Sávio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o futebolista nascido em 1974. Para o que nasceu em 2004, veja Sávio Moreira de Oliveira.
Sávio
Sávio
Sávio em 2010
Informações pessoais
Nome completo Sávio Bortolini Pimentel
Data de nasc. 9 de janeiro de 1974 (48 anos)
Local de nasc. Vila Velha, Espírito Santo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
italiano
Altura 1,76 m
canhoto
Apelido Anjo Loiro da Gávea
Novo Zico
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meio-campista ou ponta-esquerda
Clubes de juventude
1986–1988
1988–1992
Desportiva Ferroviária
Flamengo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1992–1997
1998–2003
2002–2003
2003–2006
2006
2007
2007
2008
2008–2009
2010
Flamengo
Real Madrid
Bordeaux (emp.)
Zaragoza
Flamengo
Real Sociedad
Levante
Desportiva Ferroviária
Anorthosis Famagusta
Avaí
0261 000(95)
0160 000(30)
0036 000(10)
0130 000(23)
0010 0000(0)
0021 0000(5)
0012 0000(0)
0009 0000(6)
0020 0000(5)
0031 0000(4)
Seleção nacional
1992–1993
1995–1996
1994–2000
Brasil Sub-20
Brasil Sub-23
Brasil
0026 0000(8)
0022 000(15)
0021 0000(4)
Times/clubes que treinou
2012–2013 Guarani de Palhoça (diretor executivo)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Atlanta 1996 Futebol
Copa América
Prata Uruguai 1995 Futebol
Copa Ouro da CONCACAF
Prata Estados Unidos 1996 Futebol

Sávio Bortolini Pimentel (Vila Velha, 9 de janeiro de 1974) é um empresário, diretor executivo e ex-futebolista brasileiro que atuava como meio-campista ou ponta-esquerda.

Revelado pelo Flamengo, Sávio foi ídolo da torcida rubro-negra na década de 1990, quando ganhou o apelido de "Anjo Loiro da Gávea".[1] Também fez sucesso no futebol espanhol, onde atuou por Real Madrid, Zaragoza, Real Sociedad e Levante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O início[editar | editar código-fonte]

Formado nas divisões de base da Desportiva Ferroviária, do Espírito Santo, Sávio foi contratado pelo Flamengo em 1988, quando tinha apenas 14 anos de idade.

O jovem e habilidoso meio-campista, com seus dribles pela ponta-esquerda, logo encantou aos torcedores e à mídia esportiva, que passaram a elegê-lo como o futuro "novo Zico".[2] Não apenas pela habilidade que exibia desde sua pouca idade, mas também porque, como Zico, Sávio tinha o físico franzino e, portanto, era bastante suscetível a faltas (o que também o tornou conhecido na imprensa esportiva em meados da década de 1990).[3]

Durante o pré-olímpico para as Olimpíadas de 1996, Sávio foi destaque na Seleção Sub-23, deixando, inclusive, Ronaldo Fenômeno no banco de reservas.

Em 1995, no ano do centenário do Flamengo, formou o chamado ataque dos sonhos, ao lado de Romário e Edmundo.[4] No entanto, prejudicado por um ambiente conturbado, as estrelas do Flamengo não engrenaram.[5] Com a saída de Edmundo apenas cinco meses após sua chegada, a parceria com o Baixinho prosseguiu nos dois anos seguintes, apesar das idas e vinda de Romário. Ainda assim, Sávio relembra com carinho do período:

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Finalmente, em 1997, para lamento da torcida rubro-negra, Sávio acabou sendo negociado com o Real Madrid. Até então, foi a transferência mais cara da história do Flamengo e uma das maiores do futebol brasileiro.

Sávio jogou no Real Madrid, de 1998 a 2002, e sob o comando de Vicente del Bosque, participou das conquistas de muitos títulos, incluindo uma La Liga (Campeonato Espanhol), três títulos da Liga dos Campeões da UEFA e um Mundial Interclubes. Contudo, mesmo jogando muito bem, durante todo esse período, Sávio sofreu com seguidas contusões que acabaram lhe rendendo poucas oportunidades como titular da equipe. Ainda assim, atuou por mais de 100 vezes com a camisa merengue.

Na temporada de 2001–02, o clube contratou o craque francês Zinédine Zidane, relegando Sávio ao posto de reserva.[6] Sem chances como titular no Real, foi emprestado ao Bordeaux, da França, durante a temporada 2002–03.

Terceiro brasileiro na história com mais temporadas (cinco) pelo Real Madrid, perdendo apenas para os laterais Roberto Carlos e Marcelo, Sávio se despediu definitivamente do clube merengue em 2003, quando foi vendido ao Zaragoza.

Zaragoza[editar | editar código-fonte]

Recuperando sua melhor forma física, Sávio logo ganhou a simpatia da torcida, pois foi através de seus ótimos ataques pela ponta-esquerda que o Zaragoza conseguiu conquistar os títulos da Copa do Rei - sobre sua ex-equipe, o Real Madrid - e da Supercopa da Espanha, em 2004. Ainda em 2004, pela La Liga, marcou o gol da vitória por 2 a 1 contra a Real Sociedad no dia 17 de outubro.[7] Suas atuações lhe levaram a ser chamado de "galáctico do Zaragoza",[8] em alusão à como era conhecido o elenco madridista na época.

De fato, o carinho da torcida espanhola, para com Sávio, foi tamanho, que em sua despedida do Zaragoza, o brasileiro acabou sendo ovacionado, em campo, além de ter sido imortalizado no hall dos ídolos do clube.[9]

Retorno ao Flamengo[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2006 voltou ao Flamengo, clube que o revelara, e que Sávio admite ser seu time de coração.[10][11] Nesta nova passagem pelo Flamengo, porém, disputou apenas 10 partidas e não marcou nenhum gol.[12]

Real Sociedad e Levante[editar | editar código-fonte]

No dia 5 de janeiro de 2007, Sávio voltou à Espanha uma terceira vez, para reforçar o elenco da Real Sociedad, que brigava contra o rebaixamento na La Liga.[13] Sua chegada, porém, não foi suficiente para evitar o descenso do clube basco para a Segunda Divisão Espanhola.

Em seguida, a fim de continuar disputando a primeira divisão da Espanha, Sávio decidiu acertar sua transferência para o Levante em junho de 2007.[14]

Desportiva Ferroviária e Anorthosis[editar | editar código-fonte]

Tendo rescindido seu contrato com o Levante, no começo de 2008, Sávio retornou a Vila Velha, sua terra natal, quando passou a jogar pelo Desportiva Ferroviária, clube aonde havia treinado, antes de ir para as categorias de base do Flamengo. Seu retorno, nesta época, foi com o objetivo de promover o futebol no Espírito Santo.[15]

Em meados de 2008, acertou sua transferência para o Anorthosis, clube de Chipre, que havia se classificado para a Liga dos Campeões da UEFA. Sávio passou a ser a referência do Anorthosis na Liga dos Campeões, fazendo ótimas partidas. No total, atuou em 20 partidas pela equipe e marcou seis gols.[16]

Avaí[editar | editar código-fonte]

Sávio confirmou seu retorno ao futebol brasileiro no dia 5 de janeiro de 2010, sendo anunciado pelo Avaí.[17][18][19] Chegou ao clube catarinense como o maior reforço do clube para as competições do ano, mas demorou a estrear pois estava fora de ritmo. Ainda assim, teve algumas boas atuações, em especial na Copa do Brasil, porém, devido às seguidas lesões, o seu aproveitamento foi comprometido. No dia 20 de setembro do mesmo ano de sua chegada, foi anunciada a sua saída do clube.[20] Em 31 partidas disputadas pelo clube catarinense, Sávio marcou apenas quatro gols.[21] Em 2011, anunciou sua aposentadoria.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Em 1996, Sávio teve uma passagem muito boa pela Seleção Olímpica de 1996, deixando Ronaldo Fenômeno no banco. Com esta Seleção Olímpica, ele conquistou o Pré-Olímpico e a medalha de bronze em Atlanta.[22]

Enquanto jogador do Flamengo, Sávio disputou a Copa América de 1995 e os Jogos Olímpicos de 1996. Chegou a atuar pelo Seleção Brasileira principal em mais dois jogos, em 1999 e 2000, quando defendia o Real Madrid.[23]

Partidas[editar | editar código-fonte]

Seleção Olímpica[editar | editar código-fonte]
  • Seleção Olímpica - 19 jogos oficiais (14 vitórias, 2 empates, 3 derrotas) e 14 gols[24]
Partida Jogos Data Competição Gols
1 Brasil 5–0 Chile 19 de outubro de 1994 Amistoso 3
2 Brasil 4–1 Canadá 12 de janeiro de 1996 Amistoso 1
3 Brasil 5–0 Honduras 14 de janeiro de 1996 Amistoso 1
4 Brasil 1–0 Estados Unidos 18 de janeiro de 1996 Amistoso 1
5 Brasil 0–2 México 21 de janeiro de 1996 Amistoso 1
6 Brasil 2–0 Bulgária 11 de fevereiro de 1996 Amistoso 2
7 Brasil 1–0 Ucrânia 13 de fevereiro de 1996 Amistoso 1
8 Brasil 4–1 Peru 18 de fevereiro de 1996 Torneio Pré-Olímpico 2
9 Brasil 3–1 Paraguai 21 de fevereiro de 1996 Torneio Pré-Olímpico 0
10 Brasil 4–1 Bolívia 23 de fevereiro de 1996 Torneio Pré-Olímpico 0
11 Brasil 0–0 Uruguai 27 de fevereiro de 1996 Torneio Pré-Olímpico 0
12 Brasil 5–0 Venezuela 1 de março de 1996 Torneio Pré-Olímpico 2
13 Brasil 3–1 Uruguai 3 de março de 1996 Torneio Pré-Olímpico 0
14 Brasil 2–2 Argentina 6 de março de 1996 Torneio Pré-Olímpico 1
15 Brasil 2–1 Seleção da FIFA 14 de julho de 1996 Amistoso 0
16 Brasil 0–1 Japão 21 de julho de 1996 Jogos Olímpicos 0
17 Brasil 3–1 Hungria 23 de julho de 1996 Jogos Olímpicos 0
18 Brasil 1–0 Nigéria 25 de julho de 1996 Jogos Olímpicos 0
19 Brasil 3–4 Nigéria 31 de julho de 1996 Jogos Olímpicos 0
  • Fonte: Livro - Seleção Brasileira: 1914–2006. Por Antonio Carlos Napoleão, Roberto Assaf[24]
Seleção Principal[editar | editar código-fonte]
  • Seleção Principal - 24 jogos oficiais (17 vitórias, 6 empates, 1 derrota) e 6 gols[24]
Partida Jogo Data Competição Gols
1 Brasil 3–0 Islândia 4 de maio de 1994 Amistoso 0
2 Brasil 2–0 Iugoslávia 23 de dezembro de 1994 Amistoso 0
3 Brasil 5–0 Eslováquia 22 de fevereiro de 1995 Amistoso 0
4 Brasil 1–1 Honduras 29 de março de 1995 Amistoso 0
5 Brasil 2–1 Polônia 29 de junho de 1995 Amistoso 0
6 Brasil 1–0 Equador 7 de julho de 1995 Copa América 0
7 Brasil 2–0 Peru 10 de julho de 1995 Copa América 0
8 Brasil 3–0 Colômbia 13 de julho de 1995 Copa América 0
9 Brasil 2–2 Argentina 17 de julho de 1995 Copa América 0
10 Brasil 1–0 Estados Unidos 20 de julho de 1995 Copa América 0
11 Brasil 5–1 Japão 9 de agosto de 1995 Amistoso 1
12 Brasil 1–0 Coreia do Sul 12 de agosto de 1995 Amistoso 0
13 Brasil 2–2 Romênia 27 de setembro de 1995 Amistoso 1
14 Brasil 2–0 Uruguai 11 de outubro de 1995 Amistoso 0
15 Brasil 3–1 Colômbia 20 de dezembro de 1995 Amistoso 0
16 Brasil 4–1 Canadá 12 de janeiro de 1996 Copa Ouro da CONCACAF 1
17 Brasil 5–0 Honduras 14 de janeiro de 1996 Copa Ouro da CONCACAF 1
18 Brasil 1–0 Estados Unidos 18 de janeiro de 1996 Copa Ouro da CONCACAF 0
19 Brasil 0–2 México 21 de janeiro de 1996 Copa Ouro da CONCACAF 0
20 Brasil 8–2 Gana 27 de março de 1996 Amistoso 1
21 Brasil 3–2 África do Sul 24 de abril de 1996 Amistoso 0
22 Brasil 1–1 Croácia 22 de maio de 1996 Amistoso 1
23 Brasil 2–2 Holanda 9 de outubro de 1999 Amistoso 0
24 Brasil 1–1 Uruguai 28 de junho de 2000 Amistoso 0
  • Fonte: Livro - Seleção Brasileira: 1914–2006. Por Antonio Carlos Napoleão, Roberto Assaf[24]
Gols[editar | editar código-fonte]
Seleção Sub-20
Seleção Olímpica
Seleção Principal

Pós-futebol[editar | editar código-fonte]

Savio encerrou a carreira em 2010, após atuar pelo Avaí. Em 2012, depois de criar uma empresa de gestão esportiva, implementou no Guarani de Palhoça os conhecimentos adquiridos ao longo dos 20 anos de futebol.[25]

Além da rodagem e aprendizado nos gramados brasileiros e espanhóis, Sávio aproveitou a passagem pelo Real Madrid, entre 1997 e 2002, para participar de cursos sobre administração no futebol e marketing esportivo. Nesse curto período de criação da sua empresa, o, agora empresário, promove palestras e clínicas dirigidas ao esporte. O ex-atleta também faz abordagens sobre suas experiências no futebol e dos cursos em que participou, destacando a motivação, superação, economia e investimentos.[26]

Foi comentarista do Campeonato Catarinense pela RBS TV de Santa Catarina. Em agosto de 2015 foi contratado pelo Esporte Interativo para ser comentarista do canal, em principal da Liga dos Campeões da UEFA.[27] Sávio já lançou um livro sobre sua carreira, "SÁVIO - Dribles certeiros de uma carreira de sucesso", que fala sobre como administrou sua carreira e como pensou o seu pós-carreira.[28][29] Foi escrito pelo jornalista Renan Koerich e lançado pela editora Maquinária.

Atualmente Sávio reside em Florianópolis, Santa Catarina e é proprietário da Bortolini Patrimonial, empresa na área de investimentos imobiliários próprios, e da Sávio Soccer, empresa de gerenciamento de carreiras de jovens atletas de futebol.[30]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Ano/Temporada Campeonato Nacional Copa Torneios Continentais Total
Divisão Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Flamengo 1992 Campeonato Brasileiro - Série A 3 2
1993 8 2
1993 61 16
1995 70 27
1996 41 19
1997 67 29
2006 10 0
Total pelo clube 265 95
Real Madrid 1997–98 La Liga 12 3 1 0 2 0 15 3
1998–99 34 6 6 1 7 3 49 10
1999–00 25 4 2 0 11 4 42 9
2000–01 26 3 1 1 11 1 40 5
2001–02 8 0 1 1 4 2 14 3
Total pelo clube 105 16 11 3 35 10 160 30
Bordeaux 2002–03 Ligue 1 27 7 5 2 4 1 36 10
Total pelo clube 27 7 5 2 4 1 36 10
Zaragoza 2003–04 La Liga 29 2 5 1 0 0 34 3
2004–05 36 10 1 0 10 4 47 14
2005–06 30 4 2 0 0 0 32 4
Total pelo clube 95 16 8 1 10 4 113 21
Real Sociedad 2006–07 La Liga 19 5 0 0 0 0 19 5
Total pelo Clube 19 5 0 0 0 0 19 5
Levante 2007–08 La Liga 12 0 0 0 0 0 12 0
Total pelo clube 12 0 0 0 0 0 12 0
Desportiva Capixaba 2008 Campeonato Brasileiro - Série D 9 6
Total pelo clube 9 6
Anorthosis Famagusta 2008–09 Protáthlima A΄ Katigorías 16 4 0 0 4 1 20 5
Total pelo clube 16 4 0 0 4 1 20 5
Avaí 2010 Campeonato Brasileiro - Série A 31 4
TOTAL 665 176

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo
Real Madrid
Zaragoza
Desportiva Ferroviária
Avaí
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

  • 1998 - Título de Cidadão do Estado do Rio de Janeiro[31]

Referências

  1. Fabio Klotz (17 de dezembro de 2015). «Savio, a história do Anjo Louro do Fla». O Dia. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  2. Gabriel Carneiro (10 de abril de 2019). «Sávio compara sua chegada ao Real com Vinícius Júnior». UOL. Consultado em 13 de maio de 2022 
  3. Fernando Rodrigues e Mário Magalhães (10 de julho de 1995). «Sávio se inspira em Zico; Zagallo iguala recorde hoje». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  4. «De Diabo a Anjo Loiro e ataque com Romário e Edmundo: Sávio abre o jogo em live da Goal». Goal.com. 21 de abril de 2020. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  5. «Sávio: o ataque dos sonhos do Fla "não podia dar certo"». Band. 19 de fevereiro de 2016. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  6. Guilherme Moreno e Vinicius Ribeiro (27 de outubro de 2020). «Ídolo de Flamengo e Real Madrid, Sávio conta detalhes do pior treinador que teve: 'Não me acrescentava em nada'». ESPN Brasil. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  7. «Sávio marca gol da vitória do Zaragoza sobre o Real Sociedad no Espanhol». Folha de S.Paulo. 17 de outubro de 2004. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  8. "Sobe e desce", Placar número 1276, novembro de 2004, Editora Abril, pág 61
  9. «Sávio se despede do Zaragoza e retorna ao Brasil». O Globo. 12 de maio de 2006. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  10. «Atacante Sávio está de volta ao Flamengo». UOL. 25 de maio de 2006. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  11. «Sávio assina contrato e confirma retorno ao Flamengo». UOL. 12 de junho de 2006. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  12. Antonio Mota (9 de fevereiro de 2021). «8 craques que tiveram mais de uma passagem pelo Flamengo». 90min. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  13. «Sem alarde, Sávio volta para a Espanha». Trivela. 5 de janeiro de 2007. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  14. «Sávio deixa Real Sociedad e vai para Levante». Trivela. 20 de junho de 2007. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  15. Pedro Vedova (28 de janeiro de 2008). «Sávio se inspira em Zico para investir no ES». GloboEsporte.com. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  16. «Sávio». Artilheiros. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  17. «Avaí anuncia contratação do meia-atacante Sávio». Estadão. 5 de janeiro de 2010. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  18. «Em sua apresentação, Sávio diz que escolheu Avaí pelo projeto do clube». UOL. 7 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  19. «Sávio afirma que não está em Florianópolis a passeio e promete honrar a camisa do Avaí». GZH. 7 de janeiro de 2010. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  20. «Sávio se reúne com a diretoria do Avaí e deixa o clube catarinense». GloboEsporte.com. 20 de setembro de 2010. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  21. «Sávio não integra mais o elenco do Avaí». GZH. 20 de setembro de 2010. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  22. Fabio Klotz (15 de outubro de 2013). «Ídolo do Flamengo, Sávio relembra carreira e ressalta coração rubro-negro». O Dia. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  23. Luiz Otávio Abrantes de Oliveira (5 de maio de 2017). «Da Gávea para o mundo – Batemos um papo com o ex-jogador Sávio». LANCE!. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  24. a b c d Seleção Brasileira: 1914–2006. Por Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf
  25. «Ex-Flamengo, Sávio vira cartola em time de Santa Catarina». GloboEsporte.com. 1 de dezembro de 2012. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  26. «Ídolo de Flamengo e Real Madrid, Savio completa 47 anos e revela projetos fora das quatro linhas para 2021». Minuto Esportes. 14 de janeiro de 2021. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  27. «Esporte Interativo contrata ex-jogador Sávio, de Flamengo e Real Madrid». NaTelinha. 31 de agosto de 2015. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  28. «Savio lança livro na Gávea sobre sua carreira». Site oficial do Flamengo. 30 de novembro de 2015. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  29. Igor Siqueira (2 de dezembro de 2015). «Com presença de Bandeira e ex-craques, Savio lança livro na Gávea». LANCE!. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  30. Francisco De Laurentiis e Vladimir Bianchini (8 de maio de 2015). «'Anjo Loiro da Gávea' vira homem de negócios e garante: 'Sinto o mesmo prazer do futebol'». ESPN Brasil. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  31. «Proposição». Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. 18 de fevereiro de 1998. Consultado em 19 de dezembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Sávio