Roman Herzog

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roman Herzog
Presidente da Alemanha
Período 1 de julho de 1994
a 30 de junho de 1999
Antecessor(a) Richard von Weizsäcker
Sucessor(a) Johannes Rau
Vida
Nascimento 5 de abril de 1934
Landshut, Baviera
Morte 10 de janeiro de 2017 (82 anos)
Bad Mergentheim
Dados pessoais
Partido CDU
Profissão Economista
Assinatura Assinatura de Roman Herzog

Roman Herzog GColIH (Landshut, 5 de abril de 1934Jagsthausen, 10 de janeiro de 2017[1][2]) foi um político alemão. Filiado na União Democrata-Cristã (CDU), foi presidente da Alemanha de 1994 a 1999.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Landshut, Baviera numa família protestante. Era membro da Igreja Evangélica da Alemanha.[carece de fontes?]

Estudou Direito em Munique e deu aulas na Universidade de Munique, primeiro como assistente e desde 1964 como professor. Entre 1966 e 1969 lecionou na Universidade Livre de Berlim, de cuja faculdade de Direito foi decano, e de 1969 a 1972 foi docente na Escola Superior de Administração de Spira, da qual foi reitor desde 1971.

Em 1970 filiou-se na União Democrata-Cristã (CDU), e em 1973 iniciou a sua carreira política como representante do estado da Renânia-Palatinado junto do Governo Federal (1973-1978). Foi ministro de cultura e desportos no governo do estado de Baden-Württemberg entre 1978 a 1980 e membro do seu parlamento (Landtag). De 1980 até 1983 foi ministro do interior desse estado.

Em 1983 foi nomeado vice-presidente do Tribunal Constitucional Federal de Karlsruhe, instituição de que foi presidente de 1987 a 1994, quando foi eleito presidente federal da Alemanha pela Assembleia Federal (Bundesversammlung). Ocupou a presidência em 1 de julho de 1994.

Durante o seu mandato como chefe de estado executou as funções representativas que a Constituição confere à presidência federal, e neste sentido propiciou, com as visitas de estado que realizou a países da Europa Oriental, uma aproximação de Alemanha aos antigos países do Bloco Soviético. Propôs ao governo federal a concessão de uma amnistia aos acusados de crimes de índole política cometidos na antiga República Democrática Alemã.

Em 1995, durante a visita do presidente Roman Herzog ao Brasil, o hino da República Democrática Alemã, que já não era oficial há seis anos, foi erroneamente executado em vez do hino correto.

Recebeu o Prêmio Carlos Magno em 1997 e o reconhecimento como Estadista Europeu do Ano em conjunto com o checo Václav Havel. A 13 de Agosto de 1998 foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique.[4]

Herzog não optou por um segundo mandato e em 1 de julho de 1999 foi substituído por Johannes Rau, vencedor nas eleições de 23 de maio desse ano e presidente do estado da Renânia do Norte-Vestefália (filiado no Partido Social-Democrata da Alemanha).

A sua mulher Christiane Herzog faleceu em 19 de junho de 2000, e posteriormente Roman Herzog contraiu matrimônio com Alexandra Freifrau von Berlichingen.[1]

Herzog morreu nas primeiras horas do dia 10 de janeiro de 2017 com 82 anos de idade.[5]

Referências

  1. a b «Roman Herzog ist tot» (em alemão). Spiegel. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  2. Lusa (10 de janeiro de 2017). «Ex-presidente da Alemanha Roman Herzog morre aos 82 anos». Diário de Notícias. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  3. «Roman Herzog» (em espanhol). buscabiografias.com. Consultado em 15 de janeiro de 2011 
  4. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Roman Herzog". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de abril de 2016 
  5. «Gedenkseite von Roman Herzog». trauer.sueddeutsche.de (em alemão). Consultado em 18 de janeiro de 2017 
Precedido por
Richard von Weizsäcker
Presidente da Alemanha
1994 — 1999
Sucedido por
Johannes Rau