Roberto Cavalo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberto Cavalo
Informações pessoais
Nome completo Roberto Fernando Schneiger
Data de nasc. 13 de abril de 1963 (55 anos)
Local de nasc. Carazinho (RS),  Brasil
Informações profissionais
Equipa atual Brasil Oeste
Posição ex-Volante
Função Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1985–1988
1989–1992
1993–1994
1994–1995
1995–1997
1997
Brasil Atlético Paranaense
Brasil Criciúma
Brasil Vitória
Brasil Botafogo
Brasil Sport
Brasil Avaí
39 (8)
159 (53)
67 (15)
24 (5)
45 (10)
13 (4)
Times/Equipas que treinou
1998–1999
1999
2000
2000–2001
2002
2002
2003
2003–2004
2004
2004
2005
2005
2005–2006
2006
2006–2007
2007
2007
2007
2008
2008
2008
2009
2009
2009
2010
2010–2011
2011–2012
2012
2012
2012–2013
2013
2014
2014–2015
2015–2016
2017–
Brasil Avaí
Brasil Anapolina
Brasil Avaí
Brasil Joinville
Brasil Caxias
Brasil União São João
Brasil Chapecoense
Brasil Gama
Brasil Avaí
Brasil União Barbarense
Brasil Paysandu
Brasil Náutico
Brasil Santo André
Brasil Náutico
Brasil CRB
Brasil Marília
Brasil Gama
Brasil Criciúma
Brasil América de Natal
Brasil Gama
Brasil Bahia
Brasil Confiança
Brasil Paraná
Brasil Mixto
Brasil Vila Nova
Brasil Paraná
Brasil Vila Nova
Brasil Oeste
Brasil Bragantino
Brasil Grêmio Barueri
Brasil Oeste
Brasil Atlético Sorocaba
Brasil Oeste
Brasil Criciúma
Brasil Oeste

Roberto Fernando Schneiger, mais conhecido como Roberto Cavalo, (Carazinho, 13 de abril de 1963) é um treinador e ex-futebolista brasileiro, que atuava como volante. Atualmente, comanda o Oeste.

Roberto Cavalo era um jogador que tinha como principais qualidades o bom poder de marcação e os chutes de fora área. Também era um exímio cobrador de faltas.

Jogador[editar | editar código-fonte]

Roberto Cavalo era volante. Jogou por Atlético Paranaense, Criciúma, Vitória e Botafogo, clube onde foi vice-campeão da Recopa Sul-Americana de 1994.

Como jogador, Roberto Cavalo atuou também por América e Bahia. Ele brilhou no Vitória, equipe na qual foi vice-campeão brasileiro de 1993 (perdeu para o Palmeiras na final). Também conquistou o título de Campeão da Copa do Brasil de 1991 pelo Criciúma, tornando-se até hoje ídolo daquela torcida.

Treinador[editar | editar código-fonte]

Roberto Cavalo decidiu por ser treinador em 1997. Trabalhou no Avaí, onde foi campeão da Série C e campeão catarinense. Já em 2004, fez brilhante campanha na Campeonato Brasileiro da Série B, tendo sido um dos quatro finalistas (terminou num honroso terceiro lugar).

Em 2007, assumiu o Gama, levando-o às oitavas-de-final da Copa do Brasil. Em meio a uma crise, deixa o Gama em setembro do mesmo ano para assumir o Criciúma, sendo no começo de 2008 técnico do América de Natal.[1] No dia 25 de maio, retornou ao Gama, permanecendo por dois meses no clube, pedindo demissão ao não chegar a um acordo com a diretoria para um aumento salarial.[2] Ainda em 2008, assumiu o Bahia, em substituição ao técnico Arturzinho que foi demitido anteriormente.[3] e estava dirigindo o Confiança.

No dia 11 de setembro de 2009, foi anunciado como novo comandante do Paraná.[4]. No dia 18 de dezembro de 2009, foi anunciado como novo técnico do Mixto para a temporada seguinte.[5]Treinou o Vila Nova, disputando a Série B. Novamente, Cavalo voltou ao Paraná, substituindo Marcelo Oliveira. Em 2011, treina o Vila Nova e faz péssima campanha derrubando o time para o Série C e, consequentemente, é demitido. Em 2012, assumiu o Oeste.[6]. Ainda nesse, ano treinou o Grêmio Barueri e, em fevereiro de 2013, acertou seu retorno ao Oeste. No mesmo ano de 2013, Roberto Cavalo deixa o comando do Oeste. Em 2014, foi anunciado como novo treinador do Atlético Sorocaba, não durando muito no cargo e sendo demitido no mesmo ano. No mesmo ano de 2014, acertou sua terceira passagem ao Oeste para disputar o restante do Brasileirão da Série B de 2014 e ficando em 2015 até outubro, Roberto deixa o Oeste em 14º lugar no Brasileirão da Série B.

Em 10 de outubro de 2015, o Criciúma anunciava Roberto Cavalo como seu novo comandante para o restante do Brasileirão da Série B, onde o Tigre encontrava-se em 15º lugar. Roberto rescindiu com o Oeste e acertou com o Criciúma.[7] Em novembro de 2016, foi confirmada sua saída do clube.[8]

No dia 11 de fevereiro de 2017, o Oeste confirmou a volta do treinador para a sequência do Campeonato Paulista - Série A2, após a demissão de Vílson Taddei.[9]

Conseguiu tirar o Oeste das últimas colocações do Campeonato Paulista - Série A2 e salvar o time do descenso.

No Campeonato Brasileiro da Série B, conseguiu excelentes resultados e lutou até a última rodada para subir o time para o Campeonato Brasileiro da Série A 2018, terminando na 6ª colocação.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Raffaele Graniti
Cuca
Humberto Ramos
Marcos Paquetá
Técnico do Avaí
1998–1999
2000–2001
2001
2004
Sucedido por
Milioli
Humberto Ramos
Flamarion Nunes
José Galli Neto
Precedido por
Sérgio Soares
Marcelo Oliveira
Técnico do Paraná
2009
2010–2011
Sucedido por
Marcelo Oliveira
Ricardo Pinto
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.