Agência Espacial Federal Russa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rosaviakosmos)
Ir para: navegação, pesquisa
Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos)
Roscosmos logo ru.svg
Tipo estatal
Indústria Exploração espacial
Fundação 1992 (24 anos)
Sede Moscou
Pessoas-chave Vladimir Popovkin, diretor geral
Página oficial roscosmos.ru

A Corporação Estatal de Atividades Espaciais Roscosmos (em russo: Государственная корпорация ïî космической деятельности; Роскосмос), vulgarmente conhecida como Roscosmos (em russo: Роскосмос) é o órgão governamental responsável pelo programa de ciência espacial e pesquisa geral aeroespacial da Rússia.

A corporação foi estabelecida com base na agora extinta Agência Espacial Federal em 28 de dezembro de 2015. A Roscosmos era anteriormente conhecida como Agência Russa de Aeronáutica e Espaço (em russo: Российское авиационно-космическое агентство; Rossiyskoe aviatsionno-kosmicheskoe agentstvo, vulgarmente conhecido como Rosaviakosmos).[1][2]

A sede da Roscosmos está localizada em Moscou, enquanto o principal centro de controle de missão espacial está localizado na cidade vizinha de Korolev. O Centro de Formação Cosmonautas (GCTC) está fica na Cidade das Estrelas. O diretor da Roscosmos esde janeiro de 2015 é Igor Komarov.

As instalações de lançamento utilizados são o Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão (o mais usado) e o Cosmódromo de Vostochny, sendo construído no Extremo Oriente Russo, no oblast de Amur.

História[editar | editar código-fonte]

O salão da tecnologia espacial no museu de história espacial em Kaluga, Rússia. A exibição inclui modelos e réplicas das seguintes realizações Soviético-Russas:
o primeiro satélite artificial, o Sputnik 1;
o primeiro traje espacial;
a primeira espaçonave tripulada, Vostok 1;
o primeiro satélite Molniya;
o primeiro jipe de exploração espacial, o Lunokhod 1;
a primeira estação espacial, a Salyut 1;
a primeira estação espacial modular, a Mir.

Fundação[editar | editar código-fonte]

A Roscosmos foi estabelecida em 1992, após a queda da União Soviética e a dissolução do programa espacial soviético. Ainda utiliza a tecnologia e as antigas instalações do programa espacial anterior. A maioria de seus centros de lançamentos estão localizados no Casaquistão e são mantidos em cooperação com o governo desse país. A Roscosmos é responsável pelo programa espacial civil, incluindo vôos espaciais tripulados e não tripulados.

Do mesmo modo que durante o programa espacial soviético, a Roscosmos constantemente tem problemas com a falta de fundos. Este fator tem complicado os esforços de lançar missões desafiadoras, tais como missões lunares e a cooperação na construção da Estação Espacial Internacional - EEI. Com a crise da falta de recursos financeiros a agência tem improvisado procurando outras fontes de recursos, tais como o turismo espacial e o lançamento comercial de satélites. Enquanto não tem desenvolvido missões científicas com lançamentos de sondas interplanetárias a Roscosmos mantém experimentos e é um parceira importante no envio de tripulantes e cargas para a EEI.

Século XXI[editar | editar código-fonte]

Com o crescimento da economia Russa resultante do aumento das exportações e da alta no preço do gás e do petróelo, a situação da agência tem melhorado. Como resultado disso o parlamento Russo (Duma) aprovou um orçamento de 305 bilhões de rubras (cerca de US$11 bilhões) para o período de 2006-2015.[3] O orçamento de 2006 foi de 25 bilhões de rubras (cerca de US$900 bilhões), 33% maior que o orçamento de 2005. Para melhorar seu orçamento a Roscosmos planeja obter mais 130 bilhões de rubras através de outros meios, como investimentos industriais e lançamentos comerciais.

Programas[editar | editar código-fonte]

Módulo Zarya

Esta agência é uma das envolvidas no programa da Estação Espacial Internacional. A RKA também proporciona turismo espacial atráves da companhia Space Adventures.

A RKA opera ainda num variado leque de programas científicos para o planeta Terra, comunicações e de investigação científica. Um dos projetos mais interessantes da Roscosmos é o chamado Mars 500, uma simulação de uma viagem tripulada de ida e volta até o planeta Marte. Com previsão para iniciar no início de 2009, essa missão será realizada nas instalções do Instituto de Problemas Biomédicos da Rússia onde foram criados módulos pressurizados para comportar 6 tripulantes.

Estação Espacial Internacional[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Segmento Orbital Russo

A Agência Espacial Russa é um dos parceiros do programa da Estação Espacial Internacional (EEI); contribuiu com os módulos espaciais Zarya e Zvezda, que foram lançados por foguetes Proton e mais tarde juntaram-se ao Unity Node da NASA. O módulo Rassvet foi lançado a bordo do foguete espacial Atlantis[4] e será usado principalmente para o armazenamento de carga e como um porto de ancoragem para visitas de naves espaciais. O módulo Nauka foi o último componente da EEI montado pela Roscosmos e foi lançado em novembro de 2015.[5]

A Roscosmos é ainda responsável pelos lançamentos das tripulação de expedições à EEI pela espaçonave Soyuz-TMA, além de reabastecer a estação espacial com transportadores espaciais Progress. Depois que o contrato inicial da EEI com NASA expirou, a RKA e a agência estadunidense, com a aprovação do governo dos Estados Unidos, entraram em um contrato que teve vigência até 2011, no qual a Roscosmos vendeu vagas na nave espacial Soyuz para a NASA por aproximadamente 21 milhões de dólares por pessoa em cada sentido (42 milhões de dólares ida e volta por pessoa), bem como forneceu voos no Progress (50 milhões por voo).[6]

A RKA também fornece turismo espacial para passageiros pagando tarifa à ISS através da empresa Space Adventures.[7]

Controle de lançamento e Administração[editar | editar código-fonte]

A sede da Roscosmos está localizada em Moscou, enquanto o centro de operações de missões espaciais está localizado na cidade vizinha de Korolev. O diretor-geral da agência é Igor Komarov. O Centro de Formação de Cosmonautas na Cidade das Estrelas. Os centros de lançamentos utilizados são o Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão (a principal instalação de lançamento da Roscosmos), o Cosmódromo de Plesetsk (usado principalmente para voos não tripulados e militares) e o Cosmódromo de Vostochny, que tende a se tornar a principal base de lançamentos no futuro.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Avaneesh Pandey (28 de dezembro de 2015). «Russia's Federal Space Agency Dissolved, Responsibilities To Be Transferred To State Corporation». International Business Times. 
  2. «Vladimir Putin abolishes Russian space agency Roscosmos - The Financial Express». The Financial Express. 28 de dezembro de 2015. 
  3. Rússian govt agrees 12.5 bln eur 10-yr space programme - Forbes.com
  4. Chris Gebhardt (9 de abril de 2009). «STS-132: PRCB baselines Atlantis' mission to deliver Russia’s MRM-1». NASAspaceflight.com. Consultado em 12 de novembro de 2009. 
  5. «Russian Launch Manifest». sworld.com.au. 2015. Consultado em 15 de junho de 2014. 
  6. [1][ligação inativa]
  7. Shiryaevskaya, Anna (12 de janeiro de 2011). «Space Adventures, Russia Agree to Expand Tourist Trips in 2013». Bloomberg Businessweek [S.l.: s.n.] Arquivado desde o original em 16 de janeiro de 2011. 
  8. Público, : (28 de abril de 2016). «A Rússia inaugurou um novo cosmódromo». Consultado em 20 de abril de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]