Roteiro de quadrinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Roteiro de quadrinhos é o termo utilizado para descrever um documento narrativo utilizado como diretriz para histórias em quadrinhos.

Não há formas prescritas de roteiros de quadrinhos, mas existem dois estilos dominantes na indústria de quadrinhos tradicionais, o full script (vulgarmente conhecido como estilo DC) e o plot script (estilo Marvel ou método Marvel).[1][2]

Full script[editar | editar código-fonte]

Neste estilo, o escritor descreve toda a história, página por página, quadro a quadro, descrevendo a ação, personagens e, por vezes, fundos e pontos de vista de cada quadro, bem como todos as legendas e balões de diálogo. Durante décadas, este foi o formato preferido das revistas publicadas pela DC Comics.

Plot script[editar | editar código-fonte]

Nesses estilo, o ilustrador trabalha a partir de uma sinopse da história feita pelo roteirista, em vez de um roteiro completo. O ilustrador cria página-a-página e adiciona detalhes na trama, após isso, o trabalho é devolvido para o roteirista adicionar os diálogos. Devido ao seu uso generalizado na Marvel Comics no início dos anos 1960, principalmente pelo editor e roteirista Stan Lee e os quadrinistas Jack Kirby e Steve Ditko, esta abordagem tornou-se conhecido como o "método Marvel".[3]

Em Uma variação do plot script, atribuída a Harvey Kurtzman, o escritor divide a história em rafes ou esboços em thumbnails, com legendas e diálogos anotou dentro dos rafes. O ilustrador (que é muitas vezes é co-autor da história), segue os rafes e desenha a história completa. Os quadrinistas Frank Miller e Jeff Smith seguem esse modelo, que também era usado por Archie Goodwin.[1]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.