Robinson Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Robinson Faria
55.º Governador do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2015
até 1 de janeiro de 2019
Vice-governador Fábio Dantas
Antecessor(a) Rosalba Ciarlini
Sucessor(a) Fátima Bezerra
27.º Vice-governador do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2011
até 1 de janeiro de 2015
Governadora Rosalba Ciarlini
Antecessor(a) Iberê Ferreira
Sucessor(a) Fábio Dantas
Secretário Estadual de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 2011
até novembro de 2011
Governadora Rosalba Ciarlini
Antecessor(a) Lázaro Mangabeira
Sucessor(a) Gilberto Jales
Presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2003
até 31 de janeiro de 2010
Antecessor(a) Álvaro Dias
Sucessor(a) Márcia Maia
Deputado estadual do Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 1987
até 1 de janeiro de 2011
Dados pessoais
Nome completo Robinson Mesquita de Faria
Nascimento 12 de abril de 1959 (62 anos)
Natal, Rio Grande do Norte
Nacionalidade Brasileiro
Filhos Fábio Faria
Parentesco Patrícia Abravanel (nora)
Partido PMDB (1980-1993)
PFL (1993-2004)
PMN (2004-2011)
PSD (2011-presente)
Profissão Empresário

Robinson Mesquita de Faria (Natal, 12 de abril de 1959) é um advogado e político brasileiro. Foi o 55.º Governador do Rio Grande do Norte entre 2015 e 2018.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Robinson Mesquita de Faria, nasceu em Natal, estado do Rio Grande do Norte em 12 de abril de 1959. Filho de Osmundo Faria e Jane Mesquita. É graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Foi casado com Nina Salustino com quem teve três filhos, dentre eles o deputado federal Fábio Faria. Casou-se novamente com a advogada Julianne Faria e teve mais três filhos.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Deputado estadual[editar | editar código-fonte]

Robinson disputou um cargo eletivo pela primeira vez em em 1986, elegendo-se deputado estadual no Rio Grande do Norte, sendo então, o deputado mais jovem da Assembleia Legislativa na época com 27 anos. Foi reeleito seis vezes, ocupando os cargos de Presidente da Comissão de Constituição e Justiça, por duas vezes, Primeiro Secretário, Vice-Presidente e Presidente da Assembleia Legislativa por quatro biênios (2003-2006/2007-2010). Na sua gestão em 8 de outubro de 2003 foi criada a TV Assembleia, primeira TV legislativa do Norte-Nordeste do Brasil.

Vice-governador do Rio Grande do Norte (2011-2014)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2010, elegeu-se vice-governador potiguar, na chapa encabeçada por Rosalba Ciarlini.

Em 2010 acumulou o cargo de vice-governador e titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos durante dez meses, quando ao fim da gestão anunciou a ida ao bloco de Oposição ao Governo de Rosalba Ciarlini do qual foi vice-governador, e que encerrou o mandato com uma aprovação de apenas 7%, a menor do Brasil. .[1][2]

Governador do Rio Grande do Norte (2015-2018)[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2014, elegeu-se governador potiguar, derrotando, no segundo turno, o político e candidato Henrique Eduardo Alves. Com 100% das urnas apuradas, Robinson Faria atingiu 54,42% dos votos, contra 45,58% do adversário.

Assumiu o governo do estado do Rio Grande do Norte em 1 de janeiro de 2015 em Sessão Solene da Assembleia Legislativa realizada no Centro de Convenções de Natal, logo em seguida recebeu o cargo das mãos de Rosalba Ciarlini, do qual era vice-governador e opositor.

Na sua posse Robinson prometeu diálogo e união:

Recorde de violência no Estado[editar | editar código-fonte]

Em 2016 o estado do Rio Grande do Norte foi 2º mais letal do país (atrás apenas de Sergipe), com 1.955 mortes, equivalente a 57 para cada 100 mil habitantes. Em 2017, registrou um novo recorde: 2.408 assassinatos, com média de 68.7, a mais alta da história do estado.[3]

Intervenção Militar Federal[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2016, foram eviadas tropas federais para conter a crescente violência no estado, quando ocorreram ataques a ônibus e a prédios públicos.

Em janeiro de 2017, novo envio de forças militares federais para conter protestos em presídios.

No fim de 2017 chegaram a ocorrer 75 mortes no intervalo de apenas 15 dias, o que provocou pela 3ª vez, em menos de 2 anos, o envio de tropas militares federais para conter a violência no Estado.

Houve ainda 22 dias de greve da Polícia Militar por extensos atrasos no pagamento dos salários.[3]

Rompimento do vice-governador[editar | editar código-fonte]

Em março de 2018 o então vice-governador Fábio Dantas anunciou rompimento com o governador Robinson, filiando-se ao PSB e anunciando pré-candidatura a sucessão do governo estadual. Fábio anunciou que permaneceria até o fim do mandato como vice.

O PSB optou por apoiar a candidatura de Robinson em 2018, que escolheu como candidato a vice o administrador Tião Couto do PSDB.

Candidatura a reeleição em 2018[editar | editar código-fonte]

Nas eleições estaduais no Rio Grande do Norte em 2018, Robinson Faria candidatou-se a reeleição pelo PSD, tendo como vice o administrador Tião Couto, na coligação 'Trabalho e Superação' composta por PRB, PTB, PPS, PMB, PTC, PSB, PRP, PSDB, PSD, AVANTE e PROS. Em meio a crises de segurança pública e atrasos nos pagamentos dos servidores públicos, sofreu duras críticas durante a eleição embaladas pela reprovação do governo que, segundo o IBOPE, atingiu 57% em setembro, provocando desgaste de sua imagem. Foi derrotado ainda no primeiro turno, obtendo 192.037 votos válidos (11,85%), ficando em terceiro lugar atrás do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) e da senadora Fátima Bezerra (PT), que se classificaram para o segundo turno. O governador derrotado declarou neutralidade na disputa de segundo turno para o Governo do Estado, já na disputa presidencial declarou, desde o primeiro turno, apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro.

Referências

  1. «Tribuna do Norte». Tribunadonorte.com.br. 1 de abril de 2011 
  2. «Tribuna do Norte». Blog.tribunadonorte.com.br. 21 de outubro de 2011. Arquivado do original em 19 de agosto de 2014 
  3. a b «PMs aceitam proposta do governo do RN para pôr fim à paralisação». Folha de S.Paulo. 9 de janeiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Iberê Ferreira de Sousa
Vice-governador do Rio Grande do Norte
2011 - 2015
Sucedido por
Fábio Dantas
Precedido por
Rosalba Ciarlini
Governador do Rio Grande do Norte
2015 - 2019
Sucedido por
Fátima Bezerra
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.