Rosário Monumental de Montserrat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2013)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Vista do caminho com o mosteiro ao fundo.

O Rosário Monumental de Montserrat é um conjunto de obras escultóricas de cunho religioso situadas no caminho que conduz ao Mosteiro de Montserrat a à gruta onde foi encontrada a imagem da Virgem no ano 880.

O caminho foi escavado ao longo da Montanha de Montserrat entre 1691 e 1704, graças ao mecenato de Gertrudis de Camporrell, marquesa de Tamarit. Ao longo do seu percurso foram situados vários grupos escultóricos dedicados ao Santo Rosário e aos quinze mistérios da Virgem, construídos entre 1896 e 1916. As obras foram custeadas com doações particulares, sobretudo de confrarias e entidades católicas, graças ao apelo de Jaume Collell i Bancells, cónego da Catedral de Vic, que na revista jesuíta El Mensajero del Corazón de Jesús promoveu uma campanha para a construção do Rosário Monumental.

Na sua construção intervieram arquitetos como Antoni Gaudí, Josep Puig i Cadafalch e Enric Sagnier i Villavecchia, e escultores como Josep Llimona e os irmãos Agapit e Venanci Vallmitjana. Devido à sua variada autoria, o Rosário Monumental não tem um selo estilístico comum, mas em geral enquadra-se dentro do modernismo catalão. Em 1983 foi necessário refazer o Segundo Mistério Gozoso, A Visitação de Maria a Isabel; o novo grupo escultórico, em bronze, é da autoria do escultor Manuel Cusachs.

Os quinze mistérios[editar | editar código-fonte]

Mistérios Gozosos[editar | editar código-fonte]

Segundo Mistério Gozoso.

Obra do escultor Pujol i García, com um relevo de mármore de Francesc Pagès i Serratosa (1896).

Obra do arquiteto Enric Sagnier i Villavecchia e do escultor Venanci Vallmitjana (Visitação) (1902).

Obra do arquiteto Josep Puig i Cadafalch e do escultor Josep Llimona (1901)

Obra do arquiteto Joan Martorell e do escultor Josep Maria Barnadas (1904)

Obra do arquiteto Joan Martorell e do escultor Josep Maria Barnadas (1906)

Mistérios Dolorosos[editar | editar código-fonte]

Quarto Mistério Doloroso.
  • Primeiro Mistério Doloroso. Oração e Agonia de Jesus no Jardim das Oliveiras.

Obra do arquiteto Joaquim Codina i Matalí e do escultor Josep Campeny i Santamaria (1897)

  • Segundo Mistério Doloroso. A Flagelação de Jesus.

Obra do arquiteto Francisco de Paula del Villar y Carmona e do escultor Agapit Vallmitjana (1898)

  • Terceiro Mistério Doloroso. A Coroação de espinhos.

Obra do arquiteto Enric Sagnier i Villavecchia e do escultor Anselm Nogués (1901)

  • Quarto Mistério Doloroso. Jesus a caminho do Calvário e o encontro com Maria.

Obra do arquiteto Joan Martorell e do escultor Venanci Vallmitjana (1899)

Obra do arquiteto Josep Puig i Cadafalch e do escultor Josep Llimona (1896)

Mistérios Gloriosos[editar | editar código-fonte]

Primeiro Mistério Glorioso.

Obra do arquiteto Antoni Gaudí e dos escultores Josep Llimona (Cristo ressuscitado) e Dionís Renart (As Três Marias) (1903-1916)

Obra do arquiteto Bonaventura Bassegoda i Amigó e do escultor Josep Reynés (1903)

Obra do arquiteto Joan Martorell e do escultor Josep Maria Barnadas (?)

Obra do arquiteto Codina i Matalí e do escultor Venanci Vallmitjana (1900)

  • Quinto Mistério Glorioso. A Coroação de Maria.

Obra do arquiteto Joaquim Codina i Matalí e do escultor Joan Flotats (1906)

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Rosário Monumental de Montserrat

Notas

Bibliografia[editar | editar código-fonte]