Rodrigo Maroni

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rodrigo Maroni
Rodrigo Maroni em 2011
Deputado estadual do Rio Grande do Sul
Período 1 de fevereiro de 2019
até a atualidade
Vereador de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 2015
até 31 de janeiro de 2018
Dados pessoais
Nome completo Rodrigo Marini Maroni
Nascimento 21 de julho de 1981 (40 anos)
Porto Alegre, RS, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Liliana Marini Maroni
Cônjuge Isabel Wexel (2019-presente)
Partido PT (1998-2005)
PSOL (2005-2007)
PT (2007-2011)
PCdoB (2011-2016)
PR (2016-2018)
PODE (2018-2020)
PROS (2020-2021)
PMB (2021)
PV (2021)
PSC (2021-2022)
PSDB (2022-presente)
Religião budismo[1]
Ocupação Político e professor de yoga[1]

Rodrigo Marini Maroni (Porto Alegre, 21 de julho de 1981) é um político brasileiro filiado no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).[2][3] Foi vereador de Porto Alegre entre 2015 e 2018 e atualmente é deputado estadual do Rio Grande do Sul. Sua principal bandeira é a defesa dos direitos dos animais.[4]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Sua primeira filiação partidária foi feita em 1998, quando filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), onde permaneceu até 2005.[5]

Rodrigo Maroni concorreu a vereador em Porto Alegre pela primeira vez em 2012, pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), obtendo 2.861 votos.[6] Assumiu o seu primeiro cargo em eletivo em janeiro de 2015, quando tornou-se vereador de Porto Alegre pelo PCdoB, após João Derly ser eleito deputado federal e deixar sua cadeira vaga na Câmara Municipal.[6]

Em março de 2016, o vereador trocou o PCdoB pelo Partido da República (PP), para concorrer à prefeitura de Porto Alegre.[7] Entretanto, em julho, após o deputado federal Giovani Cherini assumir a presidência estadual do partido, Maroni foi destituído do diretório municipal e obrigado a abandonar a candidatura à prefeitura. Em reação, o então vereador classificou as ações de Cherini como "uma política coronelista e autoritária".[8] Com o impedimento para concorrer a prefeito, Maroni lançou-se ao cargo de vereador nas eleições de 2016, sendo o quarto candidato mais votado, com 11.770 votos.[9]

Em maio de 2017, o parlamentar lançou sua pré-candidatura a presidente da República, dizendo em nota que “os animais podem ter seu primeiro candidato a presidente da República”. O movimento, porém, não foi adiante.[10] Em setembro do mesmo ano, Maroni trocou novamente de partido para se filiar ao Podemos (PODE).[11][12] Nas eleições de 2018, foi candidato a deputado estadual pelo partido e eleito com 26.449 votos.[13][12]

Em setembro de 2019, o deputado foi eleito presidente do Podemos no Rio Grande do Sul.[14] No final de novembro de 2019, Maroni lançou-se pré-candidato a prefeito de Porto Alegre pelo partido.[15] Contudo, em março do ano seguinte, uma intervenção do presidente nacional do Podemos, Álvaro Dias, e do senador Lasier Martins destituiu Maroni do cargo de presidente da sigla no estado.[16] Com isso, o deputado deixou o partido para se filiar ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS), mantendo a pré-candidatura à prefeitura.[17]

Em 2021, com a filiação de José Fortunati ao Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Rodrigo Maroni decidiu desfiliar e ir para o Partido da Mulher Brasileira (PMB), tempos depois assinou a ficha de filiação no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), porém segundo sua assessoria, os documentos não chegaram a ser encaminhados à Justiça Eleitoral.[18] Desistiu da filiação após 2 dias, anunciando a permanência no PMB.[19] Em agosto do mesmo ano, filiou-se ao Partido Verde (PV). Como resultado, vários integrantes do partido, incluindo o candidato a prefeito de Porto Alegre em 2020, Montserrat Martins, deixaram o partido.[20] Apenas três meses depois, o parlamentar foi para a quarta legenda em 2021, o Partido Social Cristão (PSC).[21]

Projetos inconstitucionais[editar | editar código-fonte]

Maroni ganhou notoriedade nacional quando, em 2016, apresentou um projeto de lei propondo prisão perpétua (pena inexistente no Brasil) a quem cometer crueldade contra animais.[22] O parlamentar também apresentou projetos propondo que assassinos e estupradores de animais usem coleiras eletrônicas e que humanos que cometam violência sexual contra animais sejam castrados quimicamente, projetos que também seriam inconstitucionais.[23] Conforme o então vereador, ele se referia a quem torturava animais.[24]

Em novembro de 2019, Maroni protocolou um projeto de lei na Assembleia Legislativa para legalizar o cultivo, a venda e o consumo de maconha no Rio Grande do Sul, tendo Uruguai, Países Baixos e alguns estados dos Estados Unidos como exemplo, para que o dinheiro gerado fosse usado para financiar políticas públicas.[25] Contudo, essa matéria só pode ser regulada por lei federal. Posteriormente, o deputado afirmou que seu objetivo era trazer o debate à tona, uma vez que a guerra às drogas tem fracassado no Brasil.[26]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Foi namorado da política gaúcha Manuela d'Ávila.[27][28] Rodrigo Maroni é casado com a defensora pública Isabel Wexel desde julho de 2019.[29]

Referências

  1. a b «'Eles acharam que tinham me executado', diz vereador sobre suposta tentativa de homicídio». Sul21. 6 de maio de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  2. «Instalada Frente Parlamentar para debater a utilização de carroças no Rio Grande do Sul». Agência de Notícias ALRS. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  3. «Deputado estadual gaúcho troca de partido pela quarta vez em 2021 e ingressa no PSC». GZH. 16 de novembro de 2021. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  4. «Vereador de Porto Alegre que atua na defesa dos animais troca de partido». GaúchaZH. 9 de novembro de 2017. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  5. «Quem são os candidatos a prefeito de Porto Alegre nas eleições 2020 - Política». Estadão. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  6. a b «Três vereadores se elegem e mudam de casa parlamentar». Jornal do Comércio. 7 de outubro de 2014. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  7. «Vereador Rodrigo Maroni busca apoios para se lançar à Prefeitura de Porto Alegre». Sul 21. 6 de abril de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  8. «Dirigentes do PR entram em confronto por poder». Jornal do Comércio. 22 de julho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  9. «Veja os 36 vereadores eleitos em Porto Alegre». G1. 2 de outubro de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  10. «Rodrigo Maroni se lança a 'presidente da República pela causa animal'». Sul21. 17 de maio de 2017. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  11. «Maroni muda de legenda pela quarta vez e se filia ao Podemos». Jornal do Comércio. 12 de setembro de 2017. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  12. a b «Vereador de Porto Alegre que atua na defesa dos animais troca de partido». GZH. 11 de setembro de 2017. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  13. «Rodrigo Maroni 19999 (PODE) Deputado Estadual | Rio Grande do Sul | Eleições 2018». Gazeta do Povo. Consultado em 22 de maio de 2019 
  14. «Deputado Estadual Rodrigo Maroni é o novo Presidente do Podemos no RS». Rádio Cidade SA. 11 de setembro de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  15. «Rodrigo Maroni lança pré-candidatura à prefeitura de Porto Alegre pelo Podemos». Correio do Povo. 30 de novembro de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  16. «Intervenção do Podemos». O Sul. 14 de março de 2020. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  17. «Maroni ingressa no Pros e firma pré-candidatura à Prefeitura de Porto Alegre». Correio do Povo. 16 de março de 2020. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  18. «Deputado estadual gaúcho troca de partido pela quarta vez em 2021 e ingressa no PSC». GZH. 16 de novembro de 2021. Consultado em 13 de janeiro de 2022 
  19. «Depois de fazer terra arrasada no PTB, Roberto Jefferson lança prefeito de Bagé ao Piratini». GZH. 13 de abril de 2021. Consultado em 17 de abril de 2021 
  20. «Filiação do deputado Rodrigo Maroni racha o PV no RS». GZH. 9 de agosto de 2021. Consultado em 30 de agosto de 2021 
  21. «Deputado estadual gaúcho troca de partido pela quarta vez em 2021 e ingressa no PSC». GZH. 16 de novembro de 2021. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  22. Galindo, Rogério (6 de setembro de 2016). «Vereador propõe prisão perpétua para quem for sarcástico com animais». Gazeta do Povo. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  23. «PL pede pena perpétua para sarcásticos com animais». Band. 5 de setembro de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  24. «Vereador Rodrigo Maroni responde à coluna "Como ser sarcástico com um cachorro"». GaúchaZH. 19 de setembro de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  25. «Deputado propõe que RS libere cultivo, venda e consumo de maconha». Rádio Guaíba. 6 de novembro de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  26. «Maroni admite que pretende abrir debate sobre legalização da maconha». Rádio Guaíba. 7 de novembro de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2020 
  27. «Com 1% nas pesquisas, ex de Manuela D'Ávila volta a usar debate para atacá-la». Revista Fórum. 13 de novembro de 2020. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  28. Rivas, Lucas (12 de novembro de 2020). «Ausência de propostas e acusação de machismo marcam debate em Porto Alegre - Política». Estadão. Consultado em 13 de novembro de 2020 
  29. «Impedido de se casar na Assembleia, deputado transfere cerimônia para a Praça da Matriz». GaúchaZH. 10 de julho de 2019. Consultado em 31 de agosto de 2020