Rui Massena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde dezembro de 2015)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rui Massena
Rui Massena no Colégio D. Diogo de Sousa
Informação geral
Nascimento 1972 (45 anos)
Origem Vila Nova de Gaia
País  Portugal
Gênero(s) Erudito e outros
Instrumento(s) piano
Período em atividade 2000-atualidade
Página oficial http://www.ruimassena.pt

Rui Massena (Vila Nova de Gaia, 1972) é um maestro e compositor português.

Ajudou a transformar Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura num caso de sucesso. Ligado como programador a Guimarães 2012, Rui Massena deixou sementes para o futuro com a Fundação Orquestra Estúdio, uma instituição singular, que conseguiu um tremendo sucesso de bilheteira e onde se combinam talentos de mais de duas dezenas de nacionalidades. E aí é possível ver marcas do talento único de Rui Massena: um maestro não se limita a dirigir as diferentes secções da orquestra, mas tem que saber harmonizar diferentes posturas, culturas, linguagens.

Essa visão tem distinguido o trabalho do maestro Rui Massena. Embarcou de corpo e alma na aventura Expensive Soul Symphonic Experience, um espectáculo onde a orquestra clássica encontrou espaço ao lado do moderno hip hop dos nortenhos Expensive Soul e que rendeu um DVD de sucesso (o mais vendido em Portugal em 2012).

A Academia de Artes e Ciências do Brasil atribui-lhe em 2013 a Medalha de Mérito Cultural, tal como a sua cidade natal, Vila Nova de Gaia, que lhe entregou a Medalha de Ouro de Mérito Cultural e Científico. Já o festival Rose d'Or, em Berlim, fez da sua série televisiva, "Música Maestro", finalista na categoria de Artesl.

Foi Diretor Artístico e Maestro Titular da Orquestra Clássica da Madeira entre 2000 e 2012 - e que lhe permitiu trabalhar com nomes tão sonantes como os de José Carreras, Ute Lemper, Wim Mertens, Ivan Lins, Dulce Pontes ou Mário Laginha e Bernardo Sassetti.

Editou um disco ("Solo") para piano que revela também a faceta de compositor.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a estudar piano com seis anos com o compositor César de Morais pai da consagrada pianista Maria José Morais com quem também estudou piano. Cedo foi reconhecido como um talento para a música. Concluiu a sua formação complementar de música, com o piano como instrumento principal na Academia de Música de Vilar do Paraíso.

Formou-se como Maestro na Academia Nacional Superior de Orquestra de Lisboa, no ano 2000.

Foi convidado à titularidade como Maestro e Diretor Artístico na Orquestra Clássica da Madeira em 2000, cargo que ocupou até 2013. Durante o período de 2007 até 2012 foi também o Director pedagógico do Cepam - Conservatório das Artes da Madeira, com 100 professores e 1500 alunos, numa integração pelo desenvolvimento da música na Região Autónoma da Madeira.

Em 2010, foi convidado para Programar a área da música na Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura onde construiu o projecto orquestral que se transformou num case-study, com 100% de sucesso de bilheteira, e muito acarinhado pela população de Guimarães - Fundação Orquestra Estúdio.

Como co-autor, em 2013 criou o projeto televisivo " Música, Maestro ", um retrato da música erudita em Portugal e um veículo de aproximação da população à Música Clássica.

Dirigiu cerca de 30 orquestras em 14 Países. Destaca-se que foi o primeiro maestro Português a dirigir no Carnegie Hall em Nova Iorque e esteve dois anos, de 2009 a 2011, como o principal maestro convidado da Orquestra Sinfónica de Roma.

Desde 2013 que se dedicou a criar o seu próprio universo sonoro, acumulando a sua atividade de Maestro e Comunicador com a composição.

Em 2015, lançou "Solo" , nome do seu primeiro disco, lançado pela etiqueta Universal Music, com a qual assinou um contrato de artista.

Outros Músicos[editar | editar código-fonte]

Sobre Massena, o músico Mário Laginha diz que é “um dos raros maestros que não tem medo de arriscar”. Prova disso foi o trabalho desenvolvido com os Da Weasel, um marco de ousadia sonora, no qual a música erudita e o hip-hop se cruzaram. Mais um exemplo do espírito livre do Maestro foi a programação musical para a Capital Europeia da Cultura – Guimarães 2012. Nesse ano, além de criar a Fundação Orquestra Estúdio, montou, com a banda pop Expensive Soul, a Expensive Soul Symphonic Experience — uma ponte musical de várias linguagens de expressão, com a música pop e a música clássica de mãos dadas.

Esta originalidade de criação é-lhe amplamente legitimada. Para o Maestro António Vitorino de Almeida, primeiro diretor artístico do festival Vilar de Mouros, Massena é “um dos músicos mais importantes da sua geração”.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.