São Francisco do Conde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de São Francisco do Conde
"Chico do Conde"
São Francisco do Conde - State of Bahia, 43900-000, Brazil - panoramio (1).jpg

Bandeira indisponível
Brasão de São Francisco do Conde
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 1697
Gentílico franciscano
Lema Humilitis tamquam dives
"A humildade é nobre"
Prefeito(a) Evandro Almeida[1] (PP)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de São Francisco do Conde
Localização de São Francisco do Conde na Bahia
São Francisco do Conde está localizado em: Brasil
São Francisco do Conde
Localização de São Francisco do Conde no Brasil
12° 37' 40" S 38° 40' 48" O12° 37' 40" S 38° 40' 48" O
Unidade federativa Bahia
Mesorregião Metropolitana de Salvador IBGE/2008[2]
Microrregião Salvador IBGE/2008[2]
Região metropolitana Salvador
Municípios limítrofes Candeias, Madre de Deus, Santo Amaro, São Sebastião do Passé, Saubara
Distância até a capital 67 km
Características geográficas
Área 262,856 km² [3]
População 39 338 hab. IBGE/2018[4]
Densidade 149,66 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,674 médio PNUD/2010[5]
Gini 0,50 PNUD/2010[6]
PIB R$ 11 796 118 mil IBGE/2016[7]
PIB per capita R$ 296 459,35 IBGE/2016[7]
Página oficial
Prefeitura Website oficial

São Francisco do Conde é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Salvador, no estado da Bahia. Sua população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2018, era de 39 338 habitantes.

São Francisco do Conde pertenceu a Salvador até 1697, quando foi emancipado.

Grande parte deve-se da arrecadação municipal de impostos ligados à produção e refino de petróleo pela refinaria RLAM, da Petrobras.[8]

Em maio de 2014, foi inaugurado no município um campus da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), única instituição com este perfil.[9]

Praias[editar | editar código-fonte]

Historia[editar | editar código-fonte]

Em 1618, por ordem do Conde de Linhares, foi construído no alto de um monte, no Recôncavo Baiano, um convento e uma igreja, onde, mais tarde, surgiria a cidade de São Francisco do Conde, em 1698. 
O nome homenageia o padroeiro da cidade e o conde Fernão Rodrigues, que herdou o terreno do 3° governador-geral do Brasil, Mem de Sá. A região onde fica a cidade foi conquistada pelo império português através de guerras travadas contra os índios que viviam nas margens dos rios Paraguaçu e Jaguaribe.

No passado, a riqueza da cidade se baseava nas plantações de cana de açúcar que deram início ao desenvolvimento econômico da área.
A diversidade de etnias que ajudou a construir São Francisco do Conde culturalmente está presente no cotidiano da cidade. As palmeiras imperiais, símbolo da administração portuguesa, estão por toda parte, as construções coloniais são majestosas e conservam a memória da região. Os Tupinambás e os Caetés Negros deixaram de legado, entre outras coisas, uma rica gastronomia. O mingau de farinha de milho, a tapioca e o preparo do peixe assado na folha de bananeira são exemplos dessa herança.

No Município nasceu também Mário Augusto Teixeira de Freitas, idealizador e fundador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Elevado à categoria de vila com a denominação de São Francisco da Barra de Sergipe do Conde, em 27-11-1697. Instalada em 16 de fevereiro de 1698. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila aparece constituída de 5 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, Boqueirão, Cabeceiras do Passe, Monte do Recôncavo, Socorro do Recôncavo. 

Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920, a vila aparece constituída de 6 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, São Gonçalo, Madre de Deus do Boqueirão (ex-Boqueirão), Nossa Senhora do Monte (ex-Monte do Recôncavo), Nossa Senhora do Socorro (ex- Socorro do Recôncavo), São Sebastião das Cabeceiras do Passe (ex-Cabeceiras do Passe). 
Pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23 de junho de 1931 e 7479, de 8 de julho de 1931, o município tomou a denominação de São Francisco. Por este último decreto São Francisco (ex-São Francisco da Barra de Sergipe do Conde), adquiriu o extinto território do extinto município de São Sebastião. como simples distrito.

Pelo decreto estadual nº 7600, de 11 de setembro de 1931, desmembra do município de São Francisco o distrito de São Sebastião. Elevado à categoria de município. 
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: São Francisco, Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão e Socorro do Recôncavo (ex-Nossa Senhora do Socorro). 
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 5 distritos: São Francisco, São Gonçalo (ex-São Francisco), Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão, Monte Recôncavo e Santo Estevão. 

Pelo decreto-lei estadual nº 10724, de 30 de março de 1938, o distrito de São Gonçalo voltou a denominar-se São Francisco. 
Pelo decreto estadual nº 11089, de 30 de novembro de 1938, São Francisco adquiriu do município São Sebastião o distrito de Colônia. Pelo mesmo decreto os distritos de Bom Jesus e Santo Estevão tomaram a denominação, respectivamente de Senhor dos Passo e Socorro. 

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco, Colônia, Madre de Deus, Monte Recôncavo, Senhor dos Passos (ex-Bom Jesus) e Socorro (ex-Santo Estevão). 
Pelo decreto estadual nº 141, de 31 de dezembro de 1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 1 de junho de 1944, o município de São Francisco passou a denominar-se São Francisco do Conde. Os distritos de Colônia, Madre de Deus e Socorro, passaram a chamar-se, respectivamente, Santa Eliza, Suape e Mataripe.  No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco do Conde (ex-São Francisco), Mataripe (ex-Socorro) Monte Recôncavo, Santa Eliza ex-(Colônia), Senhor dos Passos e Suape (ex-Madre de Deus). 

Pelo Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, de 2 de agosto de 1947, os distritos de Senhor dos Passos e Suape foram transferidos para o município de Salvador como subdistritos, com os nomes, respectivamente de Bom Jesus e Madre de Deus.  Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe, Monte Recôncavo e Santa Eliza. 

Pela lei estadual nº 628, de 30 de dezembro de 1953, o distrito de Santa Eliza foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de São Francisco do Conde.  Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe e Monte Recôncavo.  Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. 

Alterações toponímicas municipais[editar | editar código-fonte]

São Francisco da Barra de Sergipe do Conde para São Francisco, alterado pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23 de junho de 1931 e 7479, de 8 de julho de 1931. São Francisco para São Francisco do Conde, alterado pelo decreto estadual nº 141, de 31 de dezembro de 1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 1 de junho de 1944.

Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Morre prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim». Correio. 24 de julho de 2014. Consultado em 25 de julho de 2014 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «estimativa_ibge_2018.xls». agenciadenoticias.ibge.gov.br. Consultado em 1 de setembro de 2018 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  6. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de São Francisco do Conde - BA». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 4 de março de 2014 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 à 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  8. SANTANA, Jaciara de (2011). «São Francisco do Conde e o enigma da riqueza e pobreza no Recôncavo baiano» (PDF). UCSal. Consultado em 23 de julho de 2014. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  9. «Campus dos Malês é inaugurado em São Francisco do Conde, na Bahia». Unilab. 13 de maio de 2014. Consultado em 23 de julho de 2014