River Raid

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
River Raid
Produtora(s) Activision
Editora(s) Activision
Designer(s) Carol Shaw
Plataforma(s) Atari 2600, Atari 5200, Atari 8-bit, ColecoVision, Commodore 64, Intellivision, Sega SG-1000
Data(s) de lançamento Dezembro de 1982
Gênero(s) Shoot 'em up
Modos de jogo 1-2 jogadores

River Raid é um jogo de Video game para o console Atari 2600, criado por Carol Shaw, da empresa Activision, em 1982. É considerado um clássico e um dos jogos mais populares de seu tempo. A versão do jogo para Atari 2600 vendeu um milhão de cópias, sem contar cópias não autorizadas e cartuchos com vários jogos. Assim, ele é um dos 13 jogos que fazem parte do seleto grupo que vendeu ao menos 1 milhão de cópias no Atari 2600.

O Jogo[editar | editar código-fonte]

O jogador (ou até 2 jogadores, em turnos alternados) controla um avião que sobrevoa um rio. Ao contrário dos jogos de tiro até então, onde todo o jogo se passava em uma tela fixa, em River Raid a aeronave move-se verticalmente ao longo do rio, repleto de navios, helicópteros e aviões inimigos, com nível de dificuldade progressivo. A velocidade do avião é regulada pelo jogador. Outra inovação foi a introdução de um tanque de combustível limitado, que obriga o jogador a reabastecer o avião nos postos espalhados pelo rio.

Inovações[editar | editar código-fonte]

Além de ser considerado o pai do Checkpoint, River Raid foi um marco de inovação para a época. O jogo tem diferentes velocidades para controle do avião, e é possível diminuir e acelerar a velocidade, colidir com vários objetos diferentes e abastecer. Parece rudimentar hoje em dia, mas eram muitos elementos e recursos se comparados aos outros jogos da época, em que o jogador era apenas um pontinho na tela. Além do avião amarelo, havia barcos parados, alguns que se movimentavam aleatoriamente, helicópteros e o avião kamikaze, que cruzava a tela rapidamente.

Ainda é desconhecido alguém que tenha chegado ao final do jogo.[1] Apesar do final de River Raid ser considerado mito pelos jogadores, ele existe. Ao alcançar a pontuação de 999.990, o fim é apresentado: O avião literalmente explode sozinho.

Seqüências e remakes[editar | editar código-fonte]

River Raid foi portado para todos os sistemas presentes na década de 80, como Atari 2600, Windows e MSX. Também foram lançadas versões diferentes para Colecovision, Atari 5200, Commodore 64 e Intellivision. Atualmente há inúmeros remakes e versões não autorizadas presentes nas lojas de aplicativos para Android e iOS.

Em 1988, a Activision lançou River Raid II, sequência programa por David Lubar. Com jogabilidade similar, o novo River Raid tinha gráficos melhores, cenários diferentes e dificuldade ainda maior.

Receptividade e Prêmios[editar | editar código-fonte]

River Raid foi eleito o melhor jogo do ano por diversas revistas. Em 1983 pela InfoWorld, foi chamado de o “videojogo” mais desafiador.[2] Em 1984, a revista The Desert News pontuou: “O mais jogável e divertido game de guerra”.[3] Neste mesmo ano, o jogo recebeu o prêmio de "melhor game de ação do ano"1984"[4]:42 e um certificado de mérito na categoria "1984 Best Computer Action Game" no 5o Arkie Awards[5]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

  • Por conta da representação do cenário de guerra, que também foi demonstrado na capa do game, e por se basear em conflitos reais como a Segunda Guerra Mundial, River Raid foi o primeiro jogo a ser banido na Alemanha. O órgão federal de censura do país o classificou como um jogo que “conduz [as crianças] à raiva, a agressividade e ao pensamento errático”. Ele só viria a ser liberado no ano de 2002.[6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Post sobre final do River Raid
  2. Mace, Scott (7 de novembro de 1983). «Electronic Antics». InfoWorld. pp. 73–74. Consultado em 15 de fevereiro de 2015 
  3. Holyoak, Craig (30 de maio de 1984). «Here are ColecoVision's jewels». Deseret News. pp. 4 WV. Consultado em 10 de janeiro de 2015 
  4. Kunkel, Bill; Katz, Arnie (janeiro de 1984). «Arcade Alley: The Arcade Awards, Part 1». Reese Communications. Video. 7 (10): 40–42. ISSN 0147-8907 
  5. Kunkel, Bill; Katz, Arnie (fevereiro de 1984). «Arcade Alley: The 1984 Arcade Awards, Part II». Reese Communications. Video. 7 (11): 28–29. ISSN 0147-8907 
  6. Wolf, Mark J. P. (1 de janeiro de 2012). Encyclopedia of Video Games: A-L. [S.l.]: ABC-CLIO. ISBN 9780313379369 


Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.