 quilômetros. E daí até um ponto intermediário frontal da Baía de Marajó, existe um eixo de 185 quilômetros.

O setor mais homogêneo do fundo do estuário do rio Pará é o que se estende da Baía das Bocas até as proximidades de Curralinho; daí por diante, até a região que antecede a foz do rio Tocantins, existem estrangulamentos forçados pelo dédalo de ilhas e canais de São Sebastião da Boa Vista, onde o estuário, que vinha conservando de 10 a 11 km, reduz-se a pouco mais de 3 km. Para se avaliar o acréscimo de águas inserido pelo Tocantins e do rio Meruú-Açú no estuário do rio Pará e baía de Marajó, é importante registrar que, na foz, o rio apresenta mais de 23 quilômetros de largura." [1]

Estuário do rio Pará (linha laranja), iniciando nas "bocas" do delta de Breves, passando pela Ponta do Flexal (na embocadura do Tocantins) e encerrando em um ponto intermediário frontal da Baía de Marajó. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Ab'Sáber, Aziz Nacib (2006). Brasil, paisagens de exceção. São Paulo: Ateliê Editorial. 89 páginas