Roger Williams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Roger Williams
Nome completo Roger Williams
Nascimento 21 de dezembro de 1603
Londres, Inglaterra
Morte 18 de abril de 1683 (79 anos)
Providência, Rhode Island
Nacionalidade  Inglaterra
Cônjuge Mary Barnard
Ocupação Pastor, Autor e Ministro

Roger Williams (21 de dezembro de 1603 - 18 de abril de 1683),[1] foi um teólogo batista Inglês, um notável defensor da tolerância religiosa e da separação entre igreja e estado, além de ser um defensor de relações justas com os nativos americanos e abolicionista.[2][3] Em 1644, ele recebeu uma carta de criação da colônia de Rhode Island e a fundação de Providência, nomeado para a resolução que previa um refúgio para as minorias religiosas. É creditado frequentemente a Williams a origem da Primeira Igreja Batista na América. Ele é conhecido por ter deixado logo depois, exclamando: "Deus é grande demais para ser alojado sob um mesmo teto".


Biografia[editar | editar código-fonte]

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Williams nasceu no seio da Igreja da Inglaterra, em Londres, na Inglaterra, por volta de 1603. Ele tornou-se um puritano aos 12 anos de idade, contra a vontade de seu pai. Seu pai, James Williams (1572-1621), era um comerciante em Smithfield, Inglaterra. Sua mãe chamava-se Alice Pemberton (1564-1634).[4]

Quando jovem, Williams foi aluno de Sir Edward Coke (1552-1634), o jurista famoso e, sob o patrocínio da Coke's, Williams foi educado na Charterhouse e também no Pembroke College em Cambridge (BA, 1627). Ele parecia ter tido um talento especial para aprender outros idiomas, e cedo adquiriu familiaridade com o latim, grego, holandês e francês. Ele deu aulas para John Milton em holandês em troca de aulas de hebraico.[5]

Após graduar-se em Cambridge, Williams tornou-se capelão de uma família rica. Ele se casou com Maria Barnard (1609-76), em 15 de dezembro de 1629 na Igreja de High Laver, Essex, Inglaterra. Eles tiveram seis filhos, todos nascidos na América. Seus filhos são Maria, Freeborn, Providence, Mercy, Daniel e Joseph.[6]

Tempos antes do final de 1630, Williams decidiu que não poderia trabalhar na Inglaterra sob o rigoroso arcebispo William Laud's High igreja (e) sobre a administração, adotou uma posição de discordância. Ele recusou ofertas de preferência nas universidades e no estabelecimento da Igreja, e em vez resolveu procurar na Nova Inglaterra a liberdade de consciência, que lhe foi negada em casa.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Roger Williams (American religious leader)». Encyclopaedia Britannica. Consultado em 5 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 6 de fevereiro de 2017 
  2. «Roger Williams». History.com. A&E Television Networks. 2009. Consultado em 26 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2018 
  3. Barry, John M. (Janeiro de 2012). «God, Government and Roger Williams' Big Idea». Smithsonian. Consultado em 27 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2018 
  4. Rev. Z.A. Mudge, Foot-Prints of Roger Williams: A Biography, with sketches of important events in early New England History, with which he was connected, New York: Carlton & Lanahan. San Francisco: E. Thomas. Cincinnati: Hitchcock & Waldon. Sunday-School Department. (Entered according to Act of Congress, in the year 1871)
  5. Pfeiffer, Robert H. (April 1955). "The Teaching of Hebrew in Colonial America". The Jewish Quarterly Review. pp. 363–73. JSTOR 1452938.
  6. Barry, John M. (2012). Roger Williams and the Creation of the American Soul: Church, State, and the Birth of Liberty. New York: Viking. ISBN 978-0-670-02305-9. pp. 73-74, pp. 136-139.
  7. «"A Brief history of Jacob Belfry" Page 40, 1888». Consultado em 28 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 5 de março de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.