Rosalind Pitt-Rivers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rosalind Pitt-Rivers
Nascimento Rosalind Venetia Henley
4 de março de 1907
Londres, Inglaterra
Morte 14 de janeiro de 1990 (82 anos)[1]
Hinton St Mary, Sturminster Newton, Dorset, Inglaterra
Nacionalidade britânica
Progenitores Mãe: Anthony Morton Henle
Pai: Sylvia Laura Stanley
Cônjuge George Henry Lane-Fox Pitt-Rivers (c. 1931–37)
Educação Notting Hill and Ealing High School
Alma mater Bedford College
Ocupação bioquímica, química
Prêmios FRS (1954)[2]
Empregador(a) National Institute for Medical Research

Rosalind Venetia Lane Fox Pitt-Rivers FRS[2] (Londres, 4 de março de 1907 - Sturminster Newton, 14 de janeiro de 1990) foi uma bioquímica britânica.[1] Em 1971, ela se tornou a segunda presidente da European Thyroid Association. Ela sucedeu Jean Roche e foi seguida por Jack Gross nesta posição, todos os três nomes inextricavelmente ligados à descoberta do hormônio tireoidiano tri-iodotironina (T3).[3]

Início de vida e educação[editar | editar código-fonte]

Pitt-Rivers nasceu Rosalind Venetia Henley em 4 de março de 1907 em Mansfield Street 18, Londres, a mais velha das quatro filhas do Hon. Anthony Morton Henley (1873–1925), um Capitão do 5th Royal Irish Lancers e sua esposa, a Hon. Sylvia Laura Stanley (1882–1980).[4][1] Seu pai era o terceiro filho de Anthony Henley, 3.º Baron Henley[5] e sua mãe a filha de Lord Stanley de Alderley.[1]

Ela foi educada em casa e mais tarde na Notting Hill High School aos treze anos. Seu interesse por química começou aos 12 anos, quando um tio lhe deu um conjunto de química.[2] Mais tarde, ela estudou no Bedford College (Universidade de Londres), onde recebeu o título de bacharel em Ciência em 1930 com honras de primeira classe, e um Master of Science em 1931.[1][6]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 1931 se casou como segunda esposa com George Pitt-Rivers (1890–1966), antropólogo e eugenista, um dos homens mais ricos da Inglaterra,[7] e neto de Augustus Pitt Rivers (1827–1900), que fundou um museu de antropologia com o seu nome em Oxford. Ela se tornou a madrasta dos dois meninos de seu primeiro casamento, Michael e Julian. Ela deu à luz um filho, Anthony, em 1932, mas o casamento foi dissolvido em 1937.[1][6][8] Durante o casamento, seu marido havia se tornado cada vez mais pró-eugênico e antissemita, aproximando-se dos eugenistas alemães e elogiando Mussolini e Hitler; em 1940 ele foi internado na Torre de Londres sob o Regulamento de Defesa 18B.[8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Depois que ela se separou de Pitt-Rivers em 1937, ela voltou a estudar e obteve um PhD em Bioquímica na faculdade de medicina da University College em 1939.[9]

Ela se juntou à equipe científica do National Institute for Medical Research (NIMR) em Mill Hill London em 1942, o maior instituto do Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido (MRC).[2] Mais tarde, ela se tornou chefe da Divisão de Química e se aposentou em 1972.[10]

Depois de ajudar Jack Gross com a descoberta do hormônio T3 e publicar suas descobertas no The Lancet em 1952[11] ela ganhou reconhecimento internacional.[1] Ela foi eleita Membro da Royal Society (FRS) em 1954.[2] Em 1973 foi nomeada fellow do Bedford College de Londres, em 1983 fellow honorária da Royal Society of Medicine e, em 1986, fellow honorária do Royal College of Physicians.[1]

Suas publicações com Jamshed Tata incluem The Thyroid Hormones (1959); The Chemistry of Thyroid Diseases (1960); e (com WR Trotter) The Thyroid Gland (1964).[1][12][13]

Referências

  1. a b c d e f g h i «Rivers, Rosalind Venetia Lane Fox Pitt- (1907–1990)». Oxford Dictionary of National Biography. Consultado em 19 de outubro de 2012 
  2. a b c d e Tata, J. R. (1994). «Rosalind Pitt-Rivers 4 March 1907 – 14 January 1990». Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society. 39. 326 páginas. doi:10.1098/rsbm.1994.0019 
  3. Milestones in European Thyroidology
  4. «Rosalind Venetia Henley (Person Page – 5631)». The Peerage. Consultado em 1 de novembro de 2012 
  5. Mosley, ed. (1999). Burke's Peerage & Baronetage 106 ed. [S.l.]: Burke's Peerage (Genealogical Books) Ltd. ISBN 2-940085-02-1 
  6. a b Haines, Catherine M. C.; Stevens, Helen M. (2001). «Pitt-Rivers, Rosalind Venetia». International Women in Science: A Biographical Dictionary to 1950. Santa Barbara, Calif. [u.a.]: ABC-CLIO. pp. 247–248. ISBN 978-1-57607-090-1. Rosalind Pitt-Rivers. 
  7. McKellar, Ladnis. (2014). Captain George Henry Lane-Fox Pitt-Rivers and the origins of the ISSP
  8. a b Hart, Bradley W. (2015). George Pitt-Rivers and the Nazis. [S.l.]: Bloomsbury Academic. pp. 71, 176. ISBN 978-1-4725-6995-0 
  9. «PITT-RIVERS, Dr Rosalind Venetia». Who Was Who. Consultado em 19 de outubro de 2012 
  10. Medical Research Council Annual Report 1972-1973. 129: HMSO. 1973. ISBN 0102355738 
  11. Gross, J.; Pitt-Rivers, R. (1952). «The Identification of 3:5:3'-L-Triiodothyronine in Human Plasma». The Lancet. 259: 439–41. PMID 14898765. doi:10.1016/S0140-6736(52)91952-1 
  12. The chemistry of thyroid diseases (Book, 1960) [WorldCat.org]. [S.l.: s.n.] OCLC 216724374 
  13. «Pitt-Rivers, Rosalind [WorldCat Identities]». WorldCat. Consultado em 1 de novembro de 2012