Roger Machado Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roger Machado
Informações pessoais
Nome completo Roger Machado Marques
Data de nasc. 25 de abril de 1975 (42 anos)
Local de nasc. Porto Alegre (RS), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,77 m
Canhoto
Informações profissionais
Período em atividade Como jogador: 1994–2008 (14 anos)
Como treinador: 2014–presente (3 anos)
Equipa atual Palmeiras
Função Treinador
Clubes de juventude
1991–1993 Grêmio
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1994–2003
2004–2005
2006–2008
Total
Grêmio
Vissel Kobe
Fluminense
0404 000(4)
0058 000(5)
0123 00(10)
0585 00(19)
Seleção nacional
2001 Brasil 0001 000(0)
Times/Equipas que treinou
2011–2013
2014
2015
2015–2016
2017
2018–
Grêmio (auxiliar-técnico)
Juventude
Novo Hamburgo
Grêmio
Atlético Mineiro
Palmeiras
0008
0016
0032
0094
0043
0000
Última atualização: 22 de novembro de 2017

Roger Machado Marques,[1] mais conhecido como Roger Machado, ou apenas Roger, (Porto Alegre, 25 de abril de 1975)[2] é um treinador e ex-jogador de futebol brasileiro. Foi considerado um dos melhores laterais-esquerdo do futebol brasileiro nos anos 90. Atualmente é treinador do Palmeiras.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Roger foi revelado pelo Grêmio em 1994, clube pelo qual atuou até 2003, e foi lançado no time profissional por Luiz Felipe Scolari, sob cujo comando foi multicampeão. No Grêmio, teve sua maior e melhor época, onde jogou de 1994 até 2003, tendo conquistado 3 Copas do Brasil (1994, 1997 e 2001), 4 Campeonatos Gaúcho (1995, 1996, 1999 e 2001), Taça Libertadores de 1995, Recopa Sul-americana e Campeonato Brasileiro de 1996, e Copa Sul de 1999. Sua principal característica era a forte marcação e a disciplina dentro de campo. Depois de virar ídolo no Grêmio, atuou no futebol japonês de 2004 a 2005.

Entre 2006 e 2008, jogou no Fluminense, tendo feito o gol da vitória de 1 a 0 do Tricolor Carioca sobre o Figueirense, em Florianópolis, que deu o título de campeão da Copa do Brasil de 2007 ao Fluminense, o quarto título de Roger nesta competição, jogador com o maior número de conquistas na história deste torneio.

Em 2009, assinou contrato com o clube estado-unidense D.C. United, onde pretendia encerrar sua carreira. Entretanto, Roger acabou deixando o time uma semana após a sua apresentação, porque teve um problema na região lombar. Desse modo, ele acabou retornando ao Brasil para se recuperar.[3].

Como treinador[editar | editar código-fonte]

A partir de 2011, iniciou trabalho como auxiliar-técnico no Grêmio. Nessa função, comandou a equipe em duas oportunidades, justamente contra o maior rival do clube, o Internacional. Em ambas, o Grêmio venceu pelo placar de 2 a 1.

Em 19 de fevereiro de 2014, foi anunciado como novo técnico do Juventude para a disputa do Campeonato Gaúcho e da Série C do Brasileirão.[4] Foi demitido após duas derrotas em casa, no dia 28 de julho de 2014.

Foi anunciado como treinador do Grêmio no dia 26 de maio de 2015.[5]

Como treinador do Grêmio, Roger venceu o histórico Grenal 407, num belo domingo de sol, e de comemoração do Dia dos Pais, válido pela 17° rodada do Brasileirão 2015 - Série A, realizado na Arena do Grêmio, com o histórico resultado de Grêmio 5 x 0 Internacional e casa cheia. Um dia que ficou para a história dos Grenais, para a história do Grêmio, de Roger e dos jogadores.

Ao final do Campeonato Brasileiro de 2015, após uma boa campanha e a afirmação de convicções táticas de Roger, o Grêmio garantiu a terceira colocação do campeonato, assegurando uma vaga para a Copa Libertadores da América do ano seguinte. Porém, o primeiro semestre de 2016 foi marcado pela irregularidade das apresentações do clube e, principalmente, pela desorganização defensiva do time de Roger. Dois pontos passaram a ser muito criticados no trabalho de Roger: As constantes falhas defensivas na bola aérea e a falta de objetividade ofensiva.

Vindo de péssimos resultados em sequência, Roger pediu demissão pós a derrota de 3 a 0 para a Ponte Preta no dia 15 de setembro de 2016.[6]

Em 30 de novembro de 2016, acertou com o Atlético Mineiro para 2017 .[7][8]

Em 20 de julho de 2017, foi demitido do Atlético Mineiro após perder dentro de casa para o Bahia por 2x0 e cair para a 11ª posição na tabela de classificação, ficando a 5 pontos da zona de rebaixamento.[9]

Em 22 de novembro de 2017, foi anunciado como novo técnico do Palmeiras para a temporada 2018.[10]

Cinco dias após o anúncio, o técnico foi apresentado na Academia pelo presidente do clube.[11]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 14 de junho de 2017.

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Grêmio 1994 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
1995 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
1996 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
1997 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
1998 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
1999 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2000 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2001 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2002 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2003 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Vissel Kobe 2004 28 3 0 7 1 0 35 4 0
2005 18 1 0 5 0 0 23 1 0
Total 46 4 0 12 1 0 0 0 0 0 0 0 58 5 0
Fluminense 2006 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2007 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
2008 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total na carreira 46 4 0 12 1 0 0 0 0 0 0 0 58 5 0

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos jogos e gols do futebolista pela Seleção Brasileira. Abaixo da tabela, clique em expandir para ver a lista detalhada dos jogos de acordo com a categoria selecionada.

Seleção principal

Ano
Jogos Gols Assist. Média
2001 1 0 0 0
Total 1 0 0 0

Estatísticas como treinador[editar | editar código-fonte]

Atualizado até 24 de novembro 2017.

Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Juventude 16 8 4 4 58,33%
Novo Hamburgo 32 12 15 5 53,21%
Grêmio 102 62 22 18 65,94%
Atlético Mineiro 43 23 9 11 60,4%
Palmeiras 0 0 0 0 0%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Grêmio
Fluminense

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Geraldo Delamore
Treinador do Juventude
2014
Sucedido por
Picoli
Precedido por
Luiz Felipe Scolari
Treinador do Grêmio
2015–2016
Sucedido por
Renato Gaúcho
Precedido por
Diogo Giacomini
Treinador do Atlético Mineiro
2017
Sucedido por
Rogério Micale
Precedido por
Alberto Valentim (interino)
Treinador do Palmeiras
2018–
Sucedido por