Rui Barreto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rui Barreto
Secretário regional da Economia
Período 15 de outubro de 2019
à atualidade
Antecessor(a) Pedro Calado (enquanto vice-presidente do Governo Regional)
Deputado à Assembleia Legislativa da Madeira
Período XI legislatura
Deputado à Assembleia da República
Período 2012
a 2015
Dados pessoais
Nome completo Rui Miguel da Silva Barreto
Nascimento 16 de setembro de 1976 (45 anos)
Funchal, Portugal
Nacionalidade Portuguesa
Alma mater Instituto Superior de Línguas e Administração
Partido CDS - Partido Popular
Profissão gestor
Ocupação político

Rui Miguel da Silva Barreto (São Pedro, Funchal, 16 de setembro de 1976) é um gestor e político português, militante do CDS - Partido Popular. De momento, exerce as funções de secretário regional da Economia no atual governo regional da Madeira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É licenciado em Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Línguas e Administração.

Foi presidente da Assembleia Municipal de Santana, vereador da Câmara Municipal do Funchal, deputado à Assembleia da República e à Assembleia Legislativa da Madeira. Atualmente, é secretário regional da Economia, no governo regional de coligação entre o Partido Social Democrata e o CDS - Partido Popular.[1]

Rui Barreto pediu ajuda a César do Paço, agora ligado do Chega, por dificuldades em financiar a campanha de 2019, mas não declarou o empréstimo ao Tribunal Constitucional.[2] Na campanha eleitoral de 2019, em agosto, Rui Barreto aceitou um empréstimo do empresário César do Paço, uma personalidade que tinha acabado de conhecer. Os 29.880 euros eram para o partido, mas foi transferido para a conta pessoal de Barreto e de outras cinco pessoas muito próximas. César do Paço pediu o dinheiro de volta praticamente um ano depois, em julho de 2020. Mas Barreto não o devolveu. A data de devolução do valor emprestado aconteceu depois de a SIC ter perguntado a Rui Barreto, no âmbito do projeto Extremos, porque aceitara um empréstimo de César do Paço.[3] O líder centrista madeirense, Rui Barreto, disse ter colocado à disposição o cargo de secretário da Economia, no governo PSD/CDS-PP, na sequência de suspeitas sobre o financiamento do partido, mas o chefe do executivo manteve a "confiança política".[4] O Presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos também mostrou confiança no líder madeirense dado que não foi registado nenhum empréstimo ao partido.[5]

Referências

  1. MadreMedia / Lusa (7 de abril de 2017). «Candidatura de Rui Barreto, pelo CDS, é "dever de cidadania" para com o Funchal». SAPO 24. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  2. «Madeira. Governante do CDS omitiu empréstimo ao Tribunal Constitucional». Jornal Expresso. Consultado em 18 de maio de 2021 
  3. «Empréstimo ao CDS-Madeira. Rui Barreto afirma estar de consciência tranquila». SIC Notícias. Consultado em 18 de maio de 2021 
  4. «Líder do CDS-PP/Madeira obtém "confiança política" apesar de suspeitas». Notícias ao Minuto. 17 de abril de 2021. Consultado em 18 de maio de 2021 
  5. Lusa, Agência. «Presidente do CDS-PP renova confiança em Rui Barreto». DNOTICIAS.PT. Consultado em 18 de maio de 2021