Russismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Russismo[1] (do em inglês: «Russia, Russian», diz Rasha, e em italiano: «fascismo», do qual a desinência -ismo; em russo: рашизм) palavra ucraniana usada para designar a ideologia política e práticas sociais do regime governante da Rússia no primeiro trimestre do XXI Arte .[2][3][4]

Etimologia e definições[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Marcha em memória de Boris Nemtsov em Moscou em 27 de fevereiro de 2016. Vista interior. Cartaz "Pare de rusismo"

O termo tornou-se difundido em círculos informais em 2008 - durante a guerra russo-georgiana de 2008.[5][6][7][8][9] A segunda onda de proliferação deste termo ocorreu durante a anexação da República Autônoma da Crimeia pela Federação Russa, a queda de um Boeing 777 perto de Donetsk em 17 de julho de 2014 e o início da a guerra russo-ucraniana em 2014.[10]

Introduzido pela primeira vez por Herzen em seu romance Былое и думы [Минуле і думи] (1868) na forma de " russianismo " para denotar a tendência extremista no moscovite. O renascimento do termo se deve ao Presidente da República Chechena da Ichkeria Dzhokhar Dudayev.[11]

Entre os muitos movimentos nacionalistas radicais da década de 1990 na Rússia, o Partido Nacional do Povo da Rússia (NPP), de extrema direita fascista, fundado em 1994 por Alexander Ivanov-Sukharevsky, um diretor educacional, e Alexei Shiropaev, inspirado no fascismo de estilo italiano, fingiu ser russo, ortodoxo e movimentos cossacos e difundiu a ideologia que ela chamou de " russismo ". Essa ideologia era uma combinação de populismo, misticismo racial e anti- semita, ambientalismo nacional, ortodoxia e nostalgia pelo rei. O partido tinha apenas alguns milhares de membros, mas historicamente influenciou a cena extraparlamentar na Rússia através dos conhecidos jornais Ya Russky, Nasledie Predkov e Era Rossii. O partido logo teve problemas com a lei por incitar o ódio étnico, Ya Russkiy acabou sendo banido em 1999 e Ivanov-Sukharevsky foi condenado a vários meses de prisão, mas após sua libertação ele permaneceu uma figura importante nos círculos próximos à União. escritores. da Rússia e continuou suas atividades.[12]

O cientista político russo Andrei Piontkovsky argumenta que a ideologia do fascismo russo é em muitos aspectos semelhante ao fascismo alemão (nazismo), enquanto os discursos do presidente Vladimir Putin refletem ideias semelhantes às de Adolf Hitler. Durante a invasão russa da Ucrânia, Alexei Danilov disse que a comitiva de Putin disse que o estado mental do presidente não era normal - ele tinha um "telhado com vazamento".[13] Mais cedo, a inteligência dos EUA disse que sua principal tarefa - descobrir a verdade sobre o estado mental do líder russo. Afinal, segundo especialistas, o comportamento de Putin está se tornando mais volátil e irracional. E a CNN, citando dois altos funcionários não identificados do governo dos EUA, disse que o presidente russo Putin está em estado de extrema raiva pelas duras sanções do Ocidente contra a economia russa.[14]

As principais características e características do rusismo[editar | editar código-fonte]

Em geral, esses traços são inerentes a qualquer governo russo e herdados da Horda Dourada.[15] Um dos fundamentos do rusismo é a ideologia da teoria espiritual da ROC sobre a "eleição divina" dos russos.[16]

O cientista político Stanislav Belkovsky argumenta que o russismo se disfarça de antifascismo, mas tem uma face e essência fascistas.[17] O cientista político Ruslan Klyuchnik observa que a elite russa se considera no direito de construir sua própria "democracia soberana" sem referência aos padrões ocidentais, mas levando em consideração as tradições de construção do Estado da Rússia. Os recursos administrativos na Rússia são um dos meios de preservação da fachada democrática, que esconde o mecanismo de manipulação absoluta da vontade dos cidadãos.[18]

A ideologia do rusismo[editar | editar código-fonte]

Ingredientes[editar | editar código-fonte]

O cientista político Andrei Piontkovsky argumenta que a ideologia do rusismo é em muitos aspectos semelhante ao nazismo fascista, e os discursos e políticas do presidente russo Putin - com as ideias de Hitler.[19]

O professor Oleh Hryniv acredita que o rusismo deve ser claramente distinguido do Putinismo, pois o rusismodiz respeito à justificativa ideológica da política aventureira do atual ditador russo Putin. - O imperialismo de Moscou, sob o qual rivais ideológicos (ideólogos do partido e chauvinistas e anticomunistas) se uniram em prol da chantagem econômica e política dos estados no território do antigo império; O bolchevismo agora pode ser visto apenas como uma forma de rusismo. Por sua vez, a versão clerical do rusismo está tentando implementar o Patriarca de Moscou Kirill, como evidenciado por seu conceito de "mundo russo". No coração do rusismoestá a rejeição da civilização ocidental, que se opõe a uma espécie de civilização russa (eurasiana). Os intelectuais de Moscou concordam com o autocrata Putin, que busca acabar com o ucrainocídio czarista e bolchevique. Agora rusismo Esta é a base ideológica do Putinismo. A história confirmou que o rusismo envolve principalmente a destruição dos ucranianos como comunidade nacional.[20]

Funções[editar | editar código-fonte]

Segundo o professor Oleksander Kostenko,[21] o rusismo é uma ideologia que se baseia em ilusões e justifica a admissibilidade de qualquer arbitrariedade em prol de interesses mal interpretados da sociedade russa. Na política externa, o rusismo se manifesta, em particular, na violação dos princípios do direito internacional, impondo ao mundo sua versão de verdade histórica exclusivamente em favor da Rússia, abusando do direito de veto no Conselho de Segurança da ONU, e assim por diante. Na política doméstica, o rusismo é uma violação dos direitos humanos à liberdade de pensamento, perseguição a membros do “movimento dissidente”, o uso da mídia para desinformar seu povo e assim por diante”. Alexander Kostenko também considera o rusismouma manifestação de sociopatia.

O rusismo tem uma função substituta da religião, dando ao adepto um sentimento de pertencimento à luta entre o "bem e o mal", enchendo sua existência de sentido, justificando as agruras e sacrifícios que traz na realidade, livrando-a do complexo de inferioridade.[22]

De acordo com Mykola Tomenko, "rusismo" - ideologia misantrópica, que não é significativamente diferente em conteúdo do fascismo ou do stalinismo. A Rússia, que inicialmente lutou por informação e ideologia, apoia todos os métodos ao redor do mundo (incluindo os militares) para destruir aqueles que não apoiam a ideologia do "mundo russo" e prevê a implementação dessa ideologia por qualquer meio.[23]

Russismos[editar | editar código-fonte]

Os proponentes da ideologia rusismo são geralmente chamados de "rusismas", às vezes - "casacos acolchoados".[24]

Psicologia dos rusismas - é a psicologia da hostilidade, a ideia de que mesmo na Rússia existem estrangeiros em todos os lugares. Essa psicologia é possuída por pessoas profundamente ofendidas pelas humilhações imaginárias ou reais a que o Ocidente as submeteu. Mas em tempos em que "a Rússia é forte", os rusismas supostamente têm a oportunidade de se vingar.[25]

Um dos mais famosos atores rusismas russos Ivan Okhlobystin acredita que "o rusismo - essa é a escolha do sábio", e prova sua fidelidade às suas crenças por meio de uma tatuagem no braço, que ele chama de "marca de rusismas".[26]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Russismo no Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa». Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Consultado em 5 de maio de 2022 
  2. [1]
  3. [2]
  4. [3]
  5. «Это, детка — Рашизм!» — новый хит про Россию заполонил Интернет [Видео](em russo)
  6. Росія і рашисти: хто стоїть за спиною Путіна
  7. Настоящий «рашизм»: в России составляют списки евреев, которых нужно депортировать как «несогласных» с Путиным
  8. Томенко назвал борьбу с «рашизмом» новым серьезным мировым испытанием(em russo)
  9. Рашизм — не пройдет, или трудно быть человеком(em russo)
  10. Остановить рашизм. Новый урок для мира
  11. «Русизм — это особая форма человеконенавистнической идеологии, основанная на великодержавном шовинизме, полной бездуховности и безнравственности. Отличается от известных форм фашизма, расизма, национализма, особой жестокостью, как к человеку, так и к природе…Обладая рабской психологией, паразитирует на ложной истории, на оккупированных территориях и угнетаемых народах». Джохар Дудаев, лидер чеченского национально-освободительного движения, убитый спецслужбами России.— АРГУМЕНТ, 2014-03-19 09:40
  12. Marlène Laruelle «In the Name of the Nation», Palgrave Macmillan, 2009, ISBN 978-0-230-10123-4, 272 стор.(em inglês), с. 53
  13. ««Потрібно звертатися до лікарів». Високопосадовці РФ вважають, що у Путіна проблеми зі здоров'ям — Данілов». nv.ua (em ucraniano). Consultado em 2 de março de 2022 
  14. CNN, Zachary Cohen, Katie Bo Lillis and Evan Perez. «US intelligence agencies make understanding Vladimir Putin's state of mind a top priority». CNN. Consultado em 2 de março de 2022 
  15. Суть и природа российской власти в 2х минутах — историк РАН Юрий Пивоваров // YouTube
  16. (em russo)Олег Леусенко (4 de maio de 2014). «Почему русские всех ненавидят? Даже себя...» 
  17. (em russo)Путин будет захватывать новые территории, чтобы проложить путь к Балканам — эксперты (em russo)
  18. Ключник Р. М. Розвиток теорії та практики демократії: ретроспективний аналіз // Західна аналітична група. Режим доступу: http://zgroup.com.ua/article.php?articleid=5201 Arquivado 2014-09-05 no Wayback Machine
  19. «Просто рашизм». Телеканал 1+1, 24 de março de 2014
  20. ">«Професор Олег Гринів: РАШИЗМ ІЗ ПРИЦІЛОМ НА УКРАЇНОЦИД». Consultado em 24 вересня 2014. Arquivado do original em 27 червня 2015  Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata= (ajuda)
  21. Олександр КОСТЕНКО (18 de março de 2014 р.). «Що таке «рашизм»?». Газета «День»  Verifique data em: |data= (ajuda) (ucraniano)
  22. Credo quia absurdum. Что такое рашизм?
  23. Микола Томенко: у ХХІ столітті з'явилася нова чума — «рашизм».
  24. «Яких росіян називають "ватниками"?». Gazeta.ua. 10 de abril de 2014 
  25. Політичне життя росіян за три роки: стабільність від Кремля, рашизм і бунти під наглядом ОМОНу
  26. Охлобыстин показал «клеймо рашиста». 14.08.2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]