Robinson Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Robinson Faria
57.º Governador do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2015
até atualidade
Vice-governador Fábio Dantas
Antecessor(a) Rosalba Ciarlini
15.º Vice-governador do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2011
a 1 de janeiro de 2015
Governadora Rosalba Ciarlini
Antecessor(a) Iberê Ferreira
Sucessor(a) Fábio Dantas
Secretário Estadual de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2011
a novembro de 2011
Governadora Rosalba Ciarlini
Antecessor(a) Lázaro Mangabeira
Sucessor(a) Gilberto Jales
Presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2003
a 31 de janeiro de 2010
Antecessor(a) Álvaro Dias
Sucessor(a) Márcia Maia
Deputado estadual do Rio Grande do Norte
Período 1987 a 2010
Dados pessoais
Nascimento 12 de abril de 1959 (59 anos)
Natal, RN
Primeira-dama Julianne Faria
Partido PMDB (1980-1988)
PFL (1988-2004)
PMN (2004-2011)
PSD (2011-presente)
Profissão Empresário

Robinson Mesquita de Faria (Natal, 12 de abril de 1959) é um advogado e político brasileiro. É o atual governador do Rio Grande do Norte.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Robinson Mesquita de Faria, nasceu em Natal, estado do Rio Grande do Norte em 12 de abril de 1959. Filho de Osmundo Faria e Jane Mesquita. É graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

É casado com a advogada Julianne Faria e tem seis filhos, dentre eles o deputado federal Fábio Faria.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Deputado estadual[editar | editar código-fonte]

Robinson disputou um cargo eletivo pela primeira vez em em 1986, elegendo-se deputado estadual no Rio Grande do Norte, sendo então, o deputado mais jovem da Assembleia Legislativa na época com 27 anos. Foi reeleito seis vezes, ocupando os cargos de Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, por duas vezes, Primeiro Secretário, Vice-Presidente e Presidente da Assembleia Legislativa por quatro biênios (2003-2006/2007-2010). Na sua gestão em 8 de outubro de 2003 foi criada a TV Assembleia, primeira TV legislativa do Norte-Nordeste do Brasil.

Vice-governador do Rio Grande do Norte (2011-2014)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2010, elegeu-se Vice-governador potiguar, na chapa encabeçada por Rosalba Ciarlini.

Em 2011 acumulou o cargo de vice-governador e titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos durante dez meses, quando ao fim da gestão anunciou a ida ao bloco de Oposição ao Governo de Rosalba Ciarlini do qual foi vice-governador, e que encerrou o mandato com uma aprovação de apenas 7%, a menor do Brasil. .[1][2]

Governador do Rio Grande do Norte (2015-2018)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2014, elegeu-se governador potiguar, derrotando, no segundo turno, o político e candidato Henrique Eduardo Alves. Com 100% das urnas apuradas, Robinson Faria atingiu 54,42% dos votos, contra 45,58% do adversário.

Assumiu o governo do estado do Rio Grande do Norte em 1 de janeiro de 2015 em Sessão Solene da Assembleia Legislativa realizada no Centro de Convenções de Natal, logo em seguida recebeu o cargo das mãos de Rosalba Ciarlini, do qual era vice-governador e opositor.

Na sua posse Robinson prometeu diálogo e união:

Recorde de violência no Estado[editar | editar código-fonte]

Em 2016 o estado do Rio Grande do Norte foi 2º mais letal do país (atrás apenas de Sergipe), com 1.955 mortes, equivalente a 57 para cada 100 mil habitantes. Em 2017, registrou um novo recorde: 2.408 assassinatos, com média de 68.7, a mais alta da história do estado. [3]

Intervenção Militar Federal[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2016, foram eviadas tropas federais para conter a crescente violência no estado, quando ocorreram ataques a ônibus e a prédios públicos.

Em janeiro de 2017, novo envio de forças militares federais para conter protestos em presídios.

No fim de 2017 chegaram a ocorrer 75 mortes no intervalo de apenas 15 dias, o que provocou pela 3ª vez, em menos de 2 anos, o envio de tropas militares federais para conter a violência no Estado.

Houve ainda 22 dias de greve da Polícia Militar por extensos atrasos no pagamento dos salários. [4]

Referências

  1. «Tribuna do Norte». Tribunadonorte.com.br. 1 de abril de 2011 
  2. «Tribuna do Norte». Blog.tribunadonorte.com.br. 21 de outubro de 2011 
  3. «PMs aceitam proposta do governo do RN para pôr fim à paralisação». Folha de S.Paulo. 9 de janeiro de 2018 
  4. «PMs aceitam proposta do governo do RN para pôr fim à paralisação». Folha de S.Paulo. 9 de janeiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Iberê Ferreira de Sousa
Vice-governador do Rio Grande do Norte
2011 - 2015
Sucedido por
Fábio Dantas
Precedido por
Rosalba Ciarlini
Governador do Rio Grande do Norte
2015 — presente
Sucedido por
Incumbente


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.