Benedito, o Mouro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de São Benedito)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "São Benedito" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja São Benedito (desambiguação).
São Benedito
Vitral em honra a São Benedito no interior da Capela do Divino Espírito Santo, Porto Alegre.
Nascimento 31 de março de 1524 em Sicília, Itália
Morte 4 de abril de 1589 (65 anos) em Palermo, Itália
Veneração por Igreja Católica
Beatificação 1734 por Papa Bento XIV
Canonização 24 de maio de 1807 por Papa Pio VII
Festa litúrgica 5 de outubro
Padroeiro dos negros
dos cozinheiros e dos Africanos.
Gloriole.svg Portal dos Santos

Benedito, o Mouro (ordem OFM Cap), conhecido também como Benedito, o Negro, Benedito, o Africano, Benedito de Palermo, Mouro, geralmente chamado simplesmente de São Benedito (Sicília, 31 de março de 1524 - Palermo, 4 de abril de 1589), é um santo católico que, segundo algumas versões de sua história, nasceu em 1524 na Sicília (Itália), em família pobre e descendente de africanos escravizados na Etiópia. Outras versões dizem que foi um escravo capturado no norte da África, o que era muito comum no sul da Itália nesta época. Neste caso, ele seria de origem moura, e não etíope. Chamado pelo apelido de "mouro" devido a cor parda da pele.

História[editar | editar código-fonte]

Aos 18 anos de idade, já havia decidido consagrar-se ao serviço de Deus, e, aos 21, um monge dos irmãos eremitas de São Francisco de Assis chamou-o para viver entre eles. Benedito aceitou. Fez votos de pobreza, obediência e castidade, e, coerentemente, caminhava descalço pelas ruas e dormia no chão sem cobertas. Era muito procurado pelo povo, que desejava ouvir seus conselhos e pedir-lhe orações.

Cumprindo seu voto de obediência, depois de 17 anos entre os eremitas, foi designado para ser cozinheiro no Convento dos Capuchinhos. Sua piedade, sabedoria e santidade levaram seus irmãos de comunidade a elegê-lo Superior do Mosteiro, apesar de analfabeto e leigo, pois não havia sido ordenado sacerdote. Seus irmãos o consideravam iluminado pelo Espírito Santo, pois fazia muitas profecias. Ao terminar o tempo determinado como Superior, reassumiu com muita humildade mas com alegria suas atividades na cozinha do convento.

São Benedito morreu aos 65 anos, no dia 4 de abril de 1589, em Palermo, na Itália. Na porta de sua cela, no Convento de Santa Maria de Jesus de Palermo, se encontra uma placa com a inscrição em italiano indicando que era a Cela de São Benedito e, embaixo, as datas 1524-1589, para indicar as datas do nascimento e de sua morte. Alguns autores indicam 1526 como o ano de seu nascimento, mas os Frades do Convento de Santa Maria de Jesus consideram que a data certa é 1524.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Benedito, o Mouro

Adoração[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, São Benedito e outros, como Nossa Senhora do Rosário, Santo Antônio de Categeró, Santa Ifigênia e Santo Elesbão, são considerados parte das chamadas "devoções negras" – entre os séculos XVI a XVIII, milhares de africanos foram trazidos ao país na condição de escravos.[1][2] Na localidade de Coval, no concelho de Santa Comba Dão, todo ano a seguir à Páscoa, há uma missa e festa em sua honra ao santo.

No Brasil, o santo é tradicionalmente venerado pelos negros, que relacionam o período de escravidão e a origem africana do santo com o seu próprio passado de escravidão e suas raízes africanas.[3] Em Guaratinguetá, desde 1726, há cavalaria em louvor a São Benedito, tradicionalmente no domingo de Páscoa.

Em 24 de maio de 1807, Benedito foi canonizado pelo papa Pio VII, passando então a ser São Benedito.

Referências

  1. LAHON, Didier. Esclavage, confréries noires, sainteté noire et pureté de sang au Portugal (XVIe-XVIIIe siècles). Lusitânia Sacra 2ª série, Lisboa, v. 15, p. 119-162, 2003. link.
  2. REGINALDO, Lucilene. “África em Portugal”: devoções, irmandades e escravidão no Reino de Portugal, século XVIII. História, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 289-320, 2009. link.
  3. São Benedito: santo protetor dos negros. Disponível em www.uniafro.xpg.com.br/sao_benedito_e_outros.htm. Acesso em 28 de outubro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]