Rui Tavares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rui Tavares
Político de Portugal
Período 2009 - 2014
Dados pessoais
Nascimento 29 de julho de 1972 (46 anos)
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Partido LIVRE/Tempo de Avançar
Profissão escritor, tradutor, historiador e político

Rui Miguel Marcelino Tavares Pereira (Lisboa, 29 de julho de 1972) é um escritor, tradutor, historiador e político português.

Embora natural de Lisboa, Rui Tavares passou parte da sua infância numa aldeia do Ribatejo[1]. Licenciou-se em História, variante de História da Arte, pela Universidade Nova de Lisboa, e doutorou-se em História, pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris[2].

É especialista em história e cultura do século XVIII.[3]

Colabora com o jornal Público,[3] a revista Blitz e é comentador residente no programa O Outro Lado na RTP3.

Foi um dos criadores do blogue Barnabé em conjunto com Daniel Oliveira, André Belo, Celso Martins e Pedro Aires Oliveira. Escreve atualmente no blogue pessoal ruitavares.net.

Foi eleito em 2009 deputado para o Parlamento Europeu como independente integrado na lista do Bloco de Esquerda.

Em 2011 Rui Tavares abandonou a delegação do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu, acusando Francisco Louçã de promover uma “caça ao independente” e de ser incapaz de lidar com opiniões contrárias[4]

Rui Tavares é um dos fundadores do partido político LIVRE.[5]

Segundo um estudo realizado pela empresa de consultoria de comunicação Imago-Llorente & Cuenca, em parceria com a Universidade Católica Portuguesa, divulgado em março de 2015, Rui Tavares é o político mais influente da rede social Twitter, em Portugal.[6]

Obras[editar | editar código-fonte]

Publicou nas Edições tinta-da-china:

  • O Pequeno Livro do Grande Terramoto (2005, ensaio)[3]
  • Pobre e Mal Agradecido: A Educação Patalógica de Rui Tavares (2006)
  • O Arquitecto (2007, teatro)[3]
  • O Regicídio (2008, com Maria Alice Samara)
  • O Fiasco do Milénio (2009, crónicas)
  • A Ironia do Projeto Europeu (2014)
  • Esquerda e Direita: Guia Histórico para o Século XXI (2015)
  • O Censor Iluminado: Ensaio sobre o Sec. XVIII e a Revolução Cultural do Pombalismo (2018)

Referências

  1. Público
  2. ISCTE
  3. a b c d «Rui Tavares». jornal Público. Consultado em 3 de Fevereiro de 2014. 
  4. «Rui Tavares diz-se vítima de "caça ao independente" lançada por Louçã». Sapo notícias. 22 de junho de 2011  Texto "accessdate2011-06-22" ignorado (ajuda)
  5. «Partido Livre inicia hoje congresso fundador e de eleição de órgãos». Jornal iOnline. 31 de Janeiro de 2014. Consultado em 3 de Fevereiro de 2014. 
  6. «Rui Tavares é o político mais influente no Twitter, revela estudo». Público. 31 de março de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.