Roda de Fogo (1986)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Roda de Fogo
Roda de Fogo (1986)
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50 minutos
Criador(es) Lauro César Muniz
Marcílio Moraes
Elenco
País de origem Brasil
Idioma original português
Episódios 179
Produção
Diretor(es) Dennis Carvalho
Produtor(es) executivo(s) Moacyr Deriquém
Tema de abertura "Pra Começar", Marina Lima
Composto por Marina Lima
Antonio Cícero
Tema de encerramento "Pra Começar", Marina Lima
Empresa(s) produtora(s) TV Globo
Localização Rio de Janeiro, RJ
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Formato de áudio monaural
Transmissão original 25 de agosto de 1986 – 21 de março de 1987
Cronologia
Selva de Pedra
O Outro

Roda de Fogo é uma telenovela brasileira produzida pela TV Globo e exibida originalmente de 25 de agosto de 1986 a 21 de março de 1987 em 179 capítulos.[1] [2] Substituiu Selva de Pedra e foi substituída por O Outro, sendo a 36.ª "novela das oito" da emissora.

Escrita por Lauro César Muniz e Marcílio Moraes, teve direção de Dennis Carvalho e Ricardo Waddington. A direção geral foi de Dennis Carvalho, com direção executiva de Paulo Ubiratan, sob a supervisão de Daniel Filho.[1]

Contou com as atuações de Tarcísio Meira, Bruna Lombardi, Renata Sorrah, Cecil Thiré, Eva Wilma, Osmar Prado e Felipe Camargo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Renato Villar é um rico empresário, ambicioso e sem escrúpulos, que faz qualquer coisa pelo poder. Após enviar dólares para o exterior e participar do assassinato do seu amigo Celso Rezende, que punha em risco sua reputação, Renato descobre um dossiê de irregularidades numa de suas empresas. Tenta resolver o problema junto com o advogado Mário Liberato, aproximando-se de Lúcia Brandão, uma juíza incorruptível, designada para julgar seu caso, com a intenção de suborná-la. Mas os dois acabam se apaixonando e Lúcia, que sempre fora uma mulher íntegra e honesta, passa a viver o conflito de julgar o homem a quem ama.

O diagnóstico de um tumor cerebral faz com que ocorra uma reviravolta na vida de Renato. Modifica radicalmente o seu comportamento e abandona a esposa Carolina, para ficar com Lúcia. Renato também começa a destinar parte dos lucros de seu grupo empresarial para uma instituição do terceiro setor, impulsionando maquiavelicamente a eliminação de todos os líderes que compunham o alto escalão do grupo financeiro, que o traíram. A partir daí, têm início uma história intensa de assassinatos e interesses particulares e uma permanente luta pelo poder, envolvendo pessoas até mesmo do regime militar. Outro objetivo na vida de Renato é conquistar o amor do filho Pedro, que nasceu de uma relação do empresário com a ex-guerrilheira Maura Garcez, que sofreu com a repressão do regime militar na juventude.

Trama dos Assassinatos[editar | editar código-fonte]

No capítulo 137 (em 30/01/1987), Mário e Carolina unem-se para ter a maioria das ações do Grupo Renato Villar. Ele muda-se para a mansão Villar com seu mordomo Jacinto. Em uma recepção, Carolina anuncia a todos o casamento com Mário. Renato parte para cima dele e acerta-o no rosto com um soco. Com Mário na presidência do grupo, inicia-se a série de assassinatos orquestrada por Renato, contra os que o traíram. Renato não mata, apenas induz Mário a cometer os crimes. Sabe dos assassinatos, mas nada faz para impedi-los.

Werner Benson – capítulo 142 (05/02/1987) Mário, em posse do dossiê contra Renato e Benson, o entrega ao juiz Labanca, que denuncia os envolvidos formalmente à Procuradoria Geral da República. Benson decide ir embora do Brasil e, sentindo-se traído por Mário, vende a Renato sua parte nas ações do grupo. Renato liga para Mário e mente que Benson possuía cartas de Celso Rezende que os incriminavam (Renato e Mário, o que os colocaria como suspeitos da morte de Celso) e que as entregaria à polícia como uma vingança pessoal. Mário então ordena que Jacinto mate Benson. Ele é assassinado em sua casa, com um tiro no peito, quando estava prestes a ir para o aeroporto.

Jacinto Donato – capítulo 148 (12/02/1987) Ao matar Benson, Jacinto deixou uma coroa de flores junto ao seu corpo, o que levou a polícia descobrir que foi ele o assassino. Renato avisou Mário e este, sentindo-se ameaçado, ordenou que Anselmo matasse seu mordomo. Álvaro, capanga de Anselmo, saiu com Jacinto de carro e apontou uma arma para sua cabeça. Jacinto tentou fugir, mas foi encurralado pelo automóvel e acabou atropelado contra um muro. Procurado pela polícia, Jacinto foi dado como desparecido.

Felipe D´Avila – capítulo 155 (20/02/1987) Paulo Costa deduz que Mário mandou matar Benson e que pode ser a próxima vítima. Convoca então uma reunião dos acionistas e consegue eleger-se vice-presidente do grupo com o apoio da maioria, inclusive de Renato e de Carolina (ela por causa de Renato). Paulo contrata Anselmo para matar Mário. O matador titubeia, mas aceita o trabalho. Ligando os fatos, Mário faz uma contraproposta a Anselmo: uma quantia maior para ele matar Paulo.

Felipe, sentindo-se ameaçado, decide ir embora para Paris, mas antes avisa Paulo de que ele corre perigo de vida. Mário descobre que Felipe está partindo e o atrai para seu apartamento. Felipe acaba morto por Anselmo e Álvaro, que somem com seu corpo. Álvaro embarca para Paris no lugar de Felipe, com documentos falsos. Como Felipe não dá mais notícias para a família, é dado como desaparecido pela polícia.

Paulo Costa – capítulo 167 (06/03/1987) Pressionado por Renato e por Telma (que quer sair do país), Paulo – cada vez mais amedrontado, sem saber em quem confiar, Renato ou Mário – desiste do poder no Grupo Renato Villar e decide vender suas ações a Renato. Mário então arquiteta o assassinato de Paulo para incriminar Renato. Na noite em que Renato vai à casa de Telma para Paulo lhe vender suas ações, Mário atrai Telma até a mansão de Carolina, deixando Paulo sozinho para receber Renato.

Mário suborna o segurança de Paulo para que ele o mate. Quando Telma chega em casa, encontra Paulo boiando na piscina, da mesma forma que encontrou seu marido, Celso, no início da novela. Como Renato foi o último a estar com Paulo, se tornaria o principal suspeito. Porém, Mário não contava que Renato fosse à casa de Telma acompanhado de Lúcia, que testemunha a favor de seu amado (pondo, assim, fim à sua carreira de juíza).

Mário Liberato – último capítulo, 179 (20/03/1987) Renato revelou a seus familiares e amigos que está com os dias contados por causa do angioma, inclusive a Carolina, que, farta de Mário, o expulsa de sua mansão. Renato pressiona Anselmo para que ele lhe revele onde os corpos de Felipe e Jacinto estão enterrados, prometendo proteção longe dali. Anselmo revela, mas afirma que matará quem o denunciar à polícia, se Renato ou Mário. Renato envia uma carta aos policiais incriminando Mário e indicando onde os corpos estão enterrados.

Enquanto isso, Renato atrai Mário para sua casa, para obrigá-lo a vender-lhe suas ações. Porém, Renato tem uma síncope e desmaia. Os policiais chegam à casa de Renato e encontram Mário no local, que afirma que Renato passou mal e desmaiou. Para surpresa de Mário, o corpo de Renato desapareceu. Mário é processado pelos crimes, mas consegue se safar. Denuncia Renato e Anselmo, mas os dois estão desaparecidos. No dia em que Mário é inocentado, acaba assassinado por Anselmo, que vai preso.

Passaram-se alguns meses. Renato continua desaparecido e ninguém sabe se está vivo ou morto. Ele fugiu para uma ilha paradisíaca (no Pacífico ou no Caribe). Antes, armou para que o Grupo Renato Villar ficasse nas mãos de sua família, o que obrigaria seus filhos, Pedro e Helena, a se unirem. Lúcia, grávida de Renato, recebe uma mensagem dele, pedindo sigilo, e parte em seu encontro na ilha. Renato morre nos braços de Lúcia, enquanto Pedro e Helena finalmente se entendem. Fim.

Produção[editar | editar código-fonte]

A trama originalmente seria denominada Prova de Fogo, título este que seria novamente cogitado em 2017 para O Outro Lado do Paraíso.[3]

A ideia básica da trama foi elaborada por diversos autores que compunham a Casa de Criação Janete Clair: Dias Gomes, Ferreira Gullar, Euclydes Marinho, Luiz Gleiser, Joaquim Assis, Marília Garcia e Antônio Mercado. A sinopse original da história pertence a Marcílio Moraes. Porém como ele era inexperiente como autor solo, a Globo convocou Lauro César Muniz pra desenvolver a trama, colocando Marcílio como coautor.[4]

Os primeiros capítulos de Roda de Fogo foram gravados em Brasília, com a intenção de transmitir ao telespectador uma das discussões centrais da novela: a busca pelo poder, centrada na obsessão de Carolina d’Ávila (Renata Sorrah) em almejar o protagonista Renato Villar (Tarcísio Meira) como futuro Presidente da República. Posteriormente, a trama se centralizou na cidade do Rio de Janeiro, onde ficavam a residência e as empresas do protagonista.[1]

Para a composição dos personagens, alguns atores optaram por mudanças em suas caracterizações: Renata Sorrah escureceu os cabelos e, pela primeira vez utilizou mega hair, passando ainda a utilizar um aplique capilar que imitava uma longa trança, presa por um laço de veludo; sempre presentes no figurino da personagem estavam as grandes ombreiras, que fizeram sucesso na época. Já Bruna Lombardi passou a adotar cabelos escuros - assim como em seu trabalho anterior, a minissérie Memórias de um Gigolô - com um corte no estilo chanel.[5][1]

Inicialmente, Juca de Oliveira interpretaria Celso Rezende, personagem assassinado nos primeiros capítulos, contudo, Paulo José acabou por substituí-lo.[5][6]

A telenovela demorou um tempo para cair no gosto do público, que não estava acostumado com um protagonista com perfil de vilão. Apenas com a humanização do personagem é que a história foi ganhando gosto e repercussão.[7] O drama do personagem comoveu os telespectadores, que ficaram divididos entre a sua morte ou remissão.[8]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Intérprete Personagem
Tarcísio Meira Renato Villar
Bruna Lombardi Lúcia Brandão
Eva Wilma Maura Garcez
Renata Sorrah Carolina D`Ávila Villar
Cecil Thiré Mário Liberato[9]
Felipe Camargo Pedro Garcez Villar
Isabela Garcia Ana Maria D'Ávila
Paulo Goulart Juiz Marcos Labanca
Joana Fomm Telma Rezende
Osmar Prado Tabaco da Silva
Yara Côrtes Joana Garcez
Percy Aires General Hélio D'Avila
Paulo Castelli Felipe D'Avila
Hugo Carvana Paulo Costa
Carlos Kroeber Werner Benson
Cássio Gabus Mendes Celso Rezende Júnior
Lúcia Veríssimo Laís Brandão
Ivan Cândido Anselmo Santos
Cláudia Magno Vera Santos
Jayme Periard Roberto Labanca
Rodolfo Bottino Gilberto Ferreira
Mayara Magri Helena D'Ávila Villar
Mário Lago Antônio Villar
Sílvia Bandeira Alice
Gilberto Martinho Gilson Góes
Marta Overbeck Dra. Beatriz
Cláudia Alencar Patativa Miranda
Nelson Dantas Dr. Moisés Rodrigues
Inês Galvão Isabel Almeida (Bel)
Carla Daniel Marlene Soares
Carlos Vergueiro Fernando Brandão
Cláudio Curi Jacinto Donato
Cristina Sano Fátima Pires
Beth Berardo Nazaré
Walter Mattesco Milton

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Paulo José Celso Rezende
Regina Macedo Angelina
Jandira Martini Filomena Liberato
Rosi Campos Miriam
Geraldo Carbutti Josias
Carlo Briani Psiquiatra de Maura
Denny Perrier Sandro
Denis Derkian João Otávio
Ivan Senna Luís Otávio
Guilherme Corrêa não nomeado
José de Abreu Adauto
Cláudia Costa Elvira, quarta mulher de Tabaco, que aparece no último capítulo
Renato Coutinho Dr. Spilman
Hemílcio Fróes Padre que casa Pedro e Ana Maria
Junior Prata Médico da família Villar
Marcos Palmeira Rapaz que socorre Renato após um desmaio numa rodovia

Exibição[editar | editar código-fonte]

Roda de Fogo foi reapresentada em Vale a Pena Ver de Novo de 21 de maio a 6 de julho de 1990, substituindo Pão Pão, Beijo Beijo e sendo substituída por Sassaricando, em 34 capítulos. Esta foi a reprise mais curta desde a existência da faixa. Especula-se que essa reprise foi escolhida a dedo pra ser exibida apenas durante a Copa do Mundo daquele ano.[7]

Em 2018, o Canal Viva anunciou a trama como substituta de Explode Coração às 23h30 e 13h30, mas por questões de estratégia do canal, foi trocada por A Indomada (1997).[10]

A novela foi incluída no catálogo do Globoplay no dia 26 de abril de 2021 sem o capítulo 90, que não pôde ser recuperado pela plataforma.[11] Em referência à trama, a plataforma também liberou a paródia Fogo no Rabo, do humorístico TV Pirata.[12]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

O tema de abertura de Roda de Fogo era uma versão em estúdio da música "Pra Começar", de Marina Lima, extraído do álbum Todas Ao Vivo (1986). Tal versão só se encontra presente na execução da abertura, não estando sequer presente na trilha sonora nacional lançada em 1986 nem na discografia de Marina, sendo incluída na trilha sonora a versão ao vivo.[13][1] Uma versão em estúdio foi lançada pela primeira vez por Marina para o álbum Novas Famílias, em 2018.

Nacional[editar | editar código-fonte]

Roda de Fogo Nacional
Roda de Fogo (1986)
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento Setembro de 1986
Gênero(s) Vários
Duração 42:56
Formato(s) LP, CD, K7
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de vários intérpretes
Roda de Fogo Internacional

Capa: Tarcísio Meira como Renato Villar

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Em Flor (Too Young)"  SimoneMaura (Eva Wilma)  
2. "Você"  Os Paralamas do SucessoLaís (Lúcia Veríssimo)  
3. "Tema de Ana Maria"  ClockAna Maria (Isabela Garcia)  
4. "Você Se Esconde"  Rádio TáxiPedro (Felipe Camargo)  
5. "Viver é Deixar Rolar o Sentimento"  WandoJunior (Cássio Gabus Mendes) e Vera (Cláudia Magno)  
6. "Pra Começar"  Marina LimaAbertura  
7. "Transas"  RitchieRenato (Tarcísio Meira) e Lúcia (Bruna Lombardi)  
8. "Alguém"  Kiko ZambianchiTabaco (Osmar Prado)  
9. "Facho de Esperança"  Mestre MarçalGilson (Gilberto Martinho) e Joana (Yara Côrtes)  
10. "Segredo"  DjavanTelma (Joana Fomm)  
11. "Nem um Toque"  Rosanah FienngoHelena (Mayara Magri)  
12. "Música Urbana"  Capital InicialTema Geral  
Duração total:
42:56

Internacional[editar | editar código-fonte]

Roda de Fogo Internacional
Roda de Fogo (1986)
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento Dezembro de 1986
Gênero(s) Vários
Duração 49:54
Formato(s) LP, CD, K7
Gravadora(s) Som Livre
Cronologia de vários intérpretes
Roda de Fogo Nacional

Capa: Bruna Lombardi como Lúcia Brandão

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Sweet Freedom"  Michael McDonald   
2. "With You All The Way"  New Edition   
3. "Invisible Touch"  Genesis   
4. "Colors on My Blues"  Reno Scott   
5. "New York, Rio, Tokyo"  Trio Rio   
6. "You Can’t Get Out Of My Heart"  Mike FrancisRenato (Tarcísio Meira) e Lúcia (Bruna Lombardi)  
7. "Sledgehammer"  Peter Gabriel   
8. "Holding Back the Years"  Simply Red   
9. "The Finest"  The S.O.S. Band   
10. "Ancora Con Te"  Peppino di CapriMaura (Eva Wilma)  
11. "Sahara Night"  F. R. David   
12. "Why Worry"  Dire StraitsPedro (Felipe Camargo) e Ana Maria (Isabela Garcia)  
13. "It Won’t Be the Same Old Place"  James Warren   
14. "If Looks Could Kill"  Heart   
Duração total:
49:54

Referências

  1. a b c d e «Roda de Fogo». Memória Globo 
  2. «Roda de Fogo (1986)». Teledramaturgia. Consultado em 16 de dezembro de 2015 
  3. «A Próxima das Oito: Começaram as gravações de "Prova de Fogo", que traz Tarcísio Meira de volta». Jornal do Brasil. 20 de julho de 1986. Consultado em 23 de janeiro de 2018 
  4. «Marcílio Moraes disponibiliza scripts do 1º capítulo de 'Roda de fogo'». Telepadi. 28 de abril de 2021. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  5. a b «Dada a largada para a "Prova de Fogo"». O Globo. 20 de julho de 1986. Consultado em 23 de janeiro de 2018 
  6. «No perigoso jogo do poder, vale tudo, da sedução ao assassinato». O Globo. 24 de agosto de 1986. Consultado em 23 de janeiro de 2018 
  7. a b «Trama política atualíssima, atriz demitida, reprise picotada: 10 curiosidades sobre Roda de Fogo». TV História. 26 de abril de 2021. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  8. «Em 1987, público clamou pela vida de Renato em Roda de Fogo; veja o desfecho». Notícias da TV. 16 de maio de 2021. Consultado em 23 de outubro de 2021 
  9. “A fama de gay me prejudicou”
  10. «Exclusivo: conheça a próxima trinca de novelas que ganham reprise no canal Viva - Telepadi». Telepadi. 10 de agosto de 2018 
  11. «Novela Roda de Fogo tem capítulo perdido no Globoplay». Na Telinha. Consultado em 26 de abril de 2021 
  12. «Sucesso 'Roda de Fogo' estreia no Globoplay». gshow. 26 de abril de 2021. Consultado em 27 de abril de 2021 
  13. «Trilha Sonora - Selva de Pedra». Teledramaturgia. Consultado em 15 de dezembro de 2015