Rodrigo Anes de Sá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Rodrigo Anes de Sá (c. 1324 - a. 1385) foi um nobre português.

Família[editar | editar código-fonte]

D. Rodrigo Anes de Sá era filho de João Afonso de Sá (c. 1300 - ?), Cavaleiro Fidalgo, Senhor da Honra de Sá, Senhor Consorte da Honra de Germude e Padroeiro da Igreja de São Miguel de Germude e Senhor da Igreja de Santiago de Antas, e de sua mulher Maria Martins (de Germude), a qual devia ser filha de Egas Martins de Germude e sua mulher Inês Esteves, já falecidos a 26 de Abril de 1351, neto paterno de Afonso Martins de Sá (c. 1275 - d. 16 de Dezembro de 1346), Escudeiro e morador em São Tiago de Gavião, em Vermoim, quando, a 16 de Dezembro de 1346, renunciou a favor da Igreja de Fornelos os seus direitos de Padroado, e de sua mulher, e bisneto por varonia de Martim Fernandes de Sá, Cavaleiro Fidalgo, que terá sido o primeiro deste nome, que tomou por ser Senhor da Honra e Quintã de Sá, em Santa Eulália de Barrosas de Riba de Vizela, se bem que, no reinado de D. Dinis I de Portugal, já se documentem outros indivíduos com este nome, e de sua mulher Maria Anes Varzim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi o 1.º Senhor de Gaia de juro e herdade a 20 de Abril de 1357 por mercê de D. Afonso IV de Portugal. Entre outras coisas, exerceu o cargo de Embaixador de Portugal a Roma, aos Estados Pontifícios, ao Papa Gregório XI.[1]

Foi Rico-Homem e Alcaide do rei D. Pedro I de Portugal.

D. Fernando I de Portugal confirmou-lhe as rendas, os direitos e o Castelo de Gaia e o escambo que fez com Beatriz Aires sobre a Quintã de .

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou primeira vez cerca de 1349 com Mécia Peres de Avelar (c. 1325 - 1354), filha de Estêvão Peres de Avelar e de sua mulher Teresa Anes de Pinho, da qual teve duas filhas:

  • Constança Rodrigues de Sá (1350-3 - 1???), referida mas não nomeada na lista do Mosteiro de Pedroso de 1363 e na lista do Mosteiro de Grijó de 1365, solteira e sem geração
  • Aldonça Rodrigues de Sá (1354 - d. 1422), Abadessa do Mosteiro de Rio Tinto, de Freiras Beneditinas, a qual teve dois filhos da sua relação com D. Martim Afonso de Sousa, o da Batalha Real (c. 1343 - 1405-15), Rico-Homem, 5.º Senhor de Santo Estêvão e 2.º Senhor de Mortágua de juro e herdade

Casou segunda vez em Roma cerca de 1354 com Cecilia Colonna (c. 1337 - 1???), filha de Giovanni Colonna, Canónico de Brescia e Canónico de São João de Latrão em 1325, deposto, e de sua mulher (1331) Orsina Orsini (c. 1301 - ), Nobre Romana, viúva de seu primo (casados em 1317) Pandolfo dell'Anguillara, Conde dell'Anguilara, neta paterna por bastardia de Sciarra Colonna, meia-prima-irmã de D. Agapito Colonna, Cardeal-Bispo de Lisboa, e parente de Jacques Colonna (Giacomo Colonna) (? - 1341), Bispo de Lombez, na Biscaia, protector de Francesco Petrarca, da qual teve um filho:

Casou terceira vez em 1364 com Beringeira Anes do Vale, sem geração.

Referências

  1. Manuel José da Costa Felgueiras Gaio, Nobiliário das Famílias de Portugal, Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989. vol. III-pg. 231 (Camaras) e vol. IX-pg. 309 (Sás).
  2. Soveral, Origem dos Avelar e dos Soveral, 2003.


Ícone de esboço Este artigo sobre figuras históricas de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.