Sá Noronha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sá Noronha
Violinista e Compositor Português
Informação geral
Nascimento 1820
Local de nascimento Viana do Castelo
Portugal
Morte 1881
Local de morte Rio de Janeiro
Período em atividade sec: XIX

Francisco de Sá Noronha (Viana do Castelo, 1820 - Rio de Janeiro, 1881) foi um violinista, e compositor português que viveu entre Portugal e o Brasil.

Entre as suas obras destacam-se as óperas Beatrice di Portogallo (1863), e Tagir (1876). Refira-se ainda o Arco de Sant'Anna (1867), com libreto baseado no romance homónimo de Almeida Garrett, publicado em duas partes, em 1845 e 1850. Esta ópera estreou em 1867 no Teatro de São João, no Porto, e foi levada à cena no Teatro de São Carlos, em Lisboa, no ano seguinte:

“O público fez o mais lisonjeiro acolhimento à ópera, prodigalizando entusiásticos aplausos aos cantores. A composição de Noronha tinha algum merecimento, mas estava longe de justificar as ovações que lhe fizeram. Mas se o público assim aplaudia os que cantavam a ópera do maestro português, resolveu desforrar-se pateando os que se tinham recusado a cantar a composição nacional.” (in Benevides, Francisco da Fonseca (1883) O Real Teatro de S. Carlos de Lisboa desde a sua fundação em 1793 até à actualidade: estudo histórico Tip. Castro Irmão, p. 324)

Seus restos mortais encontram-se sepultados no Cemitério do Caju.

Obra Musical[editar | editar código-fonte]

Óperas e Teatro Musical[editar | editar código-fonte]

  • Arthur ou 16 annos depois, comédia em 2 actos, Teatro da Rua dos Condes, Lisboa (1854)
  • A Graça de Deus, drama em 5 actos, Teatro da Rua dos Condes, Lisboa (1854)
  • Raros mas ainda os há!, comédia vaudeville, Porto (1858)
  • Santa Iria, drama sacro em 3 actos, libreto de A. C. Vasconcellos, Teatro do Ginásio, Lisboa (1862)
  • Um filho familias, comédia em 3 actos, libreto traduzido por Júlio César Machado, Teatro do Ginásio, Lisboa (1862)
  • L'Arco di Sant'Anna [O Arco de Sant'Ana], libreto a partir de O Arco de Sant'Ana de Almeida Garrett, Teatro de São João, Porto (1867)
  • Os Bohemios, opereta em 1 acto, Teatro Baquet, Porto (entre 1873 - 75)
  • Se eu fosse rei, ópera cómica em 3 actos, a partir da tradução do libreto de Si j'etais roi [Si j'etais roi, A. Adam], Teatro Baquet, Porto (entre 1873 - 75)
  • O Annel de Prata, opereta em 1 acto, Teatro Baquet, Porto (entre 1873 - 75)
  • A Princeza dos Cajueiros, opera cómica, libreto de Artur Azevedo, Teatro da Fénix Dramática, Rio de Janeiro (1880)


(sem data especificada)


  • A família Moreley, ópera cómica
  • A filha do cego, vaudeville
  • As Virgens, opereta
  • Esmeralda, ópera cómica
  • O baiano na corte, vaudeville
  • O Califa da rua do Sabão, opera cómica, Rio de Janeiro
  • O Fagulha, opereta
  • Os Guardas do rei de Sião, ópera cómica
  • Os Mosqueteiros da Rainha, ópera cómica
  • Os Noivos, opereta em 1 acto, Rio de Janeiro
  • São Gonçalo, drama sacro
  • Trajano, ópera séria

Música Sacra[editar | editar código-fonte]

  • Misere (1829)
  • Missa a quatro vozes e piano (também com orquestra)
  • Missa expressamente escrita para o Coração de Maria a quatro vozes e piano (também com orquestra)

Música de Circunstância[editar | editar código-fonte]

  • «Elegia á morte de D. Pedro V» para violino e piano, para violino e piano, publicada no Porto (1861)
  • Hymno do Palácio de Chrystal, para orquestra e banda Militar, Porto (1867)
  • Associação e Progresso, para solistas, coro e orquestra (1868)
  • «A Despedida», Hymno composto e offerecido aos portuenses, Porto

Música Vocal[editar | editar código-fonte]

  • Polacca para canto e orchestra, para Soprano, Coro e Orquestra, Theatro Baquet (1864)
  • «Eu te amo!», modinha, Rio de Janeiro (editada por Narciso e Arthur Napoleão)

Música de Concerto[editar | editar código-fonte]

  • Improviso, para violino com orchestra, Teatro do Ginásio, Lisboa (1862)
  • Capricho de concerto, para violino e piano
  • «Carnaval de Lisboa», valsas burlescas, para violino e piano
  • «Los tristes dei Peru», phantasia peruviana, para violino e piano
  • Morceaux de Concert — Caprice pour le violon avec acompanment de piano, Op. 15 (publicado em Londres)
  • Phantasia sobre o Rigoletto, para violino e piano
  • Phantasia sobre a Traviata, para violino e piano (dedicada a Camilo Castelo Branco)
  • Phantasia sobre o Trovador, para violino e piano
  • Variações para violino sobre a opera cómica «O Dominó preto» [Dominó Noir, Auber], para violino e piano
  • Variações sobre um thema de Thalberg, para violino e piano

Música para Piano[editar | editar código-fonte]

  • «Bonina», mazurka para piano (publicada no jornal «A Lyra Portugueza»)

Referências[editar | editar código-fonte]

Francisco de Sá Noronha (CIMP)

Francisco de Sá Noronha: Dicionário Biográfico de Músicos Portugueses