Romance epistolar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Romance epistolar é um livro escrito que usa uma técnica literária que consiste em desenvolver a história principalmente através de cartas, embora também sejam usadas entradas de diários e notícias de jornais. O nome "epistolar" vem do latim epistoláris "relativo a carta, epístola".[1] O objetivo desta técnica ao ser criada era dar maior realismo a uma história.

O romance epistolar teve seu auge de popularidade no século XVIII, declinando no século XIX.

Tipos:[editar | editar código-fonte]

Há três tipos de romances epistolares: monológicos (a obra é composta pelos textos de apenas uma personagem, exemplo: A Carta, de Pero Vaz de Caminha), dialógicos (a obra é composta pelos textos de duas personagens) e polilógicos (a obra é composta pelo texto de três ou mais personagens, exemplo: Crônica da Casa Assassinada, de Lúcio Cardoso ).

Romances epistolares famosos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.