Roentgênio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde janeiro de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Pix.gif Roentgênio Stylised atom with three Bohr model orbits and stylised nucleus.svg
DarmstácioRoentgênioCopernício
Au
   
 
111
Rg
 
               
               
                                   
                                   
                                                               
                                                               
Rg
Tabela completaTabela estendida
Aparência
desconhecida
Informações gerais
Nome, símbolo, número Roentgênio, Rg, 111
Série química metal de transição.
Grupo, período, bloco 11, 7, d
Densidade, dureza 28 700 (est.)[1] kg/m3,
Número CAS 54386-24-2
Número EINECS
Propriedade atómicas
Massa atômica (281) u
Raio atómico (calculado) 114 (presumido)[1] pm
Raio covalente 121 (est.)[2] pm
Raio de Van der Waals pm
Configuração electrónica [Rn] 5f14 6d9 7s2
(previsto)[1]
Elétrons (por nível de energia) 2, 8, 18, 32, 32, 17, 2 [1](ver imagem)
Estado(s) de oxidação 5, 3, 1, −1 [1]
Óxido
Estrutura cristalina
Propriedades físicas
Estado da matéria Sólido (presumido)
Ponto de fusão  K
Ponto de ebulição  K
Entalpia de fusão kJ/mol
Entalpia de vaporização kJ/mol
Temperatura crítica  K
Pressão crítica  Pa
Volume molar m3/mol
Pressão de vapor
Velocidade do som m/s a 20 °C
Classe magnética
Susceptibilidade magnética
Permeabilidade magnética
Temperatura de Curie  K
Diversos
Eletronegatividade (Pauling)
Calor específico J/(kg·K)
Condutividade elétrica S/m
Condutividade térmica W/(m·K)
Potencial de ionização 1 022,7 (est.)[1] kJ/mol
2º Potencial de ionização 2 074,4 (est.)[1] kJ/mol
3º Potencial de ionização 3 077,9 (est.)[1] kJ/mol
4º Potencial de ionização kJ/mol
5º Potencial de ionização kJ/mol
6º Potencial de ionização kJ/mol
7º Potencial de ionização kJ/mol
8º Potencial de ionização kJ/mol
9º Potencial de ionização kJ/mol
10º Potencial de ionização kJ/mol
Isótopos mais estáveis
iso AN Meia-vida MD Ed PD
MeV
282Rg Sin. 0,5 s α 9,00 278Mt
281Rg Sin. 26 s FE
2810Rg Sin. 3,6 s α 9,75 276Mt
279Rg Sin. 0,17 s α 10,37 275Mt
Unidades do SI & CNTP, salvo indicação contrária.

O roentgênio (português brasileiro) ou roentgénio (português europeu), inicialmente chamado de ununúnio (do latim um, um, um) e eka-ouro (semelhante ao ouro), é um elemento químico, símbolo Rg (anteriormente Uuu), número atômico 111 (111 prótons e 111 elétrons), com massa atómica [272] u, sendo um dos átomos mais pesados.

Características principais[editar | editar código-fonte]

É um elemento sintético, transurânico, radioativo, cujo único isótopo conhecido apresenta meia-vida em torno de 15 milissegundos, decaindo em meitnério-268. Devido a sua presença no grupo 11 da tabela periódica é um metal de transição, provavelmente metálico e sólido.

História[editar | editar código-fonte]

Roentgenium, GSI

O Roentgênio foi pela primeira vez sintetizado no "Gesellschaft für Schwerionenforschung" (GSI) em Darmstadt, Alemanha em 8 de dezembro de 1994, por uma equipe internacional liderados por Peter Armbruster e Sigurd Hofmann. Poucos átomos deste elemento foram criados (todos 272Rg), pela fusão do bismuto-209 com íons de níquel-64 num "Acelerador linear" (bombardeamento o bismuto com níquel).

O nome "roentgênio" foi aceito como permanente em 1 de novembro de 2004 em homenagem a Wilhelm Conrad Roentgen. Antes desta data, o elemento era conhecido, sob as recomendações da IUPAC, pelo nome "ununúnio", símbolo "Uuu". Algumas pesquisas atribuíam-lhe o nome "eka-ouro", pela semelhança com as características do ouro.

O roentgénio não se encontra presente na Natureza. Se este se encontrasse presente constituiria um risco devido à sua radiação perigosa

Química[editar | editar código-fonte]

Ainda não foram sintetizados compostos contendo este elemento, devido à sua vida extremamente curta e à falta de isótopos suficientemente estáveis para que suas propriedades químicas sejam estudadas na prática. Tudo o que se conhece são inferidos nas propriedades esperadas para o elemento, baseado nas propriedades periódicas e efeitos relativísticos.

O roentgênio é o nono membro da 6ª série de metais de transição. Uma vez que se demonstrou que o copernício (elemento 112) é um metal de transição, espera-se que todos os elementos de 104 a 112 formem uma quarta série de metal de transição. Os cálculos sobre seus potenciais de ionização e radiações atômica e iônica são semelhantes aos de seu homólogo mais leve, o que implica que as propriedades básicas do Rg se assemelharão às dos outros elementos do grupo 11 , cobre , prata e ouro; Contudo, também se prevê que apresentem várias diferenças a em relação aos seus homólogos mais leves.

O rontgênio é previsto para ser um metal nobre, pouco reativo. Com base nos estados de oxidação mais estáveis dos elementos mais leves do grupo 11, presume-se que o Rg apresente os estados de oxidação estáveis +5, +3 e -1, com um estado +1 menos estável. Também se presume que o estado +3 seja o mais estável. Espera-se que Roentgênio III tenha uma reatividade comparável ao ouro III, mas deve ser mais estável e formar uma maior variedade de compostos. O ouro também forma um estado -1 um pouco estável devido a efeitos relativistas, e o roentgênio também poderia fazê-lo: espera-se que a afinidade eletrônica do Rg esteja em torno de 1,6 eV (37 kcal/mol ), significativamente menor que o valor do ouro de 2,3 eV (53 kcal / mol), pelo que as roentgenetos podem não ser estáveis ou mesmo impossíveis. Os orbitais 6d são desestabilizados por efeitos relativísticos e interações spin-órbita perto do final da quarta série de metal de transição, tornando assim o estado de oxidação elevado roentgênio (V) mais estável do que seu homólogo mais leve de ouro (V) (conhecido apenas em um composto, o pentafluoreto de ouro) devido ao fato que os elétrons 6d participam na ligação em maior extensão. As interações spin-órbita estabilizam os compostos moleculares de Rg com mais elétrons 6d de ligação; Por exemplo, RgF6- se espera que seja mais estável do que RgF4-, que se espera ser mais estável do que o RgF2-. Roentgênio com nox +1 pode ser muito difícil de obter.

A química provável do rontgênio tem recebido mais interesse do que o dos dois elementos anteriores, meitnério e darmstádio , pois os orbitais de valência do subnível s dos elementos do grupo 11 são esperados para ser relativisticamente contraídos mais fortemente em Rg. [2] Os cálculos do composto molecular RgH mostram que os efeitos relativistas dobram a força da ligação Rg-H, embora as interações spin-órbita também a enfraquecem em 0,7 eV (16 kcal/mol). Os compostos AuX e RgX, onde X = F, Cl, Br, O, foram também estudados. Rg+ é predito para ser o íon metálico que se comporta como o ácido de Lewis mais “macio” , até mesmo mais do que Au+, embora haja um desacordo sobre se ele se comportaria como um ácido ou uma base. Em solução aquosa, Rg+ formaria o ião aquoso [Rg(H2O)2]+ , com uma distância de ligação Rg-O de 207.1 pm . Espera-se também que formem complexos Rg(I) com amoníaco, fosfina e sulfeto de hidrogênio.

Referências

  1. a b c d e f g h Hoffman, Darleane C.; Lee, Diana M.; Pershina, Valeria (2006). «Transactinides and the future elements». In: Morss; Edelstein, Norman M.; Fuger, Jean. The Chemistry of the Actinide and Transactinide Elements 3rd ed. Dordrecht, The Netherlands: Springer Science+Business Media. ISBN 1-4020-3555-1 
  2. Chemical Data. Roentgenium - Rg, Royal Chemical Society

Ligações externas[editar | editar código-fonte]