Roberta Cirne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Roberta Cirne (Recife) é uma quadrinista brasileira. Formada em Artes Plásticas, trabalha com ilustração desde 1992. Sua estreia nos quadrinhos foi em 2006 com a obra Passos Perdidos, História Desenhada: A Presença Judaica em Pernambuco no Século XX, ilustrada por Roberta e Danielle Jaimes a partir de roteiro de Amaro Braga que adaptava o livro Passos Perdidos, História Recuperada: A Presença Judaica em Pernambuco, de Tânia Kaufman. Por seu trabalho nesta HQ, Roberta ganhou no ano seguinte o 19º Troféu HQ Mix na categoria "Grande contribuição". Roberta Cirne ainda publicou em parceria com Danielle e Amaro as HQs Heróis da Restauração Pernambucana (2008) e AfroHQ – História e cultura afro-brasileira e africana em quadrinhos (2010).[1][2][3][4][5]

Em 2017, Roberta Cirne criou o site Sombras do Recife, no qual passou a publicar HQs de terror inspiradas no folclore e tradição oral de Recife, sua cidade natal, trazendo personagens míticos como o Boca de Ouro, o Papa-figo e a Emparedada da Rua Nova. Um primeiro volume impresso da série, com duas histórias, foi lançado no ano seguinte financiado por crowdfunding através do site Catarse.[6][7][8][9]

Em 2019, Roberta ganhou o Prêmio Angelo Agostini na categoria "melhor lançamento" por seu trabalho na HQ Gibi de Menininha.[10]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.