Rodrigo Amarante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2016).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rodrigo Amarante
Informação geral
Nome completo Rodrigo Amarante de Castro Neves
Também conhecido(a) como Ruivo
Nascimento 6 de setembro de 1976 (40 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Gênero(s) Rock Alternativo, MPB, Samba
Instrumento(s) Guitarra, violão, baixo, flauta, piano
Período em atividade 1997 - presente
Afiliação(ões) Los Hermanos,
Orquestra Imperial
Little Joy
Devendra Banhart,
Marcelo Camelo.
Página oficial rodrigoamarante.com.br

Rodrigo Amarante de Castro Neves (Rio de Janeiro, 6 de setembro de 1976) é um musico brasileiro, integrante da banda carioca Los Hermanos.[1] Após o recesso da banda, passou a dedicar-se também à Orquestra Imperial e, posteriormente, à banda Little Joy. Hoje em dia, se apresenta em carreira solo, depois de lançar seu primeiro álbum solo, "Cavalo", em setembro de 2013.[2]

No Los Hermanos[editar | editar código-fonte]

Estudou Jornalismo na PUC-RJ, onde conheceu Marcelo Camelo e Rodrigo Barba. Após alguns ensaios dos Los Hermanos, foi chamado para integrar a banda.

No primeiro álbum, auto-titulado de "Los Hermanos", Amarante aparece tocando Flauta transversal e fazendo vocais em algumas músicas. Há duas delas de sua autoria: "Quem Sabe" e "Onze Dias". Porém, o papel de compositor e líder da banda ainda era direcionado a Marcelo Camelo.

Segundo Álbum[editar | editar código-fonte]

No segundo álbum ("Bloco do Eu Sozinho") o "ruivo" pôde mostrar toda sua qualidade musical, tocando guitarra junto a Marcelo, e com mais músicas de sua autoria. Gravou "Sentimental" (considerada por Dado Villa-Lobos a melhor música lançada em 2001), "Retrato pra Iaiá" e "Cher Antoine" (cantada em francês). Fez ainda, junto a Marcelo, a parte melódica da música "Mais uma canção". Também junto a Marcelo, fez "A Flor", um dos hits do segundo disco.

Terceiro Álbum[editar | editar código-fonte]

No terceiro álbum, "Ventura", vem o real reconhecimento de músico nacional, mediante músicas de qualidade indiscútivel, como: "Último romance", "O velho e o moço", "Um par", "Do sétimo andar" e "Deixa o verão".

O papel, de até então, codjuvante da banda, acabou. Passou a ser reconhecido como um dos líderes da banda, ao lado de Marcelo.

Quarto Álbum[editar | editar código-fonte]

No quarto álbum, intitulado "4", compôs cinco das doze músicas do álbum, tendo duas delas ("O vento" e "Condicional") tornado-se singles do disco. Além destas, fez também "Primeiro Andar", "Os Pássaros" e "Paquetá".

Já consagrado e conhecido como um dos líderes dos Los Hermanos, ganhou em 2006 o prêmio de "Melhor Instrumentista" no Prêmio Multishow.

Após o recesso dos Los Hermanos (em 2007), passou a se dedicar inteiramente à Orquestra Imperial, banda em que toca junto a Moreno Veloso (filho de Caetano Veloso), Nina Becker e também à atriz Thalma de Freitas.

Participou, junto à banda portuguesa "Os Azeitonas", da composição de uma canção de título "Rubi (Terça-Feira)", que seria lançada em novembro de 2007, no álbum "Rádio Alegria", a ser lançado pela banda lusitana.

No Little Joy[editar | editar código-fonte]

Aproveitando a pausa por tempo indefinido de sua banda principal, passou a se dedicar à sua nova banda, "Little Joy", junto com o baterista da banda norte-americana The Strokes, Fabrizio Moretti.

A nova empreitada, que contou ainda com a cantora Binki Shapiro, ex-namorada de Moretti, iniciou-se no ano de 2007, e teve seu primeiro CD, auto-intitulado Little Joy, produzido pelo mais que cultuado selo britânico Rough Trade, no ano de 2008. Lançado no Brasil em fevereiro de 2009, foi produzido por Noah Georgeson, parceiro de Devendra Banhart.

Parcialmente gravado em Los Angeles, Amarante lançou "Cavalo", seu primeiro disco solo, em 23 de setembro de 2013.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Solo[editar | editar código-fonte]

Los Hermanos[editar | editar código-fonte]

Little Joy[editar | editar código-fonte]

Parcerias e Colaborações[editar | editar código-fonte]

Rodrigo Amarante, ao longo de sua carreira, fez várias parcerias e participações, algumas como:

  • Fernanda Takai - Cantando a música No Ritmo da Chuva
  • Devendra Banhart - Escrevendo a música Rosa, e a cantando no álbum Smokey Rolls Down Thunder Canyon
  • Lanny Gordin - Partipando do disco "Duos" do guitarrista, cantando "Evaporar"
  • Adriana Calcanhotto - Tocando teclado em "Mulher sem razão", música que também fez os arranjos de metais, e em "Para lá", onde toca piano
  • 3 na massa - Compôs "Tatuí", cantada pela sua ex-mulher Karine Carvalho, quarta faixa do disco "Na confraria das sedutoras"
  • Nervoso e os Calmantes - Cantou na música "Mais justo"
  • Gilberto Gil - Participou na elaboração do arranjo da canção "Você e eu", Amarante também gravou o vibrafone da mesma.
  • Marisa Monte - Compôs e cantou com ela a música "O que se quer", incluída no álbum "O Que Você Quer Saber de Verdade"
  • Natalia Lafourcade - Cantou a música "Azul", composição de Agustín Lara incluída no álbum "Mujer Divina" da cantora mexicana.
  • Tom Zé - Cantou a música "NYC Subway Poetry Department", composição de Tom Zé com seu professor de inglês incluída no álbum "Tropicália Lixo Lógico" do cantor.

Bandas anteriores[editar | editar código-fonte]

  • Los Birras
  • Barnabé

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Rodrigo Amarante». Dicionario mpb. Consultado em 12 de Janeiro de 2016 
  2. «Entrevista RS: Rodrigo Amarante». ROLLING STONE BRASIL. Consultado em 12 de Janeiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.