Rodrigo Rato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rodrigo Rato
Nascimento 18 de março de 1949 (70 anos)
Madri
Cidadania Espanha
Alma mater Universidade Complutense de Madri, Universidade da Califórnia em Berkeley
Ocupação político, economista, banqueiro
Prêmios Grã-Cruz da Ordem de Carlos III
Religião Igreja Católica

Rodrigo de Rato y Figaredo (Madrid, 18 de março de 1949) é um economista e político espanhol, membro do Partido Popular da Espanha.

Foi vice-presidente do governo da Espanha durante o mandato de José María Aznar, de 5 de maio de 1996 a 21 de agosto de 2004.

Desde 7 de outubro de 2004 até 19 de junho de 2007 foi diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Em 2014, Rodrigo Rato e cerca de 80 membros da classe dirigente espanhola foram acusados de violação do direito das empresas por terem gastado um total de 15 milhões de euros em discotecas, safaris e artigos de luxo com cartões de crédito da Caja Madrid e do Bankia e escapado ao fisco. O Partido Popular expulsou do partido o ex-diretor do FMI.[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Rodrigo Rato