São Brás do Suaçuí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São Brás do Suaçuí
  Município do Brasil  
Igreja Matriz de São Brás.
Igreja Matriz de São Brás.
Símbolos
Brasão de armas de São Brás do Suaçuí
Brasão de armas
Hino
Gentílico suaçuiense
Localização
Localização de São Brás do Suaçuí em Minas Gerais
Localização de São Brás do Suaçuí em Minas Gerais
São Brás do Suaçuí está localizado em: Brasil
São Brás do Suaçuí
Localização de São Brás do Suaçuí no Brasil
Mapa de São Brás do Suaçuí
Coordenadas 20° 37' 30" S 43° 56' 56" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Municípios limítrofes Jeceaba, Entre Rios de Minas, Queluzito, Conselheiro Lafaiete, Congonhas
Distância até a capital 109 km
História
Emancipação 12 de dezembro de 1953
Administração
Prefeito(a) Elias Ribeiro de Souza (PSD, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 110,442 km²
População total (Censo IBGE/2010[3]) 3 512 hab.
Densidade 31,8 hab./km²
Clima Tropical de altitude
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 35495-000 a 35496-999[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,743 alto
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 89 152,718 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 24 593,85
Outras informações
Padroeiro(a) São Brás[6]
www.saobrasdosuacui.mg.gov.br (Prefeitura)
www.saobrasdosuacui.cam.mg.gov.br (Câmara)

São Brás do Suaçuí é um município brasileiro da Mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2010 era de 3 512 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Foi o sesmeiro Armando de Souza da Guarda quem constituiu o patrimônio inicial para a ereção da capela de São Brás, filial de Congonhas do Campo, em 1728, conforme escritura de 13 de abril daquele ano. Em 1753 registra-se provisão para sua reforma, ou reconstrução. Foi elevado de curato a paróquia pela lei nº 471, de 1 de junho de 1850. Foi distrito do município de Entre Rios de Minas até seu desmembramento em 12 de dezembro de 1953.

Nasceu na cidade Rodolfo Gustavo da Paixão, deputado federal e presidente do estado de Goiás no governo provisório do marechal Deodoro da Fonseca.[7]

Economia[editar | editar código-fonte]

Basicamente agrícola, nota-se grande produção de carvão vegetal e plantio de eucalipto. Na cidade também existe um posto de reabastecimento de locomotivas localizado na Ferrovia do Aço, próximo à divisa com o município de Jeceaba. Há também na cidade o "City Gate", posto de compressão de gás de onde partem as ramificações de gás natural para o Vale do Aço e para as principais minerações da região central do estado. Em 26 de outubro de 2010, a Companhia Siderúrgica Nacional anunciou previsão de investimento de R$ 400 milhões para uma usina de aços longos na cidade.[8]

Cultura[editar | editar código-fonte]

O amor à música é um traço marcante da pequena população desse município, onde grande número de pessoas dedica-se ao estudo e à execução de instrumentos musicais, bem como ao canto.

São Brás do Suaçuí, com apenas 3.512 habitantes, é herdeira de fortes tradições culturais da época colonial. Ainda hoje, a cidade é conhecida em toda a região pelo grande talento e vocação do seu povo para a música. Temos notícias de grupos atuando plenamente no século XIX, e partituras do século XVIII.

A tradição musical do município pode ser mostrada pelo esplendor da banda União Musical Santa Cecília e da Escola de Música de São Brás do Suaçuí.

Escola de Música de São Brás do Suaçuí[editar | editar código-fonte]

Criada através de parceria feita com a Gerdau Açominas, através das leis de Incentivo à cultura, a escola de música desenvolve um consistente e contínuo trabalho de formação de músicos. Hoje tem cerca de 100 alunos, que formam um Coro de Câmara, uma Orquestra de Cordas, um Coro Infantil e uma Orquestra Infantil. Todos os cursos da escola são gratuitos e para ter acesso a eles o aluno deve, tão somente, ter um bom rendimento, ser assíduo, pontual e responsável em seus estudos. Sua contrapartida é, uma vez esteja em condição técnica satisfatória, fazer parte de um dos grupos.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Administração[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 23. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  7. Alzira Alves de Abreu (2015). «PAIXÃO, Rodolfo Gustavo da» (PDF). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República (1889-1930), Fundação Getulio Vargas 
  8. «CSN confirma usina de R$ 400 milhões». Valor Econômico. 26 de outubro de 2010. Consultado em 7 de fevereiro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]