S&M (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"S&M"
Single de Rihanna
do álbum Loud
Lançamento 11 de fevereiro de 2011 (2011-02-11)
Formato(s) CD single, descarga digital
Gravação 2010;
Roc the Mic Studios (Nova Iorque);
Westlake Recording Studios
(Los Angeles, Califórnia);
The Bunker Studios
(Paris, França)
Género(s) Eurodance, electrónica, dance-pop
Duração 4:03 (versão do álbum)
4:17 (remistura com Britney Spears)
Editora(s) Def Jam
Composição Mikkel S. Eriksen, Tor Erik Hermansen, Sandy Wilhelm, Ester Dean
Produção Stargate, Sandy Vee
Cronologia de singles de Rihanna
"All of the Lights"
(2011)
"California King Bed"
(2011)
Lista de faixas de Loud
"What's My Name?"
(2)
Capa da edição de remistura

"S&M" é uma canção da cantora barbadense Rihanna, gravada para o seu quinto álbum de estúdio Loud. Foi composta por Mikkel Eriksen, Tor Hermansen, Sandy Wilhelm e Ester Dean, com a produção a cargo da equipa norueguesa Stargate e Sandy Vee. A sua gravação decorreu em 2010, nos estúdios Roc the Mic em Nova Iorque, Westlake Recording Studios em Los Angeles e The Bunker Studios em Paris. O tema foi enviado para as rádios norte-americanas a 23 de Janeiro de 2011 através da Def Jam Recordings, tornando-se o terceiro single do disco. A 11 de Fevereiro, foi disponibilizado na iTunes Store de vários países, como o Brasil, Finlândia e Portugal. Mais tarde, foi ainda editado um extended play (EP) e um pacote de remisturas a partir da original. Musicalmente, a canção deriva de géneros eurodance, electro e dance-pop. Incorpora demonstrações das linhas dos sintetizadores de "Master and Servant" da banda inglesa Depeche Mode; o seu instrumental foi trabalhado com sintetizadores, baixo, teclado e guitarras. Liricamente, revela os prazeres sexuais da cantora como uma metáfora para atacar elementos mediáticos.

Os críticos de música contemporânea fizeram diversas análises à canção após o lançamento do disco, em que alguns a denominaram como o destaque do álbum. Comentaram também a vibração electrónica e de dance-pop embutida na melodia, afirmando que "deixa claro o grande salto na carreira da cantora". Outros criticaram as investidas sexuais divulgadas abertamente na letra da canção. Alcançou a primeira posição na ARIA Singles Chart da Austrália, Canadian Hot 100 do Canadá e ZPAV da Polónia. Nos Estados Unidos, chegou ao segundo lugar na Billboard Hot 100, no entanto, com as vendas combinadas de uma versão remisturada com vocais de Britney Spears, tornou-se o décimo número um de Rihanna e o quinto de Spears no país. Posteriormente a Australian Recording Industry Association (ARIA) certificou o single com seis discos de platina e a Recording Industry Association of America (RIAA) com quatro.

O vídeo musical, dirigido por Melina Matsoukas, estreou a 1 de Novembro de 2011 através do serviço VEVO. O tema retratado passa, em parte, uma espécie de resposta por Rihanna aos críticos depreciativos, além de actos sadomasoquistas e fetiches softcore. É expressa a metáfora da luta de uma celebridade contra os elementos dos média, contando com a participação do blogueiro Perez Hilton. O projecto foi banido em alguns países, sendo que era apenas transmitido à noite por algumas estações de televisão. Posteriormente ao lançamento do teledisco, o tema foi reeditado no Reino Unido e intitulado como "Come On" para as reproduções durante o período diurno. Os críticos elogiaram o uso de cores vibrantes e a sensualidade embutida no trabalho. O fotógrafo David LaChapelle entrou com uma acção judicial alegando que o vídeo incorpora ideias das suas fotografias. O caso acabou por ser resolvido em consenso com uma quantia de dinheiro não revelada. A faixa recebeu várias interpretações ao vivo como parte da sua divulgação, inclusive durante as cerimónias de entrega de prémios Brit Awards e Billboard Music Awards de 2011, além da sua inclusão no alinhamento na terceira parte da digressão mundial Last Girl on Earth Tour, e ainda durante toda a edição da The Loud Tour e Diamonds World Tour. "S&M" fez parte da Femme Fatale Tour de Britney Spears após o lançamento da remistura oficial de colaboração.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

"Eu não penso nela [canção] de uma forma sexual, estou a pensar numa forma metafórica. É mais numa de dizer que as pessoas podem falar.... as pessoas vão falar de nós, não podemos impedi-lo. Apenas temos que ser essa pessoa forte e saber quem nós somos na realidade para que isso não nos afecte. E eu pensei que isso era algo super admirável..."

— Rihanna sobre a sua impressão de "S&M".[1]

Durante a 53.ª edição dos Grammy Awards, Tor Erik Hermansen, membro da equipa de produção norueguesa StarGate, revelou que posteriormente à elaboração do CD, "Rihanna veio ter connosco antes de começarmos a gravar e disse 'Eu sinto-me óptima sobre mim mesma. Quero voltar ao tempo em que me divertia, quero fazer gravações felizes e de ritmo acelerado'". Hermansen explicou mais tarde que acederam ao pedido da jovem porque o seu álbum anterior, Rated R, não tinha temas de ritmo acelerado. "Only Girl (In the World)" tornou-se na primeira faixa a ser completada para Loud, e a intérprete escolheu-a para inclusão no disco antes mesmo de tê-la gravado.[2] Enquanto promovia Rated R na sua segunda digressão mundial Last Girl on Earth Tour e filmava Battleship, começaram as sessões de gravação do quinto disco de originais da cantora.[3] Mais tarde, a artista afirmou numa entrevista com a revista Entertainment Tonight, "Loud, é a palavra, o nome do álbum que reflecte definitivamente a sua atitude, é muito atrevida e namoradeira o suficiente parar chamar a sua atenção, e é por isso que gosto. Leva-vos num passeio realmente muito interessante. Muito colorido o álbum".[4] A sonoridade difere de trabalhos anteriores de Rihanna, incluindo géneros dance-pop, electro, R&B, e marcando o retorno às origens dancehall que eram proeminentes nos seus primeiros trabalhos discográficos Music of the Sun (2005) e A Girl like Me (2006).[5][6]

Ainda antes da data de lançamento do disco, a música foi divulgada na Internet a 5 de Novembro de 2010, juntamente com algumas outras faixas do alinhamento.[7][8] Durante uma entrevista no programa Elvis Duran and the Morning Show, Rihanna afirmou que queria que os seus fãs escolhessem entre "S&M" e "Cheers (Drink to That)" como possível foco de promoção.[9] Posteriormente, a jovem optou pela primeira opção, e em entrevista com a Rolling Stone falou sobre o seu interesse em actividades sadomasoquistas e de bondage, temas centrais na obra: "Eu gosto de assumir o comando, mas adoro ser submissa... ser submissa no quarto é muito divertido. Transformar-nos em pequenas senhoras, ter alguém macho e que assuma o controlo".[10] Dean, uma das compositoras da canção, explicou a sua concepção e as letras sexualmente sugestivas ao repórter Gail Mitchell da revista Billboard:[11]

Rihanna explicou numa entrevista à publicação Spin que a letra era metafórica. A artista disse que a música tratava sobre como ter confiança na própria identidade e ser imune a boatos e críticas.[1] O tema foi enviado para as rádios norte-americanas a 23 de Janeiro de 2011 através da Def Jam Recordings, tornando-se o terceiro single do disco.[12] A 11 de Fevereiro, foi disponibilizado na iTunes Store de vários países, como o Brasil, Finlândia e Portugal.[13][14][15] Mais tarde, foi ainda editado um extended play (EP) e um pacote de remisturas a partir da original.[16][17] Na Europa, nomeadamente na Alemanha, foi comercializado um CD single também para promover a obra.[18]

Estilo musical e letra[editar | editar código-fonte]

Demonstração de 25 segundos de "S&M", definida no tempo de assinatura moderado com um metrónomo de 128 batidas por minuto.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

"S&M" é uma canção que combina estilos eurodance e electrónicos com fortes elementos de dance-pop, produzida pela equipa norueguesa Stargate e pelo francês Sandy Vee.[19][20] Incorpora ainda demonstrações da linha de sintetizadores da canção de 1984 "Master and Servant" da banda inglesa Depeche Mode, que também contém conteúdo lírico relacionado com o sadomasoquismo.[21] A sua gravação decorreu em 2010 nos estúdios Roc the Mic em Nova Iorque, Westlake Recording Studios em Los Angeles, na Califórnia e The Bunker Studios em Paris, na França.[22] A sua composição foi construída através de acordes de guitarra e vocais fortes.[22] Consiste ainda no uso de bateria, baixo e teclado.[22] Os vocais da artista foram gravados por Kuk Harrell e produzidos por Harrel, Josh Gudwin e Marcos Tovar, com a assistência de Bobby Campbell em todo o processo.[22] O tema foi misturado por Vee nos The Bunker Studios e por Phil Tan no The Ninja Beat Club em Atlanta, Geórgia.[22] Todo o instrumental foi fornecido por Eriksen, Hermansen e Vee, enquanto que Dean também providenciou vocais de suporte.[22] Segundo Becky Bain do sítio Idolator, a faixa apresenta batidas que soam como uma "mistura entre "Only Girl (In the World)" e "Shut Up and Drive"".[23] Da mesma opinião que Becky, Chris Ryan do MTV Buzzworthy adjectivou a sonoridade como "ameaçadora, através dos sons do teclado".[24] O jornal nova-iorquino The New York Times chegou à conclusão que a sua estrutura musical era "digna de uma pista de dança de uma discoteca", se conjugada com "o refrão de "Let's Go to Bed" pela banda The Cure".[25] Stacey Anderson da revista Spin acrescentou que "a voz dela [Rihanna] tem um efeito estratosférico sob impulsos electromagnéticos".[26]

A letra foi escrita por Eriksen, Hermansen, Sandy Wilhelm e Ester Dean.[27][28] Liricamente, a faixa trata assuntos como o sexo, sadomasoquismo, bondage e fetiches BDSM, além de retratar fantasias sexuais e a excitação do parceiro.[24][29][30][31] De acordo com a partitura publicada pela Peer International Corporation, a música é definida no tempo de assinatura moderado dance groove com um metrónomo de 128 batidas por minuto.[32] Composta na chave de mi menor com o alcance vocal que vai desde da nota baixa de , para a nota de alta de .[32] O tema começa com o gancho "Na, na, na, c'mon",[32] e durante o refrão, Rihanna interpreta "friamente" os versos, "Posso ser má, mas sou perfeitamente boa ao sê-lo / Sexo no ar, não me importa, adoro o seu cheiro".[31] Os média consideraram "provocante, namoradeira e sexualmente aventureira" e elogiaram a sua proeza sexual.[24] De acordo com Jake Conway da revista Q, as letras são culpadas de "despojamento de emoção sexual" e reencarnar a violência como fetiche.[31] Conway observou que a cantora homenageia os actos sexuais numa forte dança com humor de discoteca.[31] Ryan da MTV também comentou o conteúdo lírico, descrevendo a canção como sendo sobre "actividades sujas, feias e ilícitas no quarto".[24] A BBC Radio 1 recusou-se a reproduzir o trabalho antes das 19 horas, devido à sua letra "provocadora".[33] Um porta-voz da estação disse que estariam "à espera de uma versão editada antes de decidir se a faixa seria tocada durante o dia".[33] O single foi reeditado e renomeado para "Come On" pela rádio do Reino Unido.[34]

Recepção pela crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
About.com 3 de 5 estrelas.[35]
AOL Radio (favorável)[36]
Billboard (favorável)[37]
Digital Spy 4 de 5 estrelas.[38]

As críticas após o lançamento da faixa geraram diversas opiniões. Andy Kellman da Allmusic denominou "S&M como uma das melhores canções dance-pop de Loud pelo "equilíbrio eficiente do lado lúdico e sinistro de Rihanna", contudo concluiu que "não era tão boa como o seu single anterior, "Rude Boy".[20] Leah Greenblatt da revista Entertainment Weekly achou que a música era extremamente "marota" e que era "explicitamente carnal".[39] Sal Cinquenmani da Slant Magazine e Thomas Conner do Chicago Sun Times, notaram ambos que era uma reminiscência musical dos temas obscuros de Rated R.[29][30] Cinquenmani acrescentou que a canção é uma ode ao sadomasoquismo, "que animaria várias partes do corpo de Janet [Jackson]".[30] James Skinner de BBC Music sentiu que a música "perdeu um pouco do apelo que alguns dos trabalhos do álbum anterior tinham". Skinner criticou o uso da "letra sadomasoquista", pois não era um "sinónimo do percurso de Rihanna".[40] Steve Jones do diário USA Today realçou a falta do "tom sexualmente agressivo" apesar de "sacudir a nuvem escura da violência doméstica de 2009". Jones constatou ainda que a cantora "deixa claro o salto na sua carreira, e os caminhos que está a seguir".[41]

Nadine Cheung da estação AOL Radio classificou a faixa como "sexy" e referenciou que o lado ousado da artista é exibido na forma como canta.[36] Bill Lamb do portal About.com atribuiu três estrelas de cinco possíveis, constatando que "não é realmente uma canção", pois "existe uma letra frágil em torno da música, que é soldada por uma melodia dançante genérica e animada".[35] Lamb também criticou o facto de achar que "a controvérsia morre, e não será lembrada como uma das melhores etapas de Rihanna". Monica Herrera da revista musical norte-americana Billboard revela que encara "S&M" como "a parte dois de Good Girl Gone Bad".[37] Herrera reconheceu que as rádios poderiam recusar-se a reproduzir a canção devido à "sua letra provocadora", mas "para uma discoteca, este era o som perfeito".[37] Nick Levine do sítio Digital Spy classificou com quatro estrelas, de cinco possíveis, considerando que se tratava "de uma fórmula semelhante à de Madonna, como Sexo + Pop = Choque".[38] Levine prezou o facto de o tema "embutir um refrão poderoso e batidas de sintetizadores, e ainda a oferta de uma performance vocal luxuosa".[38] A letra do tema foi distinguida pela Broadcast Music Incorporated (BMI) como Award Winning Song.[28]

Remisturas[editar | editar código-fonte]

Britney Spears a interpretar a remistura de "S&M" na sua Femme Fatale Tour em 2011.

No dia 17 de Janeiro de 2011 foi divulgada na Internet uma remistura que continha versos escritos pelo rapper J. Cole.[42] Foi consequentemente adicionada à lista de reprodução das rádios urbanas.[42] Os DJ Dave Audé, Sidney Samson e Joe Bermudez produziram misturas, que foram lançadas num pacote pela editora Def Jam.[17] Após o lançamento do single, Rihanna questionou os seus seguidores no Twitter sobre potenciais colaboradores, cuja escolha mais popular foi a cantora norte-americana Britney Spears.[43] Posteriormente, na mesma rede social, a troca de mensagens entre as duas artistas causou especulação sobre a gravação do trabalho.[44] A remistura oficial foi lançada a 11 de Abril de 2011, juntando os vocais de Spears.[45] A nova versão incluia novas linhas semelhantes à letra original: "Apenas uma noite cheia de pecado / Sente a dor na tua pele / Resistente, eu não grito por 'misericórdia' / É a tua vez de me magoar / Se sou má, amarra-me / Cala-me, amordaça-me e obriga-me / Porque a dor é o meu prazer / Nada é melhor".[46]

No mesmo dia em que se tornou disponível para o consumo público, Rihanna ligou para a rádio Z-100 para falar sobre a colaboração.[47] "A princípio, não sabíamos como íamos fazer a música por causa das letras, mas tornou-se grande na rádio e é número um da pop esta semana. Para fazer uma remistura, tem de ser algo em grande", explicou a artista em entrevista ao canal televisivo MTV.[47] O dueto transformou-se num tópico bastante falado nas redes sociais, e as cantoras trocaram várias mensagens provocantes e em tom de brincadeira sobre a faixa.[47] Depois de Rihanna ter chamado "gangsta" à versão final da remistura, Spears respondeu: "Não és assim tão má querida".[47]

Vídeo musical[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Melina Matsoukas, que tinha trabalhado com a cantora anteriormente, dirigiu o vídeo gravado durante o fim-de-semana de 15 de Janeiro de 2011 em Los Angeles.[42] Rihanna falou sobre o período de gravações:[48]

A 19 de Janeiro, a artista revelou uma foto das gravações na sua conta no Twitter. A imagem revelava-a com grandes e frisados cabelos vermelhos, a usar um remendo em forma de coração no seu olho esquerdo e a segurar um gelado na mão, com as costas expostas.[49] Mais fotografias foram mostradas oficialmente por Ryan Seacrest no sítio oficial do seu programa de rádio a 24 de Janeiro, revelando a cantora vestida como uma coelha da Playboy, e mais tarde, outra foto mostrava-a rodeada por elementos da imprensa, com um vestido em látex cor-de-rosa.[48][50] A 27 de Janeiro no canal oficial do Youtube de Rihanna foi colocado um vídeo de trinta segundos de previsão do teledisco, e Melina falou sobre o conceito do mesmo:[51]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na primeira parte, Rihanna coberta de película numa conferência, e abaixo, numa festa "censurada" numa das cenas do vídeo.

O vídeo musical, com pouco mais de quatro minutos,[52] conta a história da luta de uma estrela da música contra as manchetes nos jornais.[53] Começa com Rihanna a cantar em frente a uma câmara, seguindo-se de cenas em que é arrastada, esperneando, para uma conferência de imprensa, onde a cantora é imediatamente coberta por uma película de plástico. Durante a cena inicial, até ao refrão, são mostradas cenas em que a artista fala para os jornalistas com blocos de apontamentos e mordaças na boca. Durante o refrão, a jovem caminha num jardim e passeia o blogueiro Perez Hilton numa trela, e com uma mordaça em forma de esfera na boca. Todas estas fases são misturadas com uma festa "altamente censurada".

Logo depois, nas cenas seguintes, Rihanna está sentada num cadeirão vestida com látex, numa sala em que elementos da imprensa estão agarrados à parede.[53] A cantora começa andar em direcção a eles, com um chicote na mão. Então, posteriormente, a artista aparece trajada a coelha da Playboy, e ao seu redor vão sendo projectadas imagens de manchetes de jornais, sobre variados temas relacionados com a sua realidade.[53] Este fundo central é misturado com passagens da jovem deitada no chão amordaçada e presa nas pernas.[53] Num dos últimos cenários, a cantora está deitada em cima de uma mesa, olhando sedutoramente para uma câmara, rodeada de repórteres que tiram fotos e apontamentos.[53] O vídeo termina entre passagens em que a cantora lambe uma bola de gelado e trinca uma banana, terminando os jornalistas a afastar-se dela em estado de esgotamento, e para terminar, ouve-se um gemido.[53]

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

A estreia ocorreu exclusivamente através do serviço VEVO a 1 de Fevereiro de 2011.[53] Jocelyn Vena da MTV afirmou que "as estrelas pop têm uma história de luta contra as suas manchetes dos jornais nos seus vídeos de música e agora é Rihanna que se diverte com os média".[53] Brad Wete da Entertainment Weekly revelou que "com letras como estas, esperávamos um vídeo igualmente arriscado. E sim, ela está a cumprir. Esta manhã, a estrela lançou o visual, com apenas todas as ferramentas necessárias para fazer um escravo e mestre da fantasia cumprir as suas ordens".[54] O editor revela que "há também um pouco de amor e/ou ódio pela imprensa, que inclui Rihanna em cenas de escravidão e as piadas em relação a manchetes escandalosas ("Princess of the Illuminati") voam".[54] O analista termina a sua revisão dizendo que para o próprio "parece mais prazer do que lamento".[54] Jason Lipshutz da revista norte-americana Billboard fez relevo às "características individuais requintadas por conjuntos de peças que oferecem uma visão torcida sobre a sexualidade hardcore",[55] e Amèle Debey da People Premiere em França partilhou a mesma opinião, contudo acrescentou que "é uma aposta segura da cantora de Barbados".[56] Ann Lee do jornal britânico Metro considerou que era um "vídeo divertido, sendo um bom escape para os rumores que vão sendo relevados sobre o caso lésbico que a artista possa ter tido".[57] Matthew Perpetua da revista Rolling Stone disse que "destaca-se principalmente pela maneira que não pára de bater dolorosamente em cores brilhantes e palhaçadas desagradáveis - até que começamos a gostar dele".[58]

Controvérsia e banimento[editar | editar código-fonte]

Após o seu lançamento, o teledisco foi imediatamente banido em onze países, como na Ásia Meridional, devido à suposta apresentação de conteúdo de cariz sexual.[59] Foi também considerado como "inapropriado" para utilizadores com idade inferior a 18 anos no sítio YouTube, e foi colocada uma mensagem de restrição: "Este conteúdo pode incluir material sinalizado pela comunidade de utilizadores do YouTube que pode ser impróprio para alguns utilizadores".[60] Rihanna respondeu às notícias através da sua conta no Twitter, afirmando o seguinte: "Eles viram o Umbrella... Estava totalmente nua".[60] Posteriormente a todos estes acontecimentos, a MTV afirmou que transmitiria-o na sua íntegra sem edições,[61] e a cantora decidiu colocar sem restrições a visualização completa do teledisco na sua página oficial na Internet.[62] A directora do projecto, Melina Matsoukas também respondeu ao banimento e toda a controvérsia, afirmando:[63]

Outra polémica surgiu com alegações de plágio, envolvendo semelhança do vídeo à sessão fotográfica entre 1995 a 2003 para a Vogue Italia por David LaChapelle, com inúmeras fontes de informação comparando "lado-a-lado os trabalhos anteriores de LaChapelle e capturas de ecrã do trabalho de Matsoukas".[64][65][66] Alguns dias após estas alegadas comparações, LaChapelle processou Rihanna e Matsoukas por danos não especificados, afirmando que o vídeo da música é "directamente derivado" de processos de criação próprios, "copiando a composição, conceito total, tom, humor, tema, cores, adereços, configurações, decorações, figurinos e iluminação" de oito das suas imagens.[67][68]

Em Junho de 2011, o fotógrafo alemão Philipp Paulus também entrou com um processo judicial contra a cantora e a sua editora discográfica por alegadas violações de direitos de autor em várias cenas do vídeo musical onde Rihanna veste um vestido longo e está colada na parede com uma folha de plástico a cobri-la. De acordo com Paulus, a artista e Matsoukas apropriaram-se da sua sessão fotográfica Paperworld.[69]

Divulgação e outras versões[editar | editar código-fonte]

Rihanna a interpretar "S&M" na sua The Loud Tour no verão de 2011, performance semelhante à realizada na cerimónia Billboard Music Awards de 2011.

A primeira interpretação ao vivo da faixa foi na edição de 2011 dos Brit Awards, como parte da mistura com outras duas canções retiradas de Loud, "Only Girl (In the World)" e "What's My Name?".[70][71] A cantora tinha planeado executar "S&M" na sua versão completa, para suporte da sua promoção no Reino Unido, contudo, a organização da cerimónia pediu para "diminuir o tom das referências sexuais incluídas na letra".[72] Foi relatado que Rihanna teria ficado "furiosa" por ter recebido tal solicitação e chegou a considerar alterar a música para apresentar.[72] Um repórter do jornal Metro afirmou que "ela acredita que não vai fazer justiça à música se tiver de alterar o seu conteúdo lírico, além de ser uma violação de sua integridade artística". "Ela pode acabar não interpretando S&M e escolher fazer um número pop mais 'seguro' para manter os puritanos em baía".[72] Na noite da actuação, a artista apenas cantou um verso do refrão do tema.[70] O alinhamento foi alterado para evitar queixas semelhantes às que foram recebidas após o final da sétima temporada de The X Factor a 11 de Dezembro de 2010. Nesse dia, a jovem foi criticada por usar uma roupa provocante para a realização de uma rotina de dança sugestiva, adjectivada como "repugnante", pois foi transmitida antes das 21 horas e quebrou o sistema do Reino Unido que não permite conteúdo adulto a ser transmitido antes desse horário.[73] Entre Fevereiro e Março de 2011, a cantora interpretou o single durante a fase na Austrália da sua digressão mundial Last Girl on Earth Tour.[74]

A cerimónia anual Billboard Music Awards teve como abertura uma performance da remistura oficial de "S&M", em conjunto com Spears a 22 de Maio de 2011 na MGM Grand Garden Arena em Las Vegas.[75] As cantoras utilizaram ambas roupas reduzidas e provocantes; Rihanna estava de branco, com botas de salto alto. Spears estava vestida com roupa preta, uma máscara e orelhas de coelho, e ambas estavam acorrentadas com algemas. O desempenho envolveu dança do varão, uma luta de almofadas e um beijo na bochecha no final.[76] O espectáculo tornou-se controverso entre os média, e Rihanna deu uma entrevista em que falava sobre o sucedido:[77]

A artista interpretou a obra em conjunto com "Only Girl (In the World)", "What's My Name?" e "California King Bed" a 27 de Maio de 2011 no programa da NBC, Today, como uma série de concertos de verão.[78] Além dos programas de televisão, a canção foi incluida no alinhamento da digressão The Loud Tour, que continha um palco elaborado com o tema de "S&M". Durante a actuação, Rihanna cantava a sua versão de "Darling Nikki" de Prince com três dançarinas semi-nuas, transitando para a faixa principal.[79] Britney também englobou a obra na sua turné Femme Fatale Tour, em conjunto com "...Baby One More Time".[80] Em 2012, a artista inseriu no terceiro lugar da lista para o festival de verão Radio 1's Hackney Weekend.[81] Lee Latchford-Evans do grupo britânico Steps fizeram a sua versão da música durante a sua tournée, em mistura com "Moves Like Jagger" de Maroon 5 com Christina Aguilera.[82] No filme Pitch Perfect, o elenco, que inclui a compositora Ester Dean, interpretou "S&M" em conjunto com outras canções sobre sexo.[83] A edição acabou por ser incluída na banda sonora da película.[84] Em 2013, o tema voltou a ser interpretado durante a Diamonds World Tour.[85]

Faixas e formatos[editar | editar código-fonte]

A versão digital de "S&M" contém apenas uma faixa com duração de quatro minutos e três segundos.[13] Foi ainda lançado um extended play (EP) com quatro constituintes, incluindo o vídeo musical, e um pacote digital que contém nove remisturas a partir da faixa original, com duração total de quarenta e sete minutos e oito segundos.[17] Na Europa, a música também foi comercializada em versão CD single, possuindo duas faixas no total, sendo que uma delas é a versão do álbum e outra uma das remisturas incluídas no EP digital.[18] Em Abril, foi editada uma remistura em single com os vocais de Britney Spears.[86]

Descarga digital[13]
N.º Título Duração
1. "S&M"   4:03

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Após o lançamento do álbum, no Reino Unido a 15 de Novembro de 2010, "S&M" estreou na quinquagésima quinta posição na UK Singles Chart.[87] Depois de semanas de subidas e descidas, a canção atingiu a melhor posição com o terceiro lugar.[88] Na tabela UK R&B Singles Chart manteve-se na liderança durante três semanas consecutivas[89] e foi o segundo tema urbano mais vendido de 2011.[90] Devido à sua sucessão positiva em território britânico, foi certificada como disco de platina pela British Phonographic Industry (BPI).[91] Na restante Europa, a obra conseguiu um desempenho positivo nas tabelas musicais de vários países, conseguindo chegar às dez melhores posições; Na Polónia conseguiu liderar a 23 de Abril de 2011 por duas semanas consecutivas,[92] na Dinamarca obteve o segundo lugar,[93] bem como na Alemanha.[94] Em França, ficou na 3.ª posição por duas edições seguidas.[95] Em Portugal, conseguiu atingir o sexto posto nas mais vendidas no país digitalmente.[96]

Na Austrália, a faixa estreou na posição 87 a 29 de Novembro de 2010.[97] Foi enviada posteriormente para as rádios locais a 17 de Janeiro de 2011,[98] sendo que subiu à vigésima sétima posição na semana de 23 de Janeiro.[99] Desde então, esteve na primeira posição durante cinco semanas não-consecutivas na tabela australiana, sendo certificada como disco de platina sêxtuplo pelas mais de 420 mil cópias vendidas no país.[100] A melodia entrou no sétimo lugar na New Zealand Singles Chart a 7 de Fevereiro de 2011, conseguindo mais tarde chegar ao segundo.[101] A Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ), pelas mais de 15 mil cópias distribuídas no país, certificou o single com platina.[102]

Nos Estados Unidos, "S&M" debutou a 53.º lugar e chegou à trigésima terceira posição na sua quarta semana.[103] A faixa entrou na lista dez das músicas mais vendidas no Norte da América, atingindo o oitavo lugar na sua segunda semana consecutiva como mais descarregada digitalmente com 145 mil cópias legais e 30 milhões de audiência nas rádios.[104] Chegou posteriormente à terceira posição da Billboard Hot 100, a 17 de Março de 2011, com mais de 1 milhão de cópias digitais vendidas.[105][106][107] Na edição da Billboard publicada a 30 de Abril, a versão de álbum de "S&M" e a sua remistura oficial com a colaboração de Britney venderam 293 mil unidades combinadas; substituindo "E.T." de Katy Perry no topo da Hot 100, tornando-se o décimo single de Rihanna a chegar a número um nos Estados Unidos e empatando-a com Janet Jackson em quarto lugar das artistas femininas a conseguirem tal feito. Com apenas quatro anos, onze meses e duas semanas entre o seu primeiro acto e o seu décimo, a cantora estableceu um novo recorde para um músico a solo.[108] A jovem passou a ser a primeira a conseguir mais números um na tabela Pop Songs em dezanove anos de história.[109] A Recording Industry Association of America (RIAA) atribuiu quatro platinas à canção pelos mais de quatro milhões de cópias distribuídas em território norte-americano. Na Canadian Hot 100, "S&M" estreou na septuagésima segunda posição,[110] posteriormente chegou ao quarto lugar como melhor. A música chegou a ser a mais descarregada no Canadá, vendendo mais de 21 mil cópias e crescendo em 80% na sua audiência nas rádios canadianas.[109]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Toda a produção do single atribui os seguintes créditos:[22]

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

"S&M" foi enviada para as rádios norte-americanas a 23 de Janeiro de 2011 através da Def Jam. Mais tarde, a 11 de Fevereiro, foi disponibilizada na iTunes Store de vários países, seguindo-se dias depois uma versão em formato extended play (EP) e um pacote de remisturas. Em Março, a faixa foi comercializada em CD single na Europa, nomeadamente na Alemanha e França. Para finalizar a sua promoção, foi lançado como single digital de remistura com a colaboração de Britney Spears a 11 de Abril no Canadá e Estados Unidos, e no dia seguinte em vários outros territórios.

País Data Formato Editora discográfica
 Estados Unidos 23 de Janeiro de 2011[12][161] Rádio mainstream e rhythmic Def Jam
 Áustria[162] 11 de Fevereiro de 2011 Descarga digital
 Brasil[14]
 Finlândia[15]
 Portugal[13]
 Argentina[163] 18 de Fevereiro de 2011 EP digital
 Brasil[164]
 Hungria[165]
 Portugal[16]
 Alemanha[166] 28 de Fevereiro de 2011 Pacote de remisturas
 Nova Zelândia[167]
 Países Baixos[168]
 Portugal[17]
União Europeia[18] 17 de Março de 2011 CD single
 Alemanha[169] 18 de Março de 2011
 França[170] 22 de Março de 2011
 Canadá[171] 11 de Abril de 2011 Single de remistura
 Estados Unidos[172]
 Austrália[173] 12 de Abril de 2011
 França[174]
 Finlândia[175]
 Portugal[86]
Suíça[176]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Kevin O'Donnell (19 de Outubro de 2011). «Preview: Rihanna Discusses 'Bad Ass' New Album» (em inglês). Spin. Consultado em 16 de Outubro de 2012 
  2. Mikey Fresh (14 de Fevereiro de 2011). «Grammy Recap: Stargate Talks Rihanna's 'Only Girl (In The World)' Winning 'Best Dance Recording'» (em inglês). Vibe. Consultado em 6 de Setembro de 2012 
  3. Jocelyn Vena (3 de Março de 2010). «Rihanna Working On New Album, Producer Confirms» (em inglês). MTV News. Consultado em 10 de Outubro de 2012 
  4. «Rihanna Unveils Loud Album Cover» (em inglês). About.com. 29 de Setembro de 2010. Consultado em 10 de Outubro de 2012 
  5. Andy Kellman (14 de Novembro de 2010). «Review: A Girl Like Me» (em inglês). Allmusic. Consultado em 10 de Outubro de 2012 
  6. Jason Birchmeier. «Review – Music of the Sun» (em inglês). Allmusic. Consultado em 10 de Outubro de 2012 
  7. «New Music Leak - Rihanna 'S&M'» (em inglês). 97.7 Now FM. 5 de Novembro de 2010. Consultado em 20 de Março de 2011 
  8. Vena, Jocelyn (8 de Novembro de 2010). «Rihanna's 'Raining Men,' Two Other Tracks Leak» (em inglês). MTV News. Consultado em 20 de Março de 2011 
  9. «Fans Will Decide Rihanna's Next Single» (em inglês). BET. Consultado em 20 de Março de 2011 
  10. Joyce Lee (31 de Março de 2011). «Rihanna talks Chris Brown, S&M tendencies in Rolling Stone» (em inglês). CBS. Consultado em 16 de Outubro de 2012 
  11. Gail Mitchell (24 de Maio de 2011). «Ester Dean Talks Solo Career, Writing 'S&M' and 'Firework'» (em inglês). Billboard. Consultado em 16 de Outubro de 2012 
  12. a b «Radio & Records - Going For Adds - CHR/Top 40 - Week Of: January 23, 2011» (em inglês). Radio and Records. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  13. a b c d «S&M - Single by Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  14. a b «S&M - Single by Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  15. a b «S&M - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  16. a b c «S&M - EP de Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  17. a b c d e «S&M (Remixes) de Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  18. a b c d «S&M -2TR- - CD-S». CDGO. Consultado em 19 de Março de 2011 
  19. Emily Mackay (3 de Novembro de 2010). «Rihanna, 'Loud' - Album First Listen» (em inglês). NME. Consultado em 20 de Março de 2011 
  20. a b Andy Kellman. «Loud [Clean] - Rihanna» (em inglês). Allmusic. Consultado em 20 de Março de 2011 
  21. Douglas Wolk (9 de Fevereiro de 2011). «Rihanna, 'S&M'» (em inglês). The Daily. Consultado em 17 de Outubro de 2012 
  22. a b c d e f g (2010) Créditos do álbum Loud por Rihanna. Def Jam Recordings/SRP Music Group.
  23. Becky Bain (5 de Novembro de 2010). «Rihanna Loves The Smell Of Sex On Her Naughty Dance Track "S&M"» (em inglês). Idolator. Consultado em 20 de Março de 2011 
  24. a b c d «Song You Need To Know: Rihanna, 'S&M'» (em inglês). MTV Buzzworthy. 8 de Novembro de 2010. Consultado em 20 de Março de 2011 
  25. Jon Pareles (16 de Novembro de 2010). «Rihanna's 'Loud'» (em inglês). The New York Times. Consultado em 20 de Março de 2011 
  26. Stacey Anderson. «Rihanna, 'Loud' (Def Jam)» (em inglês). Spin. Consultado em 20 de Março de 2011 
  27. «S&M» (em inglês). ASCAP. Consultado em 20 de Março de 2011 
  28. a b «S AND M (Legal Title)» (em inglês). BMI. Consultado em 17 de Outubro de 2012 
  29. a b Thomas Conner (19 de Novembro de 2010). «'Loud' a well-deserved party for Rihanna». Chicago Sun-Times (em inglês). Sun-Times Media, LLC. Consultado em 20 de Março de 2011 
  30. a b c Sal Cinquienmani (12 de Novembro de 2010). «Rihanna: Loud | Music Review» (em inglês). Slant Magazine. Consultado em 21 de Março de 2011 
  31. a b c d Jake Conway (21 de Abril de 2011). «Review: S&M». Q (em inglês). Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  32. a b c «S&M – Kelly Clarkson – Digital Music Sheet» (em inglês). Musicnotes. Consultado em 17 de Outubro de 2012 
  33. a b Jocelyn Vena (2 de Fevereiro de 2010). «Rihanna's 'S&M' Video Restricted By YouTube, Banned In 11 Countries» (em inglês). MTV. Consultado em 20 de Março de 2011 
  34. «Rihanna angered by single rename» (em inglês). Digital Spy. 7 de Fevereiro de 2010. Consultado em 20 de Março de 2011 
  35. a b Bill Lamb (6 de Dezembro de 2010). «Rihanna - "S&M"» (em inglês). About.com. Consultado em 21 de Março de 2011 
  36. a b Nadine Cheung (6 de Dezembro de 2010). «Rihanna, 'S&M' -- New song» (em inglês). AOL Radio. Consultado em 21 de Março de 2011 
  37. a b c Monica Herrera (19 de Fevereiro de 2011). «Rihanna, "S&M"» (em inglês). Billboard. Consultado em 21 de Março de 2011 
  38. a b c Nick Levine. «Rihanna: 'S&M'» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 21 de Março de 2011 
  39. Leah Greenblatt (10 de Novembro de 2010). «Loud | Music» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 21 de Março de 2011 
  40. James Skinner (15 de Novembro de 2010). «Music - Review of Rihanna - Loud» (em inglês). British Broadcasting Corporation. Consultado em 21 de Março de 2011 
  41. {Steve Jones (16 de Janeiro de 2010). «Listen Up: Rihanna is living out 'Loud' on new album» (em inglês). USA Today. Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  42. a b c «J Cole featured on official remix» (em inglês). Rap-Up. 17 de Janeiro de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  43. «Rihanna asks followers for collaboration suggestion» (em inglês). The Guardian. 13 de Fevereiro de 2012. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  44. «Rihanna tweets possible remix premiere date» (em inglês). Capital FM. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  45. «Britney Spears, Rihanna Team for 'S&M' Remix» (em inglês). Billboard. 11 de Abril de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  46. «Britney Spears, Rihanna Team for 'S&M' Remix» (em inglês). Billboard. 16 de Junho de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  47. a b c d e Jocelyn Vena (9 de Abril de 2011). «Rihanna Says Britney Spears' 'S&M' Remix 'Had To Be Major'» (em inglês). MTV. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  48. a b Sadao Turner (24 de Janeiro de 2011). «EXCLUSIVE: Sneak Peek at Rihanna's New "S&M" Video (PHOTOS)» (em inglês). RyanSeacrest.com. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  49. «Rihanna Looks Yummy in 'S&M' Video» (em inglês). Rap-Up. 19 de Janeiro de 2011. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  50. «Rihanna Sizzles in Sexy 'S&M' Video Shots» (em inglês). Rap-Up. 24 de Janeiro de 2011. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  51. Mariel Concepcion (28 de Janeiro de 2011). «Watch: Sneak Peek of Rihanna's 'S&M' Video» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  52. «Video: Rihanna – 'S&M'» (em inglês). Rap-Up. 1 de Fevereiro de 2011. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  53. a b c d e f g h Jocelyn Vena (1 de Fevereiro de 2011). «Rihanna Pokes Fun At Media In 'S&M' Video» (em inglês). MTV. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  54. a b c Brad Wete (31 de Janeiro de 2011). «Rihanna and her leashed pet Perez Hilton get naughty in 'S&M' video: Watch here» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  55. Jason Lipshutz (1 de Fevereiro de 2011). «Rihanna 'S&M' Video Brings the Kink, Puts Perez Hilton on a Leash» (em inglês). Billboard. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  56. Amèle Debey (1 de Fevereiro de 2011). «PHOTOS - Rihanna : entre souffrance et plaisir, son coeur balance dans le clip de S&M !» (em inglês). Premiere.fr. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  57. Ann Lee (1 de Fevereiro de 2011). «Rihanna enjoys girl-on-girl kiss in S&M video as lesbian rumours emerge» (em inglês). Metro.co.uk. Consultado em 1 de Fevereiro de 2011 
  58. Matthew Perpetua (1 de Fevereiro de 2011). «Rihanna's Video For 'S&M' is Full of Candy-Coloured Kink» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  59. Ashleigh Rainbird (2 de Fevereiro de 2011). «Rihanna causes controvery with S&M video» (em inglês). Daily Mirror. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  60. a b Robert Copsey (1 de Fevereiro de 2011). «Rihanna video labelled "inappropriate"» (em inglês). Digital Spy. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  61. Matt Elias (2 de Fevereiro de 2011). «Rihanna's 'S&M' Video Restricted By YouTube, Banned In 11 Countries» (em inglês). MTV Networks. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  62. «Rihanna fress 'S&M' from YouTube» (em inglês). Toronto Sun. 2 de Fevereiro de 2011. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  63. Matt Elias (3 de Fevereiro de 2011). «Rihanna's 'S&M' Video Director Responds To Controversy» (em inglês). MTV Networks. Consultado em 4 de Fevereiro de 2011 
  64. «Rihanna Accused Of Ripping Off Famed Photographer In S&M Video» (em inglês). RadarOnline. 4 de Fevereiro de 2011. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  65. Verena von Pfetten (4 de Fevereiro de 2011). «Is Rihanna's S&M Video A Blatant Rip-Off Of David LaChapelle?» (em inglês). Styleite. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  66. «Did Rihanna rip off famed photographer for her new video? S&M strikingly similar to David LaChapelle's work» (em inglês). Daily Mail. 5 de Fevereiro de 2011. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  67. Basil Katz (14 de Fevereiro de 2011). «Photographer claims Rihanna stole images in video» (em inglês). Reuters. Consultado em 29 de Novembro de 2011 
  68. Reuters (14 de Fevereiro de 2011). «Rihanna Sued by David LaChapelle Over 'S&M' Music Video» (em inglês). Billboard. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  69. Eriq Gardner (29 de Junho de 2011). «Rihanna's 'S&M' Video Elicits Photographer's Copyright Infringement Lawsuit, Again» (em inglês). Billboard. Consultado em 17 de Outubro de 2012 
  70. a b Georgina Littlejohn (16 de Fevereiro de 2011). «Brit Awards 2011: Rihanna cleans up S&M song but not her outfit» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  71. «Rihanna and Cee Lo Green triumph at the Brit Awards» (em inglês). NME. 24 de Julho de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  72. a b c «Rihanna 'fuming' about S&M request from Brits organisers» (em inglês). Metro. 13 de Fevereiro de 2012. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  73. Jody Thompson (13 de Fevereiro de 2011). «Brit Awards 2011: Rihanna 'fuming' after being told tone down S&M performance» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  74. «Rihanna Wows Brisbane With Last Girl On Earth Gig» (em inglês). Fox FM. 26 de Fevereiro de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  75. Monica Herrera (22 de Maio de 2011). «Billboard Music Awards: Watch Britney Spears, Rihanna Perform 'S&M'» (em inglês). The Hollywood Reporter. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  76. «Billboard Music Awards 2011: Britney Spears receives an onstage kiss from Rihanna» (em inglês). Daily Mail. 24 de Maio de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  77. «Rihanna Goes Retro Pin-Up For 'Today Show' Performance» (vídeo) (em inglês). Hello Beautiful!. 27 de Maio de 2011. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  78. «Rihanna gets a major hair makeover before taking to the stage as a sexy sailor» (em inglês). Daily Mail. 16 de Agosto de 2010. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  79. Evan Serpick (5 de Junho de 2011). «Bikinis, Handcuffs and a Prince Cover: Rihanna Kicks Off Over-the-Top Summer Tour» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  80. Ed Masley (23 de Junho de 2011). «Britney Spears 'Femme Fatale' tour a giddy pop spectacle» (em inglês). The Arizona Republic. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  81. «Rihanna - Set list» (em inglês). BBC. 24 de Junho de 2012. Consultado em 21 de Outubro de 2012. Cópia arquivada em 21 de Outubro de 2012 
  82. Gordan Barr (9 de Abril de 2012). «Review: Steps at Metro Radio Arena» (em inglês). Chronicle Live. Consultado em 21 de Outubro de 2012 
  83. «Pitch Perfect» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 17 de Novembro de 2013 
  84. «Pitch Perfect (OST)» (em inglês). Amazon. Consultado em 17 de Novembro de 2013 
  85. Jim Harrington (6 de Abril de 2013). «Setlist: Rihanna in San Jose» (em inglês). Mercury News. Consultado em 29 de Abril de 2013 
  86. a b c «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  87. «Chart Log UK: Chart entries update». The Official Charts Company (em inglês). Zobbel. 27 de Outubro de 2010. Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  88. «Rihanna» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 19 de Março de 2011 
  89. «Top 40 R&B Singles Archive » 19th March 2011» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 13 de Março de 2011 
  90. Dan Lane (20 de Janeiro de 2012). «The biggest selling R&B and hip hop albums and singles of 2011 revealed» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  91. a b «Certificações (Reino Unido) – S&M» (em inglês). British Phonographic Industry. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  92. a b «Top 5 Airplay - nowości» (em polaco). ZPAV. Consultado em 10 de Outubro de 2012 
  93. a b «Danishcharts.com - Rihanna - S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  94. a b «Die ganze Musik im Internet: Charts, News, Neuerscheinungen, Tickets, Genres, Genresuche, Genrelexikon, Künstler-Suche, Musik-Suche, Track-Suche, Ticket-Suche – musicline.de» (em alemão). Media Control Charts. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  95. a b «Lescharts.com - Rihanna - S&M» (em francês). Hung Medien. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  96. a b «TOP DIGITAL - FULL TRACK» (em inglês). Billboard.biz. Consultado em 14 de Outubro de 2012. Cópia arquivada em 14 de Outubro de 2012 
  97. «Chartifacts - Week Commencing: 29th November 2010» (em inglês). Australian Recording Industry Association. 29 de novembro de 2010. Consultado em 19 de Março de 2011. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2010 
  98. «Rihanna - S&M - Issue 819» (em inglês). The Music Network. 17 de Janeiro de 2011. Consultado em 13 de Março de 2011 
  99. a b «Rihanna – S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  100. a b «ARIA Charts – Accreditations – 2015 Singles». Australian Recording Industry Association. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  101. a b «Charts.org.nz - Rihanna - Only Girl (In The World)"» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 28 de Setembro de 2010 
  102. a b «Chart #1773» (PDF) (em inglês). RIANZ. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  103. «The Billboard Hot 100: Week of December 4, 2010» (em inglês). Billboard. 4 de Dezembro de 2010. Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  104. Gary Trust (16 de Fevereiro de 2011). «Lady Gaga, 'Glee' Highlight Historic Hot 100 Week» (em inglês). Billboard. Consultado em 20 de Março de 2011 
  105. «Week Ending Feb. 20, 2011: Songs: Gaga Defies Odds - Chart Watch» (em inglês). New.music.yahoo.com. 20 de Fevereiro de 2011. Consultado em 20 de Março de 2011 
  106. Paul Grein (2 de Março de 2011). «Week Ending Feb. 27, 2011: Songs: Judge J.Lo» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 20 de Março de 2011 
  107. «Week Ending March 13, 2011: Spears' Second Act» (em inglês). Yahoo!. Consultado em 20 de Março de 2011 
  108. Gary Trust (11 de Abril de 2011). «Rihanna's "S&M" Reigns On Hot 100» (em inglês). Billboard. Consultado em 10 de junho de 2011 
  109. a b Gary Trust (14 de Setembro de 2011). «Rihanna Reclaims Pop Songs No. 1 Record; Britney Spears Joins 'S&M' 'Rih-Mix'» (em inglês). Billboard. Consultado em 23 de Outubro de 2012 
  110. «Canadian Hot 100 - Week of December 4, 2010» (em inglês). Billboard. 4 de Dezembro de 2010. Consultado em 20 de Março de 2011 
  111. «Rihanna – S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  112. «Ultratop.be - Rihanna - S&M» (em alemão). Hung Medien. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  113. «Ultratop.be - Rihanna - S&M» (em francês). Hung Medien. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  114. a b «Brasil Hot 100 Airplay». BBP. Billboard Brasil. 19: 100-101. Junho de 2011. ISSN 977-217605400-2 Verifique |issn= (ajuda) 
  115. «Rihanna Album & Song Chart History » Canadian Hot 100» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  116. «<Rihanna> 에 대한 검색결과 입니다.» (em coreano). Gaon Chart. Consultado em 15 de Outubro de 2011 
  117. «Archive Chart» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  118. «Hitparáda - RADIO TOP100 Oficiálna» (em esloveno). IFPI Czech Republic. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  119. «Spanishcharts.com – Rihanna – S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 19 de Março de 2011 
  120. «The Billboard Hot 100: Week Ending April 23, 2011» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  121. Gary Trust (11 de Abril de 2011). «Rihanna Reclaims Pop Songs No. 1 Record; Britney Spears Joins 'S&M' 'Rih-Mix'» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  122. «Rihanna Album & Song Chart History » Dance/Club Play Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  123. «Rihanna Album & Song Chart History » R&B/Hip-Hop Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  124. «Finnishcharts.com - Rihanna - S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  125. «Archívum – Slágerlisták – MAHASZ – Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége» (em húngaro). Rádiós Top 40. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  126. «Chart Track» (em inglês). Irish Singles Chart. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  127. «Rihanna – S&M Media Forest» (em inglês). Media Forest. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  128. «Rihanna – S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  129. «Luxembourg Digital Songs 2011-03-19» (em inglês). Billboard.biz. Consultado em 14 de Outubro de 2012. Cópia arquivada em 14 de Outubro de 2012 
  130. «Rihanna - S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  131. «Dutchcharts.nl – Rihanna – S&M» (em alemão). Hung Medien. Consultado em 18 de Março de 2011 
  132. «Archive Chart» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  133. «Archive Chart» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  134. «RADIO TOP100 Oficiální» (em cz). ifpicr.cz. Consultado em 19 de Março de 2011 
  135. «Swedishcharts.com - Rihanna - S&M» (em alemão). Hung Medien. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  136. «Rihanna - S&M» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 25 de Novembro de 2010 
  137. «ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 100 Singles 2011» (PDF) (em inglês). ARIA. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  138. «"Jahreshitparade 2011 - austriancharts.at» (em alemão). Hung Medien. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  139. «Jaaroverzichten 2011 - Singles» (em alemão). Ultratop. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  140. «Rapports annuels 2011 - Singles» (em francês). Ultratop. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  141. «Best of 2011: Canadian Hot 100 Songs (1–11)» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  142. «Track 2011 Top-50» (em inglês). Tracklisten. Consultado em 14 de Outubro de 2012. Cópia arquivada em 14 de Outubro de 2012 
  143. «Canciones Anual: 2011» (PDF) (em inglês). PROMUSICAE. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  144. «Best of 2011: Hot 100 Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  145. «Best of 2011: Pop Songs» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  146. «Best of 2011: Dance/Club Play» (em inglês). Billboard. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  147. «Archívum – Slágerlisták – MAHASZ – Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége» (em húngaro). Rádiós Top 40. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  148. «Best of 2011» (em inglês). IRMA. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  149. «End Of Year Charts 2011» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 15 de Outubro de 2012. Cópia arquivada em 15 de Outubro de 2012 
  150. «End Of Year Charts: 2011» (PDF) (em inglês). ChartsPlus. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  151. «Ĺrslista Singlar - Ĺr 2010» (em sueco). Hitlistan. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  152. «Swiss Year-End Charts 2011» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  153. «Gold-/Platin-Datenbank (Rihanna; 'S&M')» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  154. «Ultratop − Goud en Platina - 2011» (em inglês). Ultratop & Hung Medien / hitparade.ch. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  155. «Certificações (Dinamarca) (single)» (em dinamarquês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Dinamarca). Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  156. «Canciones» (PDF) (em espanhol). PROMUSICAE. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  157. «Certificações (Estados Unidos) – Rihanna – S&M» (em inglês). Recording Industry Association of America. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  158. «Certificações (Itália) (single)» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  159. «Guld- och Platinacertifikat − År 2011» (PDF) (em sueco). Federação Internacional da Indústria Fonográfica (Suécia). Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  160. «The Official Swiss Charts and Music Community: Awards 2011» (em inglês). Hung Medien. Consultado em 15 de Outubro de 2012 
  161. «Radio & Records - Going For Adds - Rhythmic - Week Of: January 23, 2011» (em inglês). Radio and Records. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  162. «S&M - Single by Rihanna» (em alemão). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  163. «S&M - EP de Rihanna» (em espanhol). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  164. «S&M - EP de Rihanna». iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  165. «S&M - EP by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  166. «S&M (Remixes) by Rihanna» (em alemão). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  167. «S&M (Remixes) by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  168. «S&M (Remixes) by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  169. «S&M (2-Track) - Rihanna» (em alemão). Amazon. Consultado em 27 de Fevereiro de 2011 
  170. «S&M (2-Track) - Rihanna» (em francês). Amazon. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  171. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  172. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  173. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  174. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em francês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  175. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 
  176. «S&M (Remix) [feat. Britney Spears] - Single by Rihanna» (em inglês). iTunes Store. Consultado em 14 de Outubro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]