Rumélia Oriental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Източна Румелия
روم الى شرقى
Ανατολική Ρωμυλία

Rumélia Oriental

província autônoma do Império Otomano
(Sob o controle do Principado da Bulgária a 1885)

Ottoman flag.svg
1878 – 1908 Flag of Bulgaria.svg
Localização de Rumélia Oriental
Rumélia Oriental (vermelho e listras laranja) entre o Principado da Bulgária eo Império Otomano.
Continente Europa
Capital Plovdiv
Governo Não especificado
História
 • 13 de Julho de 1878 de 1878 Tratado de Berlim
 • 17 de Abril de 1886 de restauração nominal da soberania otomana
 • 5 de Outubro de 1908 de 1908 Incorporado a Bulgária

A Rumélia Oriental (em búlgaro: Румелия Източна - Iztochna Rumelia; em turco: روم الى شرقى - Rumeli Şarkı-i; Ανατολική - Anatoliki Romylia) foi uma província autónoma administrativa (vilaiete) do Império Otomano entre 1878-1908. Fica sob controle búlgaro completo a partir de 1885, quando voluntariamente se uniu com o Principado da Bulgária largamente autónomo depois de uma revolução sem derramamento de sangue. Os búlgaros étnicos compunham a maioria absoluta demográfica da Rumélia Oriental. Sua capital era Plovdiv. Atualmente, a Rumélia Oriental (a maior parte do norte da Trácia) faz parte da Bulgária.

História[editar | editar código-fonte]

A Rumélia Oriental foi criada como uma província autônoma dentro do Império Otomano pelo Tratado de Berlim em 1878. Abrangeu o território entre a cordilheira dos Balcãs, os montes Ródope e maciço de Strandzha, uma região conhecida por todos os seus habitantes - búlgaros, turcos otomanos, romanos, gregos, armênios e judeus - como o Norte da Trácia. O nome Rumélia Oriental foi dado à província por insistência dos britânicos para o Congresso de Berlim: a noção de Rumélia Otomana refere-se a todas as regiões europeias do império, ou seja, aqueles que, na Antiguidade, estavam sob o domínio do Império Romano. Cerca de vinte povos Pomacos (muçulmanos búlgaros) do Ródope se recusaram a reconhecer a autoridade da Rumélia Oriental e formaram a chamada República de Tamrash.

Depois de uma revolução sem derramamento de sangue em 6 de setembro de 1885, a província foi anexada pelo Principado da Bulgária. Após a vitória da Bulgária na subseqüente Guerra Servo-Búlgara, o status quo foi reconhecido pela Sublime Porta com o Acordo de Tophane de 24 de março de 1886. Com a Lei Tophane, o Sultão Abdulamide II nomeou o príncipe da Bulgária (sem mencionar o nome do príncipe Alexandre da Bulgária) como governador-geral da Rumélia Oriental, mantendo assim a distinção formal entre o Principado da Bulgária e Rumélia Oriental [1] e preservando a carta do Tratado de Berlim. [2] No entanto, ficou claro para as grandes potências que a união entre o Principado da Bulgária e Rumélia Oriental era permanente, e não para ser dissolvido. [3] A República de Tamrash e região de Kardzhali foram reincorporados no Império Otomano. A província ficou nominalmente sob suserania otomana até que a Bulgária se tornou independente de jure, em 1908. O dia 6 de setembro, Dia da Unificação, é um feriado nacional na Bulgária.

Referências

  1. Emerson M. S. Niou, Peter C. Ordeshook, Gregory F. Rose. The balance of power: stability in international systems, 1989, p. 279.
  2. Stanley Leathes, G. W. (George Walter) Prothero, Sir Adolphus William Ward. The Cambridge Modern History, Volume 2, 1908, p. 408.
  3. Charles Jelavich, Barbara Jelavich. The establishment of the Balkan national states, 1804-1920, 2000, p. 167.