Roque Aras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Roque Aras
Deputado federal pela Bahia
Período 1º de fevereiro de 1979
1º de fevereiro de 1983
Deputado estadual pela Bahia
Período 1º de fevereiro de 1975
1º de fevereiro de 1979
Vereador de Feira de Santana
Período 31 de janeiro de 1971
31 de janeiro de 1975
Dados pessoais
Nascimento 26 de abril de 1932 (88 anos)
Monte Santo, BA
Progenitores Mãe: Maria Ferreira Aras
Pai: José Aras
Cônjuge Zenaide Freitas Aras
Filhos Augusto Aras, Lina Maria, Roque Aras Júnior, Wanessa e Viviane
Partido MDB (1966-1979)
PTB (1980)
PMDB (1980-1986)
PT (1986-2000)
PV (2000-presente)
Profissão advogado

Roque Aras (Monte Santo, 26 de abril de 1932) é um advogado e político brasileiro. Foi deputado federal pela Bahia.[1][2]

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Filho de José Soares Ferreira Aras e Norma Ferreira Aras.[1] Gerente e inspetor do Banco Econômico antes de formar-se advogado pela Universidade Católica do Salvador em 1962, trabalhou em Feira de Santana como secretário municipal na gestão do prefeito Francisco Pinto e a seguir exerceu o cargo de juiz do trabalho na respectiva comarca.[3]

Membro da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil, ingressou no MDB após a instauração do Regime Militar de 1964 e por esta legenda foi eleito vereador em Feira de Santana nos anos de 1970 e 1972. Em 1974 foi eleito deputado estadual e no ano seguinte ascendeu à presidência do diretório estadual do MDB, cargo que ocupou até 1978 quando elegeu-se deputado federal.[4][2][nota 1] Em 1979 o governo do presidente João Figueiredo restaurou o pluripartidarismo e Roque Aras ingressou no PTB em respeito à liderança política de Leonel Brizola, mas logo migrou para o PMDB onde disputou a reeleição em 1982, mas não obteve êxito.

Em nova mudança partidária, ingressou no PT como candidato a senador em 1986 e a prefeito de Feira de Santana em 1988, mas não se elegeu em nenhuma das disputas. No segundo mandato de João Durval Carneiro como prefeito de Feira de Santana, retornou ao cargo de secretário municipal depois trabalhou junto à Advocacia Geral da União (1996-2001) e foi presidente da Fundação Cidadania e Iniciativa Popular (FUNCIP).[3][nota 2]

Pai de Augusto Aras, nomeado procurador-geral da República no governo Jair Bolsonaro em 26 de setembro de 2019.

Notas

  1. Conforme o Repositório de Dados Eleitorais do TSE, Roque Aras foi eleito deputado estadual com 12.476 votos em 1974 e eleito deputado federal com 18.918 votos em 1978.
  2. João Durval foi eleito prefeito de Feira de Santana pela segunda vez em outubro de 1992 e renunciou ao mandato em abril de 1994.

Referências

  1. a b «Biografia de Augusto Aras no CPDOC/FGV». Consultado em 1º de janeiro de 2019 
  2. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Roque Aras». Consultado em 6 de setembro de 2019 
  3. a b «Assembleia Legislativa da Bahia: deputado Roque Aras». Consultado em 6 de setembro de 2019 
  4. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 6 de setembro de 2019