São Francisco do Conde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Francisco do Conde
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 1697
Gentílico franciscano
Prefeito(a) Evandro Almeida[1] (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de São Francisco do Conde
Localização de São Francisco do Conde na Bahia
São Francisco do Conde está localizado em: Brasil
São Francisco do Conde
Localização de São Francisco do Conde no Brasil
12° 37' 40" S 38° 40' 48" O12° 37' 40" S 38° 40' 48" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Metropolitana de Salvador IBGE/2008[2]
Microrregião Salvador IBGE/2008[2]
Região metropolitana Salvador
Municípios limítrofes Candeias, Madre de Deus, Santo Amaro, São Sebastião do Passé
Distância até a capital 67 km
Características geográficas
Área 262,856 km² [3]
População 36 677 hab. IBGE/2013[4]
Densidade 139,53 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,674 médio PNUD/2010[5]
Gini 0,50 PNUD/2010[6]
PIB R$ 3 575 292 mil (BR: 54º) – IBGE/2011[7]
PIB per capita R$ 106 050,84 IBGE/2011[7]
Página oficial

São Francisco do Conde é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Salvador, no estado da Bahia. Sua população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2013, era de 36 677 habitantes, a maioria negra.[8]

São Francisco do Conde pertenceu a Salvador até 1697, quando foi emancipado.

Dados de 2011, apontam Conde com o 21º maior PIB per capita do país e o terceiro da região Nordeste.[9] [10] Grande parte deve-se da arrecadação municipal de impostos ligados à produção e refino de petróleo pela refinaria RLAM, da Petrobras.[11]

Em maio de 2014, foi inaugurado no município um campus da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), única instituição com este perfil.[12]

Praias[editar | editar código-fonte]

Historia[editar | editar código-fonte]

Em 1618, por ordem do Conde de Linhares, foi construído no alto de um monte, no Recôncavo Baiano, um convento e uma igreja, onde, mais tarde, surgiria a cidade de São Francisco do Conde, em 1698. 
O nome homenageia o padroeiro da cidade e o conde Fernão Rodrigues, que herdou o terreno do 3° governador-geral do Brasil, Mem de Sá. A região onde fica a cidade foi conquistada pelo império português através de guerras travadas contra os índios que viviam nas margens dos rios Paraguaçu e Jaguaribe.
No passado, a riqueza da cidade se baseava nas plantações de cana de açúcar que deram início ao desenvolvimento econômico da área.
A diversidade de etnias que ajudou a construir São Francisco do Conde culturalmente está presente no cotidiano da cidade. As palmeiras imperiais, símbolo da administração portuguesa, estão por toda parte, as construções coloniais são majestosas e conservam a memória da região. Os Tupinambás e os Caetés Negros deixaram de legado, entre outras coisas, uma rica gastronomia. O mingau de farinha de milho, a tapioca e o preparo do peixe assado na folha de bananeira são exemplos dessa herança. 
No Município nasceu também Mário Augusto Teixeira de Freitas, idealizador e fundador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Elevado à categoria de vila com a denominação de São Francisco da Barra de Sergipe do Conde, em 27-11-1697. Instalada em 16-02-1698. 
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila aparece constituída de 5 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, Boqueirão, Cabeceiras do Passe, Monte do Recôncavo, Socorro do Recôncavo. 
Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920, a vila aparece constituída de 6 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, São Gonçalo, Madre de Deus do Boqueirão (ex-Boqueirão), Nossa Senhora do Monte (ex-Monte do Recôncavo), Nossa Senhora do Socorro (ex- Socorro do Recôncavo), São Sebastião das Cabeceiras do Passe (ex-Cabeceiras do Passe). 
Pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931, o município tomou a denominação de São Francisco. Por este ultimo decreto São Francisco (ex-São Francisco da Barra de Sergipe do Conde), adquiriu o extinto território do extinto município de São Sebastião. como simples distrito.
Pelo decreto estadual nº 7600, de 11-09-1931, desmembra do município de São Francisco o distrito de São Sebastião. Elevado à categoria de município. 
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: São Francisco, Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão e Socorro do Recôncavo (ex-Nossa Senhora do Socorro). 
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 5 distritos: São Francisco, São Gonçalo (ex-São Francisco), Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão, Monte Recôncavo e Santo Estevão. 
Pelo decreto-lei estadual nº 10724, de 30-03-1938, o distrito de São Gonçalo voltou a denominar-se São Francisco. 
Pelo decreto estadual nº 11089, de 30-11-1938, São Francisco adquiriu do município São Sebastião o distrito de Colônia. Pelo mesmo decreto os distritos de Bom Jesus e Santo Estevão tomaram a denominação, respectivamente de Senhor dos Passo e Socorro. 
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco, Colônia, Madre de Deus, Monte Recôncavo, Senhor dos Passos (ex-Bom Jesus) e Socorro (ex-Santo Estevão). 
Pelo decreto estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944, o município de São Francisco passou a denominar-se São Francisco do Conde. Os distritos de Colônia, Madre de Deus e Socorro, passaram a chamar-se, respectivamente, Santa Eliza, Suape e Mataripe. 
No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco do Conde (ex-São Francisco), Mataripe (ex-Socorro) Monte Recôncavo, Santa Eliza ex-(Colônia), Senhor dos Passos e Suape (ex-Madre de Deus). 
Pelo Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, de 02-08-1947, os distritos de Senhor dos Passos e Suape foram transferidos para o município de Salvador como subdistritos, com os nomes, respectivamente de Bom Jesus e Madre de Deus. 
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe, Monte Recôncavo e Santa Eliza. 
Pela lei estadual nº 628, de 30-12-1953, o distrito de Santa Eliza foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de São Francisco do Conde. 
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe e Monte Recôncavo. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. 

Alterações toponímicas municipais

São Francisco da Barra de Sergipe do Conde para São Francisco, alterado pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931. 
São Francisco para São Francisco do Conde, alterado pelo decreto estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944. === Fonte ===

Referências

  1. Morre prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim Correio (24 de julho de 2014). Visitado em 25 de julho de 2014.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. IBGE - Censo Brasileiro 2013 (HTML) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Visitado em 30 de setembro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 07 de agosto de 2013.
  6. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de São Francisco do Conde - BA Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Visitado em 4 de março de 2014.
  7. a b Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 1 djun. 2014.
  8. No Recôncavo Baiano, uma prefeita cheia de garra Raça Brasil. Visitado em 25 de julho de 2014.
  9. IBGE (2013). IBGE_Cidades@. Visitado em 5 de janeiro de 2014.
  10. Produto Interno Bruto dos Municípios_2011 IBGE (2013).
  11. SANTANA, Jaciara de (2011). São Francisco do Conde e o enigma da riqueza e pobreza no Recôncavo baiano UCSal. Visitado em 23 de julho de 2014.
  12. Campus dos Malês é inaugurado em São Francisco do Conde, na Bahia Unilab (13 de maio de 2014). Visitado em 23 de julho de 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Historia Histórico

São Francisco do Conde Bahia- BA

Histórico

Em 1618, por ordem do Conde de Linhares, foi construído no alto de um monte, no Recôncavo Baiano, um convento e uma igreja, onde, mais tarde, surgiria a cidade de São Francisco do Conde, em 1698. O nome homenageia o padroeiro da cidade e o conde Fernão Rodrigues, que herdou o terreno do 3° governador-geral do Brasil, Mem de Sá. A região onde fica a cidade foi conquistada pelo império português através de guerras travadas contra os índios que viviam nas margens dos rios Paraguaçu e Jaguaribe. No passado, a riqueza da cidade se baseava nas plantações de cana de açúcar que deram início ao desenvolvimento econômico da área. A diversidade de etnias que ajudou a construir São Francisco do Conde culturalmente está presente no cotidiano da cidade. As palmeiras imperiais, símbolo da administração portuguesa, estão por toda parte, as construções coloniais são majestosas e conservam a memória da região. Os Tupinambás e os Caetés Negros deixaram de legado, entre outras coisas, uma rica gastronomia. O mingau de farinha de milho, a tapioca e o preparo do peixe assado na folha de bananeira são exemplos dessa herança. No Município nasceu também Mário Augusto Teixeira de Freitas, idealizador e fundador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Formação Administrativa:

Elevado à categoria de vila com a denominação de São Francisco da Barra de Sergipe do Conde, em 27-11-1697. Instalada em 16-02-1698. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila aparece constituída de 5 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, Boqueirão, Cabeceiras do Passe, Monte do Recôncavo, Socorro do Recôncavo. Nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920, a vila aparece constituída de 6 distritos: São Francisco da Barra do Sergipe do Conde, São Gonçalo, Madre de Deus do Boqueirão (ex-Boqueirão), Nossa Senhora do Monte (ex-Monte do Recôncavo), Nossa Senhora do Socorro (ex- Socorro do Recôncavo), São Sebastião das Cabeceiras do Passe (ex-Cabeceiras do Passe). Pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931, o município tomou a denominação de São Francisco. Por este ultimo decreto São Francisco (ex-São Francisco da Barra de Sergipe do Conde), adquiriu o extinto território do extinto município de São Sebastião. como simples distrito. Pelo decreto estadual nº 7600, de 11-09-1931, desmembra do município de São Francisco o distrito de São Sebastião. Elevado à categoria de município. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: São Francisco, Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão e Socorro do Recôncavo (ex-Nossa Senhora do Socorro). Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 5 distritos: São Francisco, São Gonçalo (ex-São Francisco), Bom Jesus, Madre de Deus do Boqueirão, Monte Recôncavo e Santo Estevão. Pelo decreto-lei estadual nº 10724, de 30-03-1938, o distrito de São Gonçalo voltou a denominar-se São Francisco. Pelo decreto estadual nº 11089, de 30-11-1938, São Francisco adquiriu do município São Sebastião o distrito de Colônia. Pelo mesmo decreto os distritos de Bom Jesus e Santo Estevão tomaram a denominação, respectivamente de Senhor dos Passo e Socorro. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco, Colônia, Madre de Deus, Monte Recôncavo, Senhor dos Passos (ex-Bom Jesus) e Socorro (ex-Santo Estevão). Pelo decreto estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944, o município de São Francisco passou a denominar-se São Francisco do Conde. Os distritos de Colônia, Madre de Deus e Socorro, passaram a chamar-se, respectivamente, Santa Eliza, Suape e Mataripe. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 6 distritos: São Francisco do Conde (ex-São Francisco), Mataripe (ex-Socorro) Monte Recôncavo, Santa Eliza ex-(Colônia), Senhor dos Passos e Suape (ex-Madre de Deus). Pelo Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, de 02-08-1947, os distritos de Senhor dos Passos e Suape foram transferidos para o município de Salvador como subdistritos, com os nomes, respectivamente de Bom Jesus e Madre de Deus. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe, Monte Recôncavo e Santa Eliza. Pela lei estadual nº 628, de 30-12-1953, o distrito de Santa Eliza foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de São Francisco do Conde. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: São Francisco do Conde, Mataripe e Monte Recôncavo. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alterações toponímicas municipais

São Francisco da Barra de Sergipe do Conde para São Francisco, alterado pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931. São Francisco para São Francisco do Conde, alterado pelo decreto estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944.

Adrian Costa