São Francisco (Califórnia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja São Francisco.
São Francisco
San Francisco
Localidade dos Estados Unidos Estados Unidos
San Francisco City Collage 2.png
Cognome(s): The City by the Bay, Fog City
São Francisco está localizado em: Califórnia
São Francisco
Localização de São Francisco na Califórnia
São Francisco está localizado em: Estados Unidos
São Francisco
Localização de São Francisco nos Estados Unidos
Dados gerais
Fundado em 29 de junho de 1776 (240 anos)
Incorporado em 18 de fevereiro de 1850 (166 anos)[1]
Prefeito Edwin M. Lee (2011-2015)[2]
Gentílico São Franciscano (San Franciscan)
Localização
37° 46' 46" N 122° 25' 9" O
Condado São Francisco (Cidade-condado consolidada)
Estado  Califórnia
Tipo de localidade Cidade
Fuso horário -8/-7
Características geográficas
Área 600,59 km²
- terra 121,39 km²
- água 479,20 km²
- metrópole 9 128,2 km²
População (2010[3]) 805 235 hab. (6 633,30 hab/km²)
- urbanizada 3 273 190
- metrópole 4 335 391[4]
Altitude 16 m
Códigos
código FIPS 06-67000
Sítio web http://www.sfgov.org
California county map (San Francisco County enlarged).svg
Localização de São Francisco

Portal Portal Estados Unidos

São Francisco (em inglês: San Francisco) é a quarta cidade mais populosa do estado da Califórnia e a 13ª mais populosa dos Estados Unidos, com uma população de 805 235 habitantes, segundo o censo nacional de 2010.[3] É a única cidade-condado consolidada na Califórnia[5], que abrange uma área de terra de 121 km²[6], no extremo norte da península de São Francisco, dando-lhe uma densidade populacional de 6 633,30 pessoas/km². É a cidade mais densamente povoada da Califórnia e a segunda cidade grande (com uma população superior a 200 000) mais densamente povoada dos Estados Unidos[7]. São Francisco é o centro financeiro, cultural e de transportes da área da baía de São Francisco, uma região com mais de 7,4 milhões de pessoas[8].

Em 1776, os espanhóis estabeleceram uma fortaleza no Golden Gate e uma missão chamada de Francisco de Assis no local[9]. A Corrida do ouro na Califórnia, em 1848, impulsionou a cidade em um período de rápido crescimento, o aumento da população em um ano foi de 1 000 a 25 000 habitantes[10], e, portanto, transformando-a na maior cidade da Costa Oeste dos Estados Unidos na época. Depois de três quartos da cidade terem sido destruídos pelo terremoto e incêndio de 1906[11], São Francisco foi reconstruída rapidamente, recebendo a Exposição Universal Panamá-Pacífico nove anos depois. Durante a Segunda Guerra Mundial, São Francisco foi o porto de embarque para a Guerra do Pacífico[12]. Após a guerra, o retorno dos militares, a imigração em massa, atitudes de liberalização e outros fatores que levaram ao Verão do Amor e ao movimento pelos direitos dos homossexuais, consolidaram São Francisco como um centro de ativismo liberal nos Estados Unidos.

Hoje, São Francisco é um popular destino turístico internacional[13], conhecido pela sua neblina fria do verão, íngremes colinas, eclética mistura de arquitetura vitoriana e moderna e seus marcos históricos famosos, incluindo a Ponte Golden Gate, os bondes e Chinatown. A cidade é também um centro financeiro e bancário, sendo sede de mais de 30 instituições financeiras internacionais[14], ajudando a São Francisco a se tornar a décima oitava cidade mais rica do mundo e nona nos Estados Unidos.

História[editar | editar código-fonte]

Colonização espanhola[editar | editar código-fonte]

O povo nativo Ohlone vivia no que é hoje São Francisco muito tempo antes da chegada dos primeiros europeus. Neblina e névoa, aspectos climáticos comuns da região, fizeram com que o estreito que conecta a Baía de São Francisco com o Oceano Pacífico, o Estreito de Golden Gate, não fosse achado pelos primeiros exploradores europeus a explorar a região. Em 1542, o português João Rodrigues Cabrilho, explorando em nome da corte espanhola, navegou próximo à região, mas não avistou a entrada para a baía. Em 1595, o português Sebastián Rodríguez Cermeño, também explorando em nome da corte espanhola, explorou a Baía de Drake, localizada cem quilómetros ao norte do estreito de Golden Gate. Cermeño nomeou a região de Puerto de San Francisco. Foi apenas em 1769 que um grupo de exploradores espanhóis, liderados por Gaspar de Portolá, explorando a Califórnia em terra, avistaram pela primeira vez o interior da baía de São Francisco.[carece de fontes?]

Os espanhóis mapearam completamente a baía por volta de 1775. Uma expedição espanhola, liderada pelo capitão Juan Bautista de Anza, delimitou em 28 de março de 1776 os terrenos para a construção de um forte (o atual Presídio de São Francisco), construído por um destacamento liderado por José Joaquín Moraga ainda naquele mesmo ano de 1776. Simultaneamente, a missão hispânica da Ordem Franciscana, Missão de São Francisco de Assis, popularmente conhecida por Missão Dolores, ficou estabelecida perto do forte, fundando uma igreja (hoje, a Mission Dolores, datada também de 1776, localizada na Rua Dolores, no bairro Mission, ao sul da Rua Market). Esta igreja foi nomeada Misión San Francisco de Asis. O nome se tornou, popularmente, referência a Dolores por causa de um riacho que havia perto do povoado, chamado Arroyo de Nuestra Señora de los Dolores (em português: riacho de Nossa Senhora das Dores). Um monge, membro da Expedição Anza, o Frade Font, escreveu sobre o local escolhido para a Misión e descreve o local exatamente como tudo permanece no presente e menciona o Arroyo de los Dolores acrescentando que eles se estabeleceram nas margens do arroio, plantando milho e feijão para experimentar o solo[15].

A 17 de setembro do mesmo ano, o presídio foi inaugurado. Nesta região começou a desenvolver-se a pequena vila missionária espanhola, o Pueblo del Misión Dolores. O plano dos espanhóis para desenvolver a Califórnia era simples e em "três passos". Levariam os Franciscanos (a Misión) a frente para catequizar os nativos na (1) Igreja (assim o nome Misión); estabeleceriam seu povoado ao redor da Misión e aonde trabalhariam nas suas plantações, o (2) pueblo -- em português: "o povoado"; e, finalmente, os espanhóis construiriam uma fortificação com a mão de obra dos recém catequizados; dali surgiu o (3) Presídio. Logo, os franciscanos se encarregavam de ajudar os costanoanos com a cristianização, a disciplina e higiene e no trabalho com a horta, na plantação do seu sustento; e os soldados fidalgos aproveitavam para delegar as responsabilidades do trabalho pesado nas mãos dos recém-educados nativos, com a construção do presídio. Estes nativos não estavam acostumados ao trabalho e nem tão pouco a um trabalho pesado, e nem poderiam se interessar no estilo de vida dos espanhóis, que eram fidalgos; então fugiam assustados. Por este motivo, no forte, estabeleceu-se um presídio para manter presos os trabalhadores que fugissem. Houve muita morte com isto e, pouco a pouco, o trabalho da Missão Franciscana ficou mais difícil.[carece de fontes?]

Ao todo, foram seis missões fundadas pela Misión de San Francisco de Assis. Os franciscanos começaram no Sul da Califórnia e foram subindo ao norte (San Francisco sendo a última)---sempre com o mesmo plano. Embora os destacamentos hispânicos desistiram primeiramente do trabalho todo que era difícil. Os espanhóis eram fidalgos e não queriam ficar correndo atrás de fugitivos. Os destacamentos abandonaram os Franciscanos, que seguiram na sequência, mas, na Califórnia, suas misións se tornaram vilas e hoje são cidades americanas. Entre estas, incluem-se a primeira, quase na fronteira com o México, San Diego de Alcalá (hoje, San Diego); com entusiasmo, eles partiram numa expedição mais arrojada, e mais ao norte, fundando a segunda, San Carlos Borromeo de Carmelo, que hoje chama-se apenas Carmel. San Francisco de Assis foi a sexta missão a se estabelecer. Existem umas 21 missões na Califórnia, mas muitas foram fundadas por outras Ordens, ou até por um só monge, independentemente.[carece de fontes?]

Assentadores espanhóis que vieram junto com Bautista de Anza estabeleceram-se na mesma região próxima à Misión San Francisco de Asis, na vila chamada Pueblo de San Francis de Assisi (mais tarde, a Vila de São Francisco), ao fundador da Ordem Franciscana. Hoje, o bairro Mission e quase todo ainda povoado pelos Chicanos.[carece de fontes?]

Século XIX[editar | editar código-fonte]

Em 1821, o México tornou-se independente, e a cidade passou ao domínio dos mexicanos. O governo mexicano estimulou a criação de gado na enorme Califórnia, atraindo assim americanos e colonos ingleses instalados no Canadá, que precisavam de matéria-prima para a indústria de calçados americana, então em franco crescimento. Em 1822, um baleeiro inglês, William Richardson, instalou-se na península de São Francisco, onde atualmente fica a maior parte da cidade. Um porto foi instalado no norte da península, e uma cidadezinha chamada de Yerba Buena desenvolveu-se próxima ao porto.[carece de fontes?]

Fotografia da cidade em 1851
São Francisco em 1860.

A Guerra Mexicano-Americana, que iniciou-se a 9 de maio de 1846, entre o México e os Estados Unidos, causou a anexação da parte superior da região mexicana de Califórnia (que depois iria tornar-se o atual Estado americano de Califórnia. A 9 de julho, forças navais americanas capturaram a cidade de Yerba Buena, e renomearam-na de São Francisco a 30 de janeiro de 1847. Em 18 de fevereiro de 1850, São Francisco foi incorporada pelo governo americano.[1] A vila missionária e o presídio existem até hoje, ambos tem uma placa original na coluna da muralha de entrada principal, datada de 1776, e ambos fazem parte da cidade de São Francisco.[carece de fontes?]

Em dezembro de 1848, ouro foi descoberto na Sierra Nevada (Califórnia), próximo ao que é atualmente a capital estadual, Sacramento, e levando à grande gold rush (corrida de ouro) da Califórnia de 1849 (motivo qual o time de futebol americano de São Francisco é chamado de 49ers), o que causou um grande crescimento populacional da cidade, e imigrantes passaram a instalar-se em São Francisco, especialmente chineses. O porto da cidade recebeu milhares de embarcações vindas de todas as partes do país, e São Francisco logo tornou-se o principal centro de suprimentos para os mineiros. Em apenas um ano, entre dezembro de 1848 e dezembro de 1849, a população de São Francisco passou de menos de mil habitantes para 25 mil habitantes. São Francisco então era a cidade mais populosa dos Estados Unidos a oeste do Rio Mississippi do país.[carece de fontes?]

As pessoas que tiveram sucesso na busca ao ouro fizeram da São Francisco uma cidade rica. Mansões eram criadas e o comércio crescia. Mas isto causou também um grande crescimento da taxa de criminalidade. Em 1851, um grupo de cidadãos da cidade fundaram um grupo de vigila, a San Francisco Vigilance Comitee (Comité de Vigilância de São Francisco), para a manutenção da ordem. Eles passariam a ser conhecidos posteriormente como Vigilantes, tomando a lei em suas próprias mãos, exilando muitas pessoas consideradas criminosas, executando algumas delas e forçando um número de oficiais da cidade a renunciarem.[carece de fontes?]

Em 1855, um barco trazendo imigrantes de uma dada região do Extremo Oriente, onde havia uma epidemia de cólera causou uma grande epidemia da doença em São Francisco. Alguns agravantes foram o péssimo sistema de saneamento público (água potável e esgotos) e a falta de centros hospitalares.[carece de fontes?]

Em 1869, a finalização da construção de uma ferrovia transnacional finalmente conectou São Francisco com o leste americano. Em 1873, Andrew Hilde, um fabricante de cabos de aço, inventou o bonde de tração, um tipo especial de bonde, que, tracionada por cabos instalados no chão, criaram condições seguras para a operação de bondes no terreno acidentado e montanhoso da cidade. Na virada do século, São Francisco tinha uma população de aproximadamente 345 mil habitantes.[carece de fontes?]

Século XX[editar | editar código-fonte]

A cidade após o terremoto de 1906.
Palácio de Belas Artes durante a Exposição Universal de 1915
Construção da Ponte São Francisco–Oakland Bay em 1935

Em 1900, um barco trazendo imigrantes da China também trouxe junto ratos infestados com agentes causadores da peste bulbônica. Acreditando que corpos enterrados ajudavam a propagar a doença, e possivelmente também interessados em aumentar o valor das terras da cidade, o município proibiu o uso de quaisquer cemitérios localizados dentro dos limites municipais da cidade. Quinze quarteirões da Chinatown da cidade foram quarantinados, mas a epidemia passara por volta de 1907.[carece de fontes?]

A 18 de abril de 1906, às 5:14 horas da manhã do horário local, São Francisco foi abatido por um grande terremoto, considerado até os dias atuais como um dos piores desastres naturais a abater-se sobre uma grande cidade nos Estados Unidos. O abalo sísmico, que atingiu 8,25 na escala Richter, causou a destruição de prédios e edifícios espalhados ao longo da cidade. Mais graves foram os incêndios que se seguiram ao terremoto, proveniente de lampiões de querosene arrebentados, explosões de tubos de gás e da queda de fios de eletricidade. Os bombeiros pouco puderam fazer, uma vez que o sistema de encanamento da cidade também fora destruído pelo terremoto, destruindo o suprimento de água da cidade. Em uma medida de desespero, os bombeiros começaram a demolir prédios e edifícios, numa tentativa de conter o incêndio. Este duraria cerca de três dias, e quando tudo havia terminado, 3000 pessoas haviam morrido, segundo as estimativas oficiais - embora a maior parte dos historiadores de São Francisco concordem que este número seja bem mais alto, que o mínimo três mil mortos. 28 mil estruturas, entre casas e edifícios, estavam em ruínas, e cerca de 225 mil pessoas ficaram desabrigadas. Uma possível razão para que as autoridades declarassem um número tão baixo de mortos teriam sido razões políticas - a reputação da cidade como um centro comercial sofreria muito mais caso o número real de mortos fosse declarado. Os habitantes de São Francisco rapidamente reconstruíram a cidade.[16]

Em 1915, São Francisco inaugurou o Palácio de Belas Artes que sediou a Exposição Internacional do Panamá e do Pacífico de 20 de fevereiro a 4 de dezembro, para homenagear a abertura do Canal de Panamá, que acontecera um ano antes, em 1914. São Francisco era então o principal centro portuário do oeste americano, e o Canal do Panamá permitia a navios com destino (ou vindo) do atlântico americano, enquanto os Estados Unidos se prepara para a Primeira Guerra Mundial. Porém, as cidades californianas de Los Angeles e Oakland expandiram suas facilidades portuárias no começo do século XX, e o Canal viria privilegiar primariamente estas duas cidades. Logo, São Francisco perderia muito da sua importância como centro portuário. Mesmo assim, a população da cidade continuou a crescer, e em 1930, a cidade tinha 642 mil habitantes dentro de seus limites municipais. A São Francisco-Oakland Bay Bridge foi inaugurada em 1936 e, um ano depois, a Ponte Golden Gate foi aberta.[carece de fontes?]

Durante a Segunda Guerra Mundial, São Francisco tornou-se um dos maiores fabricantes de navios de guerra do mundo, assim, atraindo milhares de pessoas, principalmente afro-americanos, à cidade. No final da guerra, São Francisco alcançara 828 mil habitantes. Um fator secundário neste grande crescimento populacional foi a colocação de milhares de soldados, para a defesa da cidade, no caso de um possível ataque japonês na região. Porém, a maior parte dos habitantes de origem japonesa que moravam em São Francisco foram obrigados a mudar-se para campos de concentração, no interior do estado ou em Nevada. Todos perderam suas propriedades e pertences pessoais, e muitos deles decidiram não voltar à cidade.[carece de fontes?]

Após a guerra, em 1945, oficiais de 50 nações diferentes encontraram-se na cidade, para fundar oficialmente a Organização das Nações Unidas. Em 1951, o Tratado de São Francisco, adotado pelos Estados Unidos e pelo Japão, estabelecia relações de paz entre ambos os países. No começo da década de 1950, o Departamento de Transportes da Califórnia (ou simplesmente Caltrans) iniciou um programa agressivo de construção de vias expressas na região metropolitana de São Francisco. Porém, este programa encontrou muita resistência da população da cidade.[carece de fontes?]

Uma das principais razões é a alta densidade populacional de São Francisco - a construção de grandes vias públicas na cidade significaria a mudança forçada de muitos dos habitantes da cidade para outros lugares. A Caltrans tentou minimizar estes problemas através da construção de vias expressas de duplo andar, mas elas provaram ser perigosas no caso de um abalo sísmico, além de serem pouco estéticos. Em 1959, o Conselho municipal da cidade votou contra a construção de qualquer outra via expressa dentro dos limites municipais. Em 1989, um terremoto destruiu duas das vias expressas já existentes da cidade, e os habitantes de São Francisco optaram por não reconstrui-las. Atualmente, o local onde ficavam as vias expressas é ocupada por casas ou parques.[carece de fontes?]

Um programa extensivo de renovação urbana seria realizado na cidade ao longo da década de 1950, administrada por Justin Herman. Esta campanha pedia pela imediata renovação de áreas decadentes da cidade. O plano diretor de Herman pedia pela demolição de enormes partes da cidade, onde seriam construídos edifícios modernos.[carece de fontes?]

Pirâmide Transamérica, planejado para resistir a sismos.

São Francisco tornou-se o centro da contra-cultura, ao longo da década de 1950, e na década de 1960, o centro da cultura hippie. O final da década de 1970 trouxe também uma nova onda de homossexuais à cidade. A bandeira arco-íris, um símbolo do movimento LGBT, foi criada por Gilbert Baker, em São Francisco, em 1978, e alçada em público pela primeira vez em 25 de junho do mesmo ano, na San Francisco Gay Freedom Day Parade. Alterações posteriores à bandeira também foram realizadas em São Francisco.[carece de fontes?]

Em 1972, o Edifício Transamérica foi construído no centro da cidade, planejado para resistir a fortes abalos sísmicos. Muitos outros arranha-céus foram construídos na cidade ao longo da década de 1970 e do começo da década de 1980, o que causou uma discussão na cidade: Muito da população eram contra a construção de arranha-céus, achando que grandes edifícios arruinavam vistas e destruíam o carácter único de São Francisco. Outras pessoas eram a favor, dizendo que a construção de arranha-céus criam empregos e fortalecem a economia da cidade.[carece de fontes?]

Um novo plano diretor, apoiada pela lei municipal Downtown Plan, limitou a altura máxima dos edifícios construídos na maior parte da cidade, e incentivava a criação de parques e outros espaços abertos. Tal tipo de plano diretor tornou-se comum em muitas da cidades globais do mundo. Atualmente, altos arranha-céus são permitidos apenas em uma pequena área ao sul da cidade.[carece de fontes?]

Em 17 de outubro de 1989, São Francisco foi atingido pelo Terremoto de Loma Prieta, que alcançou 7,1 na escala Richter. Além de causar danos extensivos em duas das principais vias expressas da cidade, o terremoto causou a morte de 12 pessoas na cidade, desabou uma seção de 30 metros da pista superior da ponte São Francisco-Oakland Bay Bridge, destruiu 60 prédios e causou danos e prejuízos na ordem dos três bilhões/mil milhões de dólares. Porém, as principais estruturas da cidade continuaram intactas. A principal razão é que muitas delas foram planejadas e construídas especialmente para resistir a abalos sísmicos até 8,0 na escala Ritcher.[17]

A economia da cidade prosperou durante a década de 1990, graças ao dot-com. Grandes números de profissionais de informática mudaram-se para a cidade, sendo seguídos por comerciantes e vendedores profissionais. Bairros anteriormente decadentes foram revitalizados. Os preços cada vez mais altos de aluguéis, porém, forçaram muitos dos habitantes mais pobres da cidade a saírem de São Francisco, bem como o fechamento de vários pequenos estabelecimentos comerciais e industriais.[carece de fontes?]

Em 1993, uma lei municipal, que controlaria o fumo no interior dos escritórios profissionais[18] e mais tarde a lei passou a qualquer espaço público (lojas, comércios inclusive bares) dentro dos limites da cidade. Ela entrou em efeito em 1 de julho de 1998.[carece de fontes?]

Por volta de 2001, o crescimento económico trazido pelo Dot-com acabou, e muitos dos habitantes de São Francisco deixaram a cidade. Em fevereiro de 2004, São Francisco tornou-se a primeira cidade a autorizar legalmente o casamento homossexual nos Estados Unidos, por uma ordem do prefeito Gavin Newsom. Porém, a Suprema Corte da Califórnia posteriormente invalidaria esta autorização. Em 25 de Outubro de 2004, uma nova lei contra o fumo, desta vez proibindo fumar ao ar livre em parques municipais e áreas recreacionais é aprovada.[19]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização geográfica[editar | editar código-fonte]

São Francisco está localizada na costa oeste dos Estados Unidos, no extremo norte da Península de São Francisco e inclui trechos significativos do Oceano Pacífico e da Baía de São Francisco dentro de seus limites. Várias ilhas - como as pitorescas Alcatraz, Treasure e a adjacente Yerba Buena e pequenas porções das ilhas de Alameda, Red Rock e Angel - são parte da cidade. Também estão incluídas as ilhas Farallon, desabitadas e localizadas há 43 km ao largo do Oceano Pacífico.

Há mais de 50 colinas dentro dos limites da cidade.[20] Alguns bairros são nomeados em homenagem ao monte em que se encontram, como Nob Hill, Potrero Hill e Russian Hill. Perto do centro geográfico de São Francisco, a sudoeste do centro da cidade, são uma série de colinas menos densamente povoadas. Twin Peaks, um par de colinas que formam um dos pontos mais altos da cidade, constitui um ponto turístico popular. A mais alta colina de San Francisco, o Monte Davidson, tem 283 metros de altura, cujo cume tem uma cruz 31 m de altura construída em 1934. Dominando esta área está a Torre Sutro, uma grande torre de transmissão rádio e televisão vermelha e branca.[21]

As falhas de Santo André e Hayward são responsáveis ​​por grande atividade sísmica, embora não passem diretamente através da própria cidade. A Falha de Santo André causou os terremotos de 1906 e 1989. Os terremotos menores também ocorrem em uma base regular. A ameaça de grandes sismos desempenha um grande papel no desenvolvimento da infraestrutura da cidade, que construiu um sistema de abastecimento de água auxiliar e tem atualizado constantemente seus códigos de construção, exigindo retrofits de edifícios mais antigos e padrões de engenharia mais elevados para construções nova.[22] No entanto, ainda existem milhares de pequenos edifícios que permanecem vulneráveis ​​a danos de terremotos.[23] O Serviço Geológico dos Estados Unidos criou um modelo para analisar a ocorrência de terremotos na Califórnia. [24]

O litoral de San Francisco tem crescido além de seus limites naturais. Bairros inteiros, como a Marina, Mission Bay e Hunters Point, além de grandes seções do Embarcadero, estão sob áreas de aterro. A ilha Treasure foi construída a partir de material dragado da baía, bem como de material resultante da construção de um túnel através ilha de Yerba Buena, durante a criação da ponte da baía. Esses terrenos tendem a ser instáveis durante terremotos. A liquefação resultante de terremotos causa grandes danos às propriedades construída sobre elas, como foi evidenciado no distrito de Marina durante o Sismo de Loma Prieta de 1989.[25] A maioria dos cursos de água naturais da cidade, tais como Islais Creek e Mission Creek, foram canalizados ou aterrados, embora a Comissão de Serviços Públicos esteja estudando propostas de restaurar alguns riachos.[26]

Clima[editar | editar código-fonte]

Cercada nos três lados por água, o clima de São Francisco é muito influenciado pelas correntes frias do Oceano Pacífico. O tempo da cidade é ameno o ano inteiro, caracterizado por um clima temperado mediterrânico (Csb), com verões relativamente quentes e invernos relativamente frios. A temperatura média no inverno é de 10 °C, raramente caindo abaixo de zero, e a temperatura média no verão é de 15 °C. A temperatura mais baixa já registrada em São Francisco foi de -4 °C, em dezembro de 1972, e a mais alta foi de 41 °C, em julho de 1988. A precipitação total média anual na cidade é de 500,4 milímetros, que cai na maior parte do ano na forma de chuva; e raramente, na forma de neve semi-derretida. Muito eventualmente, neva na cidade. Chove muito pouco no verão, mas os invernos são geralmente muito chuvosos.[27]

A combinação do calor do solo californiano e do frio do Oceano Pacífico causam constantemente névoa e neblina nos verões de São Francisco. Isto faz com que os os verões da cidade sejam significantemente mais frios do que no interior do estado. Em setembro, porém, ocorrência de névoa e neblina na cidade é mais rara. Nessa época faz uma semana das mais quentes do ano, conhecida pelo nome de Indian Summer (verão índio).[carece de fontes?]

Nevoeiro envolvendo a Ponte Golden Gate, um fenômeno comum na cidade.


Dados climatológicos para São Francisco (CA),  Estados Unidos
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima absoluta (°C) 26 27 28 34 38 39 39 37 38 39 30 24 39
Temperatura máxima média (°C) 14,5 16,3 16,9 18,1 18,6 19,8 20,1 20,7 21,8 21,3 17,8 14,8 18,4
Temperatura mínima média (°C) 8,0 9,2 9,6 10,1 10,8 11,8 12,4 13,1 13,4 12,6 10,4 8,2 10,8
Temperatura mínima absoluta (°C) 0 -1 4 4 7 8 8 9 9 7 4 -2 -2
Precipitação (mm) 119,9 105,4 86,4 31,8 13,7 3,3 1 2,3 7,1 30,2 84,1 80,8 565,9
Dias com chuva 11,4 10,8 11,2 6,2 3,3 1,4 0,4 0,9 2,1 4,1 8,7 9,6 70 1
Fonte: NCDC (NOAA) (22 de Junho de 2010)[28]


Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1860 56 802
1870 149 473 163,1%
1880 233 959 56,5%
1890 298 997 27,8%
1900 342 782 14,6%
1910 416 912 21,6%
1920 506 676 21,5%
1930 634 394 25,2%
1940 634 536 0,0%
1950 775 357 22,2%
1960 740 316 -4,5%
1970 715 674 -3,3%
1980 678 974 -5,1%
1990 723 959 6,6%
2000 776 733 7,3%
2010 805 235 3,7%
Fonte: US Census[3][29]

O Censo dos Estados Unidos de 2010[30] informou que São Francisco tinha uma população de 805.235 habitantes. Com uma densidade populacional de 6.632 pessoas por quilômetros quadrado, a cidade é a segundo aglomerado urbano mais densamente povoado dos Estados Unidos, atrás apenas de Nova Iorque (entre as cidades mais de 200.000 população).[7]

Raça, etnia, e línguas[editar | editar código-fonte]

São Francisco tem uma população de maioria minoritária, em que os brancos não-hispânicos representam menos de metade da população, 41,9%, ante 92,5% em 1940. [43] Segundo o censo de 2010, a composição étnica e população da cidade incluía: 390.387 brancos (48%), 267.915 asiáticos (33%), 48.870 afro-americanos (6%) e outros. Havia 121.744 hispânicos ou latinos de qualquer raça (15%).

Em 2010, os moradores de etnia chinesa constituíam o maior grupo étnico minoritário único em São Francisco, com 21% da população; os outros grupos asiáticos são os de filipinos (5%) e vietnamitas (2%).[31] A população de ascendência chinesa está mais fortemente concentrada em Chinatown, Sunset District e Richmond District, ao passo que os filipinos são mais concentrados no Crocker-Amazon (que é contígua com a comunidade filipina de Daly City, que tem uma das maiores concentrações de filipinos na América do Norte), bem como no soma.[31][32] O Distrito Tenderloin é o lar de uma grande parcela da população vietnamita da cidade, bem como empresas e restaurantes, que é conhecida como a cidade de Little Saigon.[31]

Os principais grupos hispânicos na cidade vieram do México (7%) e de El Salvador (2%). A população hispânica é mais fortemente concentrada nos distritos Mission, Tenderloin e Excelsior.[33] O percentual de residentes hispânicos da cidade é menos da metade do que o do estado. A população afro-americano de São Francisco representavam 6% da população da cidade.[34] A percentagem de afro-americanos em San Francisco é semelhante a da Califórnia.[34] A maioria da população negra da cidade reside nos bairros de Bayview-Hunters Point e Visitacion Valley e no Distrito Fillmore.[33] Apenas 38% dos moradores da cidade nasceram na Califórnia, 25% nasceram em um estado diferente e 36% nasceram fora dos Estados Unidos.[34]

Em 2010, 55% (411.728) dos moradores de São Francisco falava inglês em casa como uma língua primária, enquanto 19% (140.302) falava uma variedade de dialetos chineses (principalmente taishanese e cantonês[35][36]), 12% (88.147) espanhol, 3% (25.767) tagalog e 2% (14.017) russo. No total, 45% (342.693) da população de São Francisco falava uma língua materna diferente do inglês.[37]

Área metropolitana[editar | editar código-fonte]

Bandeira arco-íris no bairro Castro, um símbolo do movimento LGBT criado na cidade.
Ver artigo principal: Área da baía de São Francisco

São Francisco é um dos dois núcleos da região metropolitana de São Francisco-São José, sendo o outro núcleo São José. A população da região metropolitana é de 7 533 384 habitantes, dos quais apenas 11% estão localizados em São Francisco. Atualmente, a maior cidade da região metropolitana é São José, com seus 964 695 habitantes[38] (segundo estimativa do censo 2009), mas São Francisco ainda é considerado o principal centro econômico e cultural dessa região. A área total da região metropolitana de São Francisco-São José é de 20 616 km².

Educação, famílias e renda[editar | editar código-fonte]

De todas as grandes cidades dos Estados Unidos, São Francisco tem a segunda maior percentagem de residentes com um diploma universitário, atrás apenas de Seattle. Mais de 44% dos adultos têm um grau de bacharel.[39] São Francisco teve a taxa de 344.000 graduados totais em 121 km² de cidade.[40]

A cidade tem a maior percentagem de homossexuais assumidos do que qualquer uma das 50 maiores cidades dos Estados Unidos, em 15%.[41] São Francisco também tem o maior percentual de famílias do mesmo sexo do que qualquer condado americano, sendo que a área da baía concentra uma taxa mais elevada do que qualquer outra área metropolitana do país.[42]

São Francisco ocupa a terceira posição das cidades estadunidenses em renda familiar média,[43] com um valor de 65.519 dólares em 2007.[34] A renda familiar média era de 81.136 dólares.[34] A emigração de famílias de classe média deixou a cidade com uma proporção menor de crianças (15%) do que qualquer outra grande cidade do país.[44] A taxa de pobreza da cidade é de 12%, inferior à média nacional.[45] Pessoas sem abrigo tem sido um problema crônico da cidade desde o início da década de 1970.[46] Acredita-se que a cidade tem o maior número de habitantes sem abrigo per capita entre todas as grandes cidades dos Estados Unidos.[47][48]

Há 345.811 famílias na cidade, das quais: 133.366 agregados familiares (39%) eram liderados por uma pessoa, 109.437 (32%) eram de casais do sexo oposto, 63.577 (18%) tinham crianças com menos de 18 anos de idade, 21.677 (6%) eram solteiros com parceiros do sexo oposto e 10.384 (3%) eram de casais do mesmo sexo. O tamanho médio da casa era 2.26; o tamanho médio da família era 3.11. 452.986 pessoas (56%) viviam de aluguel e 327,985 pessoas (41%) viviam em unidades próprias. A idade mediana da população da cidade é de 38 anos.

Panorama de São Francisco desde Twin Peaks.

Governo e política[editar | editar código-fonte]

São Francisco, oficialmente conhecida como a Cidade e Condado de São Francisco, é uma cidade-condado consolidada, um estatuto que ocupa desde a secessão do Condado de San Mateo em 1856. É a única essa consolidação, na Califórnia.[5] O prefeito também é o chefe executivo do condado e a Câmara de Supervisores de São Francisco atua como o conselho da cidade. O governo de São Francisco é uma instituição da cidade constituída por dois ramos co-iguais. O poder executivo é dirigido pelo prefeito e inclui outros funcionários eleitos e nomeados em toda a cidade, bem como o serviço civil. Os 11 membros da Câmara de Supervisores, o poder legislativo, são dirigidos por um presidente e é responsável pela aprovação de leis e orçamentos, embora os cidadãos também possam fazer uso de iniciativas eleitorais diretas para passar uma legislação.[49]

Os membros da Câmara de Supervisores são eleitos como representantes de distritos específicos dentro da cidade.[50] Após a morte ou renúncia de um prefeito, o presidente do Câmara torna-se o prefeito atuante até que toda a Câmara eleja um substituto interino para o período restante do mandato. Em 1978, Dianne Feinstein assumiu o cargo após o assassinato de George Moscone e foi selecionado mais tarde pela Câmara para terminar o mandato. Em 2011, Edwin M. Lee foi selecionado pelo conselho para terminar o mandato de Gavin Newsom, que renunciou para tomar posse como vice-governador da Califórnia.[51]

Por causa de seu estatuto de cidade-condado, o governo local exerce jurisdição sobre propriedade que de outra forma estariam localizadas fora do seu limite corporação. O Aeroporto Internacional de São Francisco, embora localizada no Condado de San Mateo, pertence e é operado pela cidade e pelo condado de São Francisco. A cidade também mantém também um complexo de cadeias localizado em San Mateo County, em uma área não incorporada ao lado de San Bruno. São Francisco também recebeu um arrendamento perpétuo sobre o Vale de Hetch Hetchy e as bacias hidrográficas no Parque Nacional de Yosemite pela Lei Raker em 1913.[5]

São Francisco serve como o centro regional de muitos braços da burocracia federal, incluindo o Tribunal de Apelações dos EUA, o Federal Reserve Bank e a Casa da Moeda dos Estados Unidos. Até o desmantelamento no início de 1990, a cidade teve grandes instalações militares em Presidio, Treasure e Hunters Point, um legado queainda reflete na celebração anual da semana da frota. O Estado da Califórnia utiliza São Francisco como a casa do supremo tribunal do estado e de outras agências estatais. Os governos estrangeiros mantém mais de setenta consulados na cidade.[52]

Economia[editar | editar código-fonte]

Centro financeiro de São Francisco.

San Francisco tem uma economia de serviços diversificada, com uma ampla gama de serviços profissionais, incluindo serviços financeiros, turismo e (cada vez mais) de alta tecnologia.[53] Em 2012, aproximadamente 25% dos trabalhadores eram empregados em serviços profissionais; 16% em serviços governamentais; 15% no lazer e hospitalidade; 11% na educação e cuidados de saúde; e 9% nas atividades financeiras.[53] Em 2013, o PIB de cinco concelho San Francisco área metropolitana foi de 388,3 bilhões de dólares.[54]

O legado da corrida do ouro na Califórnia tornou São Francisco centro bancário e financeiro da Costa Oeste no início do século XX.[55] A Montgomery Street, no distrito financeiro, ficou conhecida como o "Wall Street do Oeste", que abriga o Federal Reserve Bank de San Francisco, a sede da empresa Wells Fargo e o local da agora extinta Bolsa de Valores da Costa do Pacífico.[55] O Bank of America, um pioneiro em fazer serviços bancários acessíveis à classe média, foi fundado em San Francisco e na década de 1960, construiu o arranha-céus moderno marco a 555 California Street para a sua sede corporativa. Muitas grandes instituições financeiras, bancos multinacionais e empresas de capital de risco são baseados mantém sua sede regional na cidade. Com mais de 30 instituições financeiras internacionais,[14] sendo seis empresas da Fortune 500,[56] e uma grande infraestrutura de apoio a serviços profissionais, como legislação, relações públicas, arquitetura e design, São Francisco é considerada como uma cidade global alfa (-)[57] e está classificado em 10º lugar entre os principais centros financeiros globais.[58]

Rua Califórnia, no centro da cidade

Desde os anos 1990, a economia de San Francisco diversificou-se para além das finanças e turismo para os campos de alta tecnologia, biotecnologia e pesquisa médica.[59] Os empregos de tecnologia representavam apenas 1% da economia da cidade em 1990, crescendo a 4% em 2010 e 8% em 2013.[60] São Francisco se tornou um epicentro de empresas startup de internet durante a bolha pontocom da década de 1990 e o subsequente crescimento das mídias sociais do final dos anos 2000.[61] Desde 2010, São Francisco atraiu uma parte crescente dos investimentos de capital de risco, em comparação com o Vale do Silício, que fica nas proximidades, atraindo 423 financiamentos no valor de 4,58 bilhões de dólares em 2013.[62][63][64] Em 2004, a cidade aprovou uma isenção de imposto sobre os salários para as empresas de biotecnologia[65] para promover o crescimento no bairro de Mission Bay, local de um segundo campus e do hospital da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF). Mission Bay hospeda o California Institute for Regenerative Medicine, California Institute for Quantitative Biosciences e os Institutos Gladstone,[66] bem como mais de 40 empresas privadas de ciências da vida.[67]

O principal empregador na cidade é o próprio governo local, que emprega 5,3% (25.000 pessoas) da população da cidade, seguido da UCSF, com mais de 22.000 empregados. O terceiro-se, com 1,8% (8,500+ pessoas, é o California Pacific Medical Center, o maior empregador do setor privado.[68] Pequenas empresas com menos de 10 trabalhadores e empresas não assalariadas compõem 85% dos estabelecimentos da cidade[69] e o número de cidadãos empregados por empresas com mais de 1.000 empregados caiu pela metade desde 1977. O crescimento de grandes redes de varejo nacionais na cidade foi tornado intencionalmente difícil por consenso político e cívico. Em um esforço para apoiar pequenas empresas de propriedade privada locais e preservar a personalidade de varejo original da cidade, a Comissão de Pequenos Negócios suporta uma campanha de publicidade para manter uma parcela maior dos dólares de varejo na economia local[70] e a Câmara de Supervisores tem usado o código de planejamento para limitar os bairros onde estabelecimentos comerciais podem montar uma loja,[71] um esforço afirmado pelos eleitores de São Francisco.[72]

Como muitas cidades dos Estados Unidos, São Francisco teve uma vez um setor industrial significativo, empregando cerca de 60.000 trabalhadores em 1969, mas quase toda a produção foi para locais mais baratos na década de 1980.[73] Em 2014, a cidade passou por um pequeno ressurgimento na produção, com mais de 4.000 empregos na indústria em todo 500 empresas, dobrando desde 2011.[73]

Turismo[editar | editar código-fonte]

A Ilha de Alcatraz recebe 1,5 milhão de turistas por ano.[74]

O turismo é uma das maiores indústrias do setor privado da cidade, responsável por mais de um em cada sete postos de trabalho na cidade.[59][75] A frequente representação da cidade na música, no cinema e na cultura popular tornaram São Francisco e seus pontos de referência reconhecíveis em todo o mundo. Ela atrai o quinto maior número de turistas estrangeiros do que qualquer cidade nos Estados Unidos[76] e é uma das 100 cidades mais visitadas em todo o mundo de acordo com a Euromonitor.[77] Mais de 18 milhões de visitantes que chegaram em San Francisco em 2014, injetando 10,67 bilhões de dólares na economia.[78] Com uma grande infraestrutura hoteleira e um centro de convenções de classe mundial no Moscone Center, San Francisco é um destino popular para convenções e conferências anuais.[79]

O porto atualmente usa o Píer 35 para lidar com as chamadas de navios de cruzeiro com 60-80 mil e 200 mil0 passageiros que vêm a Sãon Francisco.[80] Os itinerários de São Francisco normalmente incluem cruzeiros de ida e volta para o Alasca e México. O novo projeto de Terminal no Pier 27 é programado para abrir 2014 como um substituto. O terminal principal existente no Pier 35 não tem nem a capacidade suficiente para permitir o tamanho cada vez maior de novos navios de cruzeiro nem as comodidades necessárias para um terminal de cruzeiros internacionais.[81]

Um elevado interesse em convenções em São Francisco, marcado pelo estabelecimento de centros de convenções, como em Yerba Buena, agiu como um alimentador para a economia turística local e resultou em um aumento na indústria hoteleira: "Em 1959, a cidade tinha menos de 300 quartos de hotel de primeira classe; em 1970, o número foi de nove mil; e, em 1999, havia mais de trinta mil".[82] A mercantilização do Distrito de Castro também tem contribuído para a economia turística de San Francisco.[83]

A prisão de Alcatraz, que já foi considerada a mais segura dos Estados Unidos, foi morada de grandes bandidos como Al Capone. Atualmente é um dos principais pontos turísticos da cidade. Após seu fechamento, a prisão tornou-se um museu que recebe milhares de visitantes todos os anos. Muitas das celas de Alcatraz estão preservadas com objetos da época, inclusive o buraco feito pelos dois únicos fugitivos da história do presídio de segurança máxima.[84]

Navios atracado no Pier 3, com arranha-céus do distrito financeiro no fundo.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

O sistema de escolas públicas de São Francisco é administrado pelo San Francisco Board of Education (Conselho de Educação de São Francisco). O Conselho é composto por sete membros, que são eleitos pela população da cidade para mandatos de quatro anos de duração. Esta organização municipal administra o San Francisco Unified School District (Distrito Escolar Unificado de São Francisco), um distrito escolar que administra cerca de 120 escolas públicas, e que é responsável pela educação de aproximadamente 60 mil estudantes por ano. São Francisco administra um sistema de bibliotecas públicas, composto por 25 bibliotecas espalhadas pela cidade.[carece de fontes?]

São Francisco é um grande polo educacional. A maior universidade da cidade é a Universidade Estadual de São Francisco. Outras nove instituições de educação superior estão localizadas na cidade.[carece de fontes?]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Transporte público[editar | editar código-fonte]

São Francisco possui um dos melhores e mais extensivos sistemas de transporte público da costa oeste dos Estados Unidos. A San Francisco Municipal Railway é o órgão municipal responsável por administrar as malhas de bondes, bondes a tração (que são um dos principais atrativos turísticos da cidade) e de ônibus. O sistema é integrado, considerando-se apenas as linhas de bondes e de ônibus. Os bondes de tração são mais uma atração turística da cidade do que um meio de transporte eficiente, e elas não são integradas com o resto do sistema.[carece de fontes?]

O Bay Area Rapid Transit (BART) opera uma linha de metrô que conecta São Francisco com outras cidades vizinhas. Para quem quer se locomover do metrô para um ônibus é necessário o pagamento de um "transfer" 0,25 cents para poder tranferir sua passagem para um ônibus convencional.[carece de fontes?]

Vias públicas[editar | editar código-fonte]

São Francisco é uma das poucas grandes cidades dos Estados Unidos que optou por usar um sistema de avenidas arteriais como principal componente do sistema de vias públicas da cidade, ao invés de um extensivo sistema de vias expressas. Poucas vias expressas existem na cidade atualmente.[carece de fontes?]

São Francisco conecta-se com a cidade de Oakland, ao norte, através da Ponte São Francisco-Oakland. Ela foi inaugurada em 1936. Similarmente, a cidade conecta-se com o Condado de Marin, localizado a nordeste, somente através Ponte Golden Gate. Esta foi inaugurada em 1937, um ano após a inauguração da ponte de Oakland-São Francisco.[carece de fontes?]

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

O principal aeroporto que serve São Francisco, o Aeroporto Internacional de São Francisco está localizado a 12,9 quilômetros sul de São Francisco, no Condado de San Mateo, em uma área anteriormente ocupada por um aterro sanitário. É um dos dois grandes centros aeroportuários da Califórnia, sendo o outro o Aeroporto Internacional de Los Angeles, localizado em Los Angeles. O Aeroporto Internacional de São Francisco é um dos principais hubs da United Airlines. Durante o final da década de 1990, o Aeroporto Internacional de São Francisco chegou a ser o sexto aeroporto comercial mais movimentado do mundo, mas, com a depressão econômica dos anos 2000 e 2001, caiu fora da lista dos 10 mais movimentados em 2003. A BART conecta o aeroporto com a cidade, bem como uma via expressa.[carece de fontes?]

Outros aeroportos primários na região incluem o Aeroporto Internacional de Oakland, localizado 32,2 quilômetros a sul de São Francisco, e o Aeroporto Internacional de São José, localizado 70,8 quilômetros a sul de São Francisco.[carece de fontes?]

Porto[editar | editar código-fonte]

O Porto de São Francisco já foi o maior e mais movimentado porto da costa pacífica dos Estados Unidos. Porém, o advento dos contêineres e a construção de portos mais modernos e maiores em Los Angeles e Oakland na década de 1900 e na década de 1910 fizeram o porto de São Francisco obsoleto. Atualmente, o porto de São Francisco é pouco usado para o movimento de cargas (esta tarefa é desempenhada principalmente pelo Porto de Oakland), sendo usada mais para o movimento de balsas e pequenas embarcações. Atualmente, muito do terreno onde o Porto de São Francisco estava instalado foi vendido para a construção de prédios de escritórios.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «California Cities by Incorporation Date» (Word) (em inglês). California Association of Local Agency Formation Commissions. Consultado em 29 de setembro de 2012. 
  2. «Office of the Mayor» (em inglês). City and County of San Francisco Official Website. Consultado em 9 de dezembro de 2012. 
  3. a b c «GCT-PH1 - Population, Housing Units, Area, and Density: 2010 - State -- Place and (in selected states) County Subdivision» (em inglês). United States Census Bureau. Consultado em 21 de setembro de 2011. 
  4. «Population and Housing Occupancy Status: 2010 - United States -- Combined Statistical Area with Metropolitan and Micropolitan Statistical Area Components; and for Puerto Rico» (em inglês). United States Census Bureau. Consultado em 27 de setembro de 2011. 
  5. a b c «Board of Supervisors - Does San Francisco have a City Council?». SFGov SF311. Consultado em 16 de junho de 2008. 
  6. «San Francisco County, California QuickFacts». United States Census Bureau. Consultado em 26 de novembro de 2009. 
  7. a b Atrás apenas de Nova Iorque, se considerarmos somente cidades com população superior a 200 000 habitantes. Caso contrário não é a segunda. «2000 Census: US Municipalities Over 50,000: Ranked by 2000 Density». Demographia. Consultado em 23 de agosto de 2007. 
  8. «Annual Estimates of the Population of Combined Statistical Areas: April 1, 2000 to July 1, 2008». United States Census Bureau. Consultado em 30 de junho de 2008. 
  9. Edward F. O'Day (Outubro de 1926). «The Founding of San Francisco». San Francisco Water. Spring Valley Water Authority. Consultado em 14 de fevereiro de 2009. 
  10. Richards, Rand (1992). Historic San Francisco: A Concise History and Guide Heritage House [S.l.] ISBN 1-879367-00-9. OCLC 214330849. 
  11. Montagne, Renée (11 de abril de 2006). «Remembering the 1906 San Francisco Earthquake». People & Places National Public Radio [S.l.] Consultado em 13 de junho de 2008. 
  12. «Port of Embarkation Essay—World War II in the San Francisco Bay Area». A National Register of Historic Places Travel Itinerary:. Departamento do Interior dos Estados Unidos. 28 de agosto de 2007. Consultado em 13 de junho de 2008. 
  13. «Overseas Visitation Estimates for U.S. States, Cities, and Census Regions: 2008» (PDF). International Visitation in the United States. US Office of Travel and Tourism Industries, Departamento de Comércio dos Estados Unidos. 11 de maio de 2009. Consultado em 8 de junho de 2009. 
  14. a b «San Francisco: Economy». City-Data.com. Advameg Inc. Consultado em 15 de junho de 2008. 
  15. Engelhardt, O. F. M. (1924). San Francisco or Mission Dolores. p.38. Franciscan Herald Press, Chicago, IL. (em inglês) Descrição da carta escrita pelo Frade Font.
  16. Carl Nolte, « The Great Quake: 1906-2006. Days before the disaster », San Francisco Chronicle, 4 septembre 2006. (em inglês)
  17. «October 17, 1989 Loma Prieta Earthquake» (em inglês). no USGS. Consultado em 6 de maio de 2015. 
  18. Lei de restrição a fumantes em São Francisco, The New York Times (em inglês)
  19. Nova Lei da cidade de São Francisco contra tabaco
  20. Graham, Tom (7 de novembro de 2004). «Peak Experience». San Francisco Chronicle Hearst Communications [S.l.] p. PK-23. Consultado em 13 de junho de 2008. 
  21. Lee, Henry K. (16 de janeiro de 1997). «Mount Davidson Cross Called Landmark by Panel». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] Consultado em 17 de junho de 2008. 
  22. Smith, Charles (15 de abril de 2006). «What San Francisco didn't learn from the '06 quake». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] Consultado em 30 de junho de 2008. 
  23. Selna, Robert (29 de junho de 2008). «S.F. leaders ignore weak buildings' quake risk». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] p. A-1. Consultado em 30 de junho de 2008. 
  24. California Earthquake forecast - UCERF3 - USGS Factsheet (non-technical) Mar, 2015. predicts Earthquake risk for 30 years in California, California earthquake forecast.
  25. «Liquefaction Damage in the Marina District during the 1989 Loma Prieta earthquake» (PDF). California Geological Survey. Consultado em 17 de junho de 2008. 
  26. Matt Baume (14 de abril de 2010). «The Lure of the Creeks Buried Beneath San Francisco's Streets». Streetsblog San Francisco. Consultado em 31 de janeiro de 2013. 
  27. Climate of San Francisco: Narrative Description Golden Gate Weather Services. Acessado em 5 de setembro de 2006.
  28. «NCDC: U.S. Climate Normals — San Francisco» (PDF) (em inglês). Administração Oceânica e Atmosférica Nacional. Consultado em 22 de junho de 2010. 
  29. «Censo histórico de todos os condados da Califórnia (1900 a 1990)» (em inglês). United States Census Bureau. Consultado em 17 de junho de 2010. 
  30. «2010 Census Interactive Population Search: CA - San Francisco city». U.S. Census Bureau. Consultado em 12 de julho de 2014. 
  31. a b c «QT-P3 – Race and Hispanic or Latino Origin: 2010». 2010 United States Census Summary File 1. United States Census Bureau. Consultado em 11 de julho de 2011. 
  32. «Training and Education /PET». Filipino-American Law Enforcement Officers Association. Consultado em 28 de abril de 2012. 
  33. a b «Interactive: Mapping the census». The Washington Post [S.l.: s.n.] Consultado em 9 de fevereiro de 2012. 
  34. a b c d e «QuickFacts: San Francisco County, California». United States Census Bureau. Consultado em 11 de julho de 2011. 
  35. http://www.mercurynews.com/ci_7786413
  36. http://www.modernluxury.com/san-francisco/story/chinatown-decoded-what-language-everybody-speaking
  37. «San Francisco County, California». Modern Language Association. Consultado em 6 de agosto de 2013. 
  38. «San Jose City, California - Census Population Estimate - Population Finder - American FactFinder». United States Census Bureau. Consultado em 22 de janeiro de 2011. 
  39. «The brainpower of America's largest cities» Bizjournals.com (data interpreted from U.S. Census) [S.l.] 2006. Arquivado desde o original em 1 de julho de 2006. Consultado em 5 de agosto de 2010. 
  40. Winter, Michael (9 de junho de 2010). «New measure ranks San Francisco the 'smartest' U.S. city». USA Today [S.l.: s.n.] Consultado em 5 de agosto de 2010. 
  41. Gates, Gary (Outubro de 2006). «Same-sex Couples and the Gay, Lesbian, Bisexual Population: New Estimates from the American Community Survey» (PDF). The Williams Institute, UCLA School of Law. Arquivado desde o original (PDF) em 2 de julho de 2007. Consultado em 10 de julho de 2008. 
  42. «Gay and Lesbian Families in the United States: Same-Sex Unmarried Partner Households» (PDF). Human Rights Campaign. Arquivado desde o original (PDF) em 13 de abril de 2008. Consultado em 26 de agosto de 2006. 
  43. «Median Household Income (In 2003 Inflation-adjusted Dollars) (Place Level)». U.S. Census Bureau. 22 de agosto de 2007. Consultado em 23 de junho de 2009. [ligação inativa]Predefinição:Cbignore
  44. «Families Struggle To Stay: Why Families are Leaving San Francisco and What Can Be Done» (PDF). Coleman Advocates for Children & Youth. 1 de março de 2006. Consultado em 16 de junho de 2008. [ligação inativa]Predefinição:Cbignore
  45. «Economic Characteristics». 2005–2009 American Community Survey 5-Year Estimates – Data Profile Highlights. U.S. Census Bureau. 2007. Arquivado desde o original em 3 de janeiro de 2011. Consultado em 9 de janeiro de 2015. 
  46. «Deinstitutionalization: A Psychiatric 'Titanic'». PBS. Arquivado desde o original em 20 de julho de 2014. Consultado em 9 de agosto de 2014. 
  47. «San Francisco Program Combats Homelessness with Innovation». PBS. 5 de abril de 2005. Consultado em 6 de setembro de 2007. 
  48. Pratt, Timothy (12 de agosto de 2006). «Critics say regional plan won't solve the problem». Las Vegas Sun. Consultado em 30 de agosto de 2006. 
  49. «Board of Supervisors - Does San Francisco have a City Council?». Arquivado desde o original em 26 de agosto de 2008. Consultado em 28 de outubro de 2015. 
  50. «Board of Supervisors District Information». City and County of San Francisco, Board of Supervisors. Arquivado desde o original em 14 de julho de 2007. Consultado em 29 de janeiro de 2006. 
  51. Coté, John (11 de janeiro de 2011). «Ed Lee becomes the city's first Chinese American mayor». The San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] 
  52. «Foreign Consular Offices in the United States, 2007» (PDF). United States Department of State. Consultado em 12 de dezembro de 2008. 
  53. a b «Industry Employment Data for San Francisco County». California Employment Development Department. 2012. 
  54. «Economic Growth Widespread Across Metropolitan Areas In 2013» (PDF). U.S. Bureau of Labor Statistics [S.l.: s.n.] 16 de setembro de 2014. Consultado em 23 de outubro de 2014. 
  55. a b Federal Writers' Project of the Works Progress Administration of Northern California (2011). San Francisco in the 1930s: The WPA Guide to the City by the Bay University of California Press [S.l.] p. 114. ISBN 978-0-520-26880-7. 
  56. «Fortune 500» Fortune magazine, Time Inc [S.l.] 2013. Consultado em 6 de abril de 2014. 
  57. «The World According to GaWC 2012». Globalization and World Cities (GaWC) Study Group and Network. Loughborough University. Consultado em 25 de janeiro de 2014. 
  58. «The Global Financial Centres Index 15» (PDF). Long Finance. Março de 2014. Consultado em 5 de abril de 2014. 
  59. a b Waters, Rob (15 de maio de 2009). «Biotech Jobs Germinate as San Francisco Diversifies Economy». Bloomberg [S.l.: s.n.] 
  60. Warburg, Jennifer (27 de fevereiro de 2014). «Forecasting San Francisco's Economic Fortunes». SPUR [S.l.: s.n.] Consultado em 6 de abril de 2014. 
  61. Selna, Robert (15 de maio de 2008). «New jobs, houses spur S.F. population in 2007». San Francisco Chronicle Hearst Communications [S.l.] p. B-1. Consultado em 14 de junho de 2008. 
  62. Garland, Russ (27 de fevereiro de 2014). «As Bay Area Investment Shifts North, Institutional Venture Partners Opens San Francisco Office». The Wall Street Journal [S.l.: s.n.] Consultado em April 11, 2014. 
  63. «Startup City: The Urban Shift in Venture Capital and High Technology». Martin Prosperity Institute, Rotman School of Management, University of Toronto. 31 de março de 2014. Consultado em 6 de abril de 2014. 
  64. Florida, Richard (8 de setembro de 2012). «San Francisco's urban tech boom». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] Consultado em 6 de abril de 2014. 
  65. Young, Eric (4 de maio de 2010). «S.F. extends biotech payroll tax exemption». San Francisco Business Times [S.l.: s.n.] Consultado em 6 de abril de 2014. 
  66. San Francisco Center for Economic Development. Life Sciences & Biotech. Press release. Página visitada em 6 de abril de 2014.
  67. «Mayor Lee Announces New Biotech Incubator in Mission Bay». Office of the Mayor, City and County of San Francisco. September 10, 2013. Consultado em 6 de abril de 2014. 
  68. City and County of San Francisco, California Comprehensive Annual Financial Report, for the Year ended June 30, 2013. Acessado em 6 de abril de 2014.
  69. Tan, Aldrich M. (12 de abril de 2006). «San Francisco is gateway city for immigrants and Silicon Valley Technology» Fogcityjournal.com [S.l.] Consultado em 15 de junho de 2008. 
  70. Said, Carolyn (29 de novembro de 2005). «Main Street Fights Chain Street». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] Consultado em August 27, 2006. 
  71. Hetter, Katia (21 de março de 2004). «Supervisors OK limits on chain-store expansion». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] Consultado em 19 de janeiro de 2007. 
  72. «Proposition G: Limitations on Formula Retail Stores, City of San Francisco». smartvoter.org. Consultado em 19 de janeiro de 2007. 
  73. a b Frojo, Renée (14 de fevereiro de 2014). «Made in San Francisco: Manufacturing a comeback» [S.l.: s.n.] Consultado em 6 de abril de 2014. 
  74. Gonzales, Richard (May 22, 2006). «New Parts of Alcatraz Revealed to Public». People and Places National Public Radio [S.l.] Consultado em June 15, 2008. 
  75. Flinn, Ryan (3 de setembro de 2010). «S.F. tourism picks up, but spending stays flat». San Francisco Chronicle [S.l.: s.n.] p. D-1. Consultado em 4 de fevereiro de 2012. 
  76. «Overseas Visitation Estimates for U.S. States, Cities, and Census Regions: 2013» (PDF). International Visitation in the United States. US Office of Travel and Tourism Industries, US Department of Commerce. 2014. Consultado em 5 de novembro de 2015. 
  77. «Top 100 City Destinations Ranking» euromonitor.com [S.l.] 26 de janeiro de 2016. Consultado em 24 de maio de 2016. 
  78. (31 de março de 2015). Record-Breaking Economic Impact in 2014. Press release. Página visitada em 16 de abril de 2015.
  79. «San Francisco Visitor Industry Statistics» San Francisco Travel Association [S.l.] 2013. Consultado em 5 de abril de 2014. 
  80. «SFPort – Cruises». Consultado em March 16, 2013. 
  81. «SFPort – James R. Herman Cruise Terminal Project at Pier 27». Consultado em 16 de março de 2013. 
  82. Hartman, Chester (2002). City for sale: The transformation of San Francisco University of California Press [S.l.] 
  83. Boyd, Nan Alamilla. «San Francisco's Castro district: from gay liberation to tourist destination». Journal of Tourism and Cultural Change [S.l.: s.n.] 9 (3): 237–248. doi:10.1080/14766825.2011.620122. 
  84. Pontos turístiscos em São Francisco Consultado em 2016-10-23

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Brook, James, Carlsson, Chris e Peters, Nancy J (1998). Reclaiming San Francisco: History, Politics, Culture University of California Press [S.l.] ISBN 0-87286-335-2. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre São Francisco (Califórnia)