Ruy Cinatti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ruy Cinatti
Nome completo Ruy Cinatti Vaz Monteiro Gomes
Nascimento 8 de março de 1915 (102 anos)
Londres,  Reino Unido
Morte 12 de outubro de 1986 (71 anos)
Lisboa, Portugal
Prémios Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (1982)
Género literário Poesia, antropologia, agronomia
Magnum opus De Timor

Ruy Cinatti Vaz Monteiro Gomes[1] GCIH (Londres, 8 de Março de 1915Lisboa, 12 de Outubro de 1986) foi um poeta, antropólogo e agrónomo português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou no Instituto Militar dos Pupilos do Exército, no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, onde se licenciou em Agronomia, e na Universidade de Oxford, no domínio da antropologia social.

Ruy Cinatti escreveu sobre São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Foi co-fundador de Os Cadernos de Poesia (1940).

A 10 de Junho de 1992 foi agraciado a título póstumo com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.[2]

Algumas obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Nós não somos deste mundo. Lisboa, 1941.
Reeditado: Lisboa, Ática, 1960.
  • Anoitecendo, a vida recomeça. Lisboa, 1942.
  • Poemas escolhidos. Lisboa, Gráfica Boa Nova, 1951. Prefácio de Alberto de Lacerda.
  • O livro do nómada meu amigo. Ilustrações de Hansi Stael. Lisboa, Guimarães Editores, 1958.
Reeditado: Lisboa, Guimarães Editores, 1966; Lisboa, Guimarães & Cª, 1966.
  • Sete septetos. Lisboa, Guimarães Editores, 1967.
  • O tédio recompensado. Lisboa, Guimarães Editores, 1968.
  • Uma sequência timorense. Braga, Pax, 1970.
  • Memória descritiva. Lisboa, Portugália, 1971.
  • Conversa de rotina. Lisboa, Sociedade de Expansão Cultural, 1973.
  • Cravo singular. Lisboa, 1974.
  • Timor - Amar. Lisboa, 1974.
  • Import-Export. Lisboa, 1976.
  • 56 poemas. Lisboa, A Regra do Jogo, 1981
Reeditado: Lisboa, Relógio de Água, 1992. ISBN 972-708-183-5
  • Manhã imensa. Lisboa, Assírio e Alvim, 1984.
Reeditado: Lisboa, Assírio & Alvim, 1997. ISBN 972-37-0087-5

Sobre Timor[editar | editar código-fonte]

  • Esboço histórico do sândalo no Timor português. Lisboa, Ministério das Colónias, Junta de Investigações Coloniais, 1950.
  • Explorações botânicas em Timor. Lisboa, Ministério das Colónias, Junta das Investigações Coloniais, 1950.
  • Reconhecimento preliminar das formações florestais no Timor português. Lisboa, Ministério das Colónias, 1950.
  • Brevíssimo tratado da província de Timor. Lisboa, 1963. Separata da Revista Shell 346.
  • Useful plants in portuguese Timor: an historical survey. Coimbra, Gráfica de Coimbra, 1964. Separata do vol. I das Actas do V Colóquio Internacional de Estudos Luso-Brasileiros
  • Alguns aspectos de mudança social no Timor Português. Lisboa, 1975. Separata de In Memoriam António Jorge Dias.
  • Motivos artísticos timorenses e a sua integração. Desenhos de Fernando Galhano. Lisboa, Instituto de Investigação Científica Tropical, 1987.
  • Arquitectura timorense. Lisboa, Instituto de Investigação Científica Tropical, Museu de Etnologia, 1987.
Com Leopoldo de Almeida e Sousa Mendes.

Sobre as colónias portuguesas em África[editar | editar código-fonte]

  • Impressões de uma viagem pelos territórios portugueses da África Ocidental. Lisboa, Tipografia Portugal Novo, 1936. Separata da Revista Agros, 5.
  • Lembranças para S. Tomé e Príncipe: 1972. Évora, Instituto Universitário de Évora, 1979.

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Prémio Antero de Quental (1958)
  • Prémio Nacional de Poesia (1968)
  • Prémio Camilo Pessanha (1971)
  • Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (1982)

Referências e Notas

  1. «Ruy Cinatti Vaz Teixeira Gomes». Centro Juvenil Padre António Vieira. Consultado em 24 de Abril de 2013 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Rui Cinatti". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  3. «Arqueologia Para Uso da Alma», anunciado em obra de 1973 (Conversa de Rotina) como livro a publicar.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • AMARAL, Fernando Pinto do. Ruy Cinatti Vaz Monteiro Gomes. in ROSAS, Fernando; BRITO, José Maria Brandão de. Dicionário de História do Estado Novo. Venda Nova, Bertrand Editora, 1966. Vol. I. ISBN 972-25-1015-0
  • PORBASE.


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.