Rudolf Serkin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Rudolf Serkin
Nascimento 28 de março de 1903
Cheb
Morte 8 de maio de 1991 (88 anos)
Guilford
Cidadania Áustria
Ocupação pianista, músico
Prêmios National Medal of Arts, Medalha Presidencial da Liberdade, Prêmio Kennedy

Rudolf Serkin (28 de março de 1903 - 8 de maio de 1991) foi um pianista, concertista, e professor austríaco.

Rudolf Serkin nasceu em Eger, na Boémia, então Império Austro-Húngaro (atual República Checa). Como desde cedo demonstrou muito talento, foi mandado para Viena aos nove anos, onde ele estudou piano com Richard Robert e composição com Joseph Marx, fazendo sua estreia pública com a Orquestra Filarmônica de Viena aos doze anos de idade. De 1918 até 1920 ela estudou composição com Arnold Schoenberg e participou ativamente da sociedade criada por Schoenberg para apresentações privadas de música. Ele começou sua carreira em concertos em 1920, vivendo em Berlim com o violinista alemão Adolf Busch e sua família, que incluía a filha do casal de três anos de idade, Irene, com quem Serkin casou quinze anos mais tarde.

Na década de 1920 e no início da década de 1930 Serkin apresentou-se na Europa como solista com o Quarteto Busch. Com o crescimento da popularidade de Hitler na Alemanha, em 1933 Serkin e os Busch (a família não era judia mas estava radicalmente contra o regime nazista) saíram de Berlim para Basileia, na Suiça.

Em 1933 Serkin fez a sua estreia nos Estados Unidos, no Festival Coolidge em Vienna, na Virgínia, onde se apresentou com Adolf Busch. Em 1936 ele começou sua carreira como solista com a Filarmônica de Nova Iorque, sob Arturo Toscanini. Os críticos receberam-no com entusiasmo, chamando o pianista de "um artista de talento impressionante, fora do comum quem possui uma técnica cristalina, bastante força e pureza tonal". Em 1937, tocou seu primeiro recital em Nova Iorque no Carnegie Hall.

Logo depois do inicio da Segunda Guerra Mundial, em 1939, os Serkin e os Busch emigraram para os Estados Unidos onde Serkin foi professor de varias gerações de pianistas no Instituto Curtis de Música em Filadélfia. Serviu com diretor do instituto de 1968 a 1976, morando com sua família primeiro em Nova York e depois em Filadélfia, alem de viver numa fazenda de gado leiteiro em Guilford, no Vermont.

Em 1951, Serkin e Adolf Busch fundaram a Escola de Música Marlboro, no Estado de Vermont e o Festival, perto de Brattleboro para estimular interesse na apresentação de música de câmara nos Estados Unidos. Entre as décadas de 1940 e 1980 ele fez muitas gravações, principalmente para o selo Columbia, incluindo uma para RCA Victor do Concerto No.4 para Piano e Orquestra de Beethoven com a Orquestra Sinfónica de NBC regida por Arturo Toscanini. Serkin foi admirador da música de Max Reger, compositor que ele descobriu enquanto trabalhava com Adolf Busch. Em 1959, Serkin foi o primeiro pianista nos Estados Unidos de gravar o Concerto para Piano, Op.114 de Reger, com Eugene Ormandy e a Orquestra de Filadélfia.

Serkin foi condecorado com a Medalha Presidencial de Liberdade em 1963, e em março de 1972 marcou a sua centésima apresentação com a Filarmónica de Nova York tocando o Concerto para piano em ré menor, Op.15 de Brahms. Os membros da orquestra e a direção o declarou Membro Honorário da Sociedade Sinfónica de Nova York, uma homenagem recebida por Aaron Copland, Ígor Stravinsky, e Paul Hindemith.

Reconhecidamente entre os principais interpretes de Beethoven no século XX, foi um "músico dos músicos", uma figura paterna para inúmeros jovens músicos que frequentaram a Escola e Festival de Marlboro e um pianista de extraordinária integridade. Continuou a viajar pelo mundo, a tocar, e a gravar, até 1989. Morreu de câncer com 88 anos, em 8 de maio de 1991, na sua fazenda em Guilford, Vermont.

Ele e Irene tiveram sete filhos (um morreu na infância), incluindo o pianista Peter Serkin e a violoncelista Judith Serkin. Eles também tiveram quinze netos. Irene Busch morreu em 1998.

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências