Robert E. Sherwood

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Robert E. Sherwood
Nome completo Robert Emmet Sherwood
Nascimento 4 de abril de 1896
New Rochelle, Nova Iorque,
 Estados Unidos
Morte 4 de novembro de 1944 (48 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque,
 Estados Unidos
Ocupação Roteirista
Dramaturgo
Cônjuge Mary Brandon (1922–1934)
Madeline Hurlock (1935–1955)
Atividade 1926–1955
Oscares da Academia
Melhor Roteiro Adaptado
1947 – The Best Years of Our Lives
IMDb: (inglês) (português)

Robert Emmet Sherwood (New Rochelle, 4 de abril de 1896Nova Iorque, 14 de novembro de 1955) foi um dramaturgo e roteirista norte-americano, vencedor de três prêmios Pulitzer.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Robert Emmet Sherwood foi educado na Milton Academy e na Universidade de Harvard. Além de escrever peças, também trabalhou como roteirista, a partir de 1926, e vários trabalhos seus foram adaptados para o cinema.

Seu primeiro trabalho, “The Road to Rome”, em 1927, foi recebido com grande sucesso. A insensatez da guerra foi tema constante nos trabalhos de Sherwood, incluindo seu “Idiot's Delight”, de 1936, com o qual ganhou o Prêmio Pulitzer pela primeira vez.

O segundo Pulitzer recebeu com “Abe Lincoln in Illinois”, em 1938, e em 1940, com “There Shall Be No Night”, que conta a história da invasão russa à Finlândia, recebeu o terceiro Pulitzer.

Sherwood faleceu de ataque cardíaco em 1955.

Obras principais[editar | editar código-fonte]

  • “The Road to Rome” (1927) - (A Estrada para Roma)
  • “The Love Nest” (1927)
  • “The Queen's Husband” (1928)
  • “Waterloo Bridge” (1930) – (A Ponte de Waterloo).
  • “This is New York” (1930)
  • “Reunion in Vienna” (1931)
  • “Acropolis” (1933)
  • “The Petrified Forest” (1935)
  • "Tovarich” (1935)
  • “Idiot's Delight” (1936) – recebeu o Prêmio Pulitzer
  • “Abe Lincoln in Illinois” (1938) – recebeu o Prêmio Pulitzer – Drama.
  • “There Shall Be No Night” (1940) – recebeu o Prêmio Pulitzer - Drama
  • “The Rugged Path” (1945)
  • “Small War on Murray Hill”

Sherwood no cinema[editar | editar código-fonte]

A maioria das peças de Sherwood foi adaptada para o cinema, em parceria com outros roteiristas, além de ter colaborado em diversos roteiros adaptados.

Sherwood no Brasil[editar | editar código-fonte]

A peça “Waterloo Bridge” (A Ponte de Waterloo), de1930, teve duas adaptações para telenovela no Brasil, em 1959 e em 1967, na TV Tupi, ambas de Geraldo Vietri.

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.