Rio Uraricoera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rio Uraricoera
Comprimento 870 km
Foz Confluência com o rio Tacutu, formando o rio Branco
Área da bacia 52.184 km²
Afluentes
principais
Rio Auaris, rio Amajari, rio Parimé
País(es)  Brasil

O rio Uraricoera é o mais extenso rio brasileiro do estado de Roraima,[1] com cerca de 870 quilômetros. A sua confluência com o rio Tacutu forma o rio Branco, principal rio do estado.[2]

Uraricoera deriva de dialetos indígenas locais, onde urari representa um veneno de efeito paralisante usado por certas tribos e coera significa velho. Com efeito, "rio do Veneno Velho".[1]

Curso do rio[editar | editar código-fonte]

Extremamente encachoeirado, o Uraricoera tem sua nascente na Serra de Pacaraima, divisor de águas entre as bacias hidrográficas amazônica e do Orinoco. Esta região faz parte da reserva indígena Yanomami. Em seu médio curso divide-se em braços originando a enorme ilha de Maracá, onde foi instalada uma estação ecológica do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA);[1] pouco após, o rio é cruzado pela Ponte Sebastião Diniz, na BR-174.

Aimberê Freitas (p. 23) ressalta que "alguns técnicos defendem a ideia de que o Uraricoera é, na verdade, [um prolongamento do] o rio Branco com outro nome". Aceitando-se esta proposta, o sistema Uraricoera-Branco totalizaria 1.430 quilômetros de extensão.[1]

Referências

  1. a b c d FREITAS, Aimberê (1998). Estudos Sociais - RORAIMA. Geografia e História 1 ed. São Paulo: Corprint Gráfica e Editora Ltda. p. 23. 83 páginas 
  2. Visite o Brasil. Hidrografia de Roraima. Arquivado em 4 de dezembro de 2014, no Wayback Machine. Acesso em 26 fev 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.