São João do Triunfo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja São João.
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja Triunfo.
Município de São João do Triunfo
Vista parcial da cidade.

Vista parcial da cidade.
Bandeira de São João do Triunfo
Brasão de São João do Triunfo
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 8 de janeiro de 1890 (127 anos)
Gentílico triunfense
Prefeito(a) Abimael do Valle[1] (PT)
(2017–2020)
Localização
Localização de São João do Triunfo
Localização de São João do Triunfo no Paraná
São João do Triunfo está localizado em: Brasil
São João do Triunfo
Localização de São João do Triunfo no Brasil
25° 40' 58" S 50° 17' 49" O25° 40' 58" S 50° 17' 49" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Sudeste Paranaense IBGE/2008[2]
Microrregião São Mateus do Sul IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Palmeira, Lapa, Antônio Olinto, São Mateus do Sul e Rebouças
Distância até a capital 106 km
Características geográficas
Área 720,407 km² [3]
População 14 815 hab. [4]
Densidade 20,56 hab./km²
Altitude 840 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,679 médio PNUD/2000[5]
PIB R$ 107 131,400 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 530,68 IBGE/2008[6]
Página oficial

São João do Triunfo é um município brasileiro localizado no interior do Paraná. Pertence à Mesorregião do Sudeste Paranaense e à Microrregião de São Mateus do Sul e localiza-se a sudoeste da capital do estado, distando desta cerca de 106 km. Ocupa uma área de 720,407 km², sendo que 0,3682 km² estão em perímetro urbano. Sua população em 2010 era de 13 704 habitantes[7] e já em 2016 possui uma população estimada em 14 815 habitantes.[4]

A sede tem uma temperatura média anual de 17,4 °C e na vegetação do município predomina a Floresta Ombrófila Mista. Com 29,54% de seus habitantes vivendo na zona urbana, o município contava, em 2009, com onze estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,679, considerando como médio em relação ao estado.

A região de São João do Triunfo começou a ser povoada por João Nunes de Souza com o nome de Rio da Vargem em 1864. Os principais produtos econômicos do município, cuja principal atividade econômica é a agricultura, são fumo, soja e milho. Fundado por meio da Lei Estadual nº 13, de 8 de janeiro de 1890 e com data de instalação em 15 de fevereiro do mesmo ano desmembrou-se de Palmeira.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo São João do Triunfo homenageia o santo padroeiro São João Batista e o senhor João Nunes de Souza, criador da localidade.[8] Acrescentou-se a locução adjetiva do Triunfo devido à obtenção do sucesso pelos corajosos sertanistas da região de Rio da Vargem.[8] A palavra João é originária do hebraico Yohanan, que significa "graça de Deus".[9] Segundo a tradição bíblica, São João Batista é conhecido como o anunciador da chegada do Messias.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

Casarão do final do século XIX.

A região de São João do Triunfo começou a ser povoada em 1864. Tudo começou no momento em que João Nunes de Souza, que morava em São José dos Pinhais, planeja caçar a caminho dos sertões. Caçador aventureiro por dedicação, o sertanista João de Souza partiu de sua terra, percorreu o rio Iguaçu abaixo e margeou o rio da Vargem acima, até certo ponto.[11]

A caça era farta, a mata era exuberante, as águas eram muito ricas e o solo era fértil e isso deixou encantado o desbravador João Nunes de Souza, o qual preferiu se estabelecer naquele lugar. Com ele partiu a família inteira, a qual encarou qualquer forma de perigo pertinente a uma tentativa desse tipo, porém, escaparam da morte. A região foi desbravada, sementes na terra foram lançadas, picadas foram abertas na mata e a maior propaganda dessa região foi possivelmente realizada.[11]

Não tardou muito e um novo morador de Rio da Vargem, antigo nome do local, concedido por João Nunes, Antonio Dotes, o qual aí veio em 1867, chegou com demais pessoas, as quais juntas, não demoraram a constituir um diminuto povoado.[11]

De grande religiosidade, a população local erigiu uma capela, onde entronizou-se a imagem de São João Batista. Construíram-se uma série de casas em torno da diminuta igreja, em terreno principalmente dado por quem fundou a comunidade. Não tardou muito e alterou-se o nome do povoado de Rio da Vargem para São João do Triunfo.[11]

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

Antiga Prefeitura Municipal, construída em 1927.

Foi com a nova denominação que, no dia 16 de março de 1871, através da Lei Provincial nº 254, São João do Triunfo elevou-se à categoria de Freguesia. Através da Lei Estadual nº 13, de 8 de janeiro de 1890, já em plena República Velha, criou-se o município de São João do Triunfo, com terras que se desmembraram de Palmeira. O novo município, senão um dos mais antigos do período republicano, foi instalado oficialmente no dia 15 de fevereiro de 1890, quando empossaram o intendente e os vereadores.[11]

O território de São João do Triunfo contém o distrito de Palmira, com imigrantes poloneses recebidos pela região nos primeiros anos do século XX, por meio das colônias Rio dos Patos e Brumado. Foros de município foram recebidos por Palmira no dia 10 de abril de 1909, por meio da Lei Estadual nº 874, e em 1920 sua população era de 2 423 habitantes. Posteriormente extinguiu-se o município de Palmira e anexou-se ao de São João do Triunfo.[11]

Através da Lei Estadual nº 93, de 14 de setembro de 1948, o município foi passado a sede de Comarca, a qual foi instalada no dia 25 de janeiro de 1949.[11]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 720,407 km², sendo que 0,3682 km² constituem o perímetro urbano.[12] Situa-se a 25º40'58" de latitude sul e 50º17'49" de longitude oeste e está a uma distância de 106 quilômetros a sudoeste da capital paranaense. Seus municípios limítrofes são: Palmeira ao norte; São Mateus do Sul e Antonio Olinto ao sul; Lapa a leste; e Rebouças e Fernandes Pinheiro a oeste.[13]

Relevo, hidrografia e meio-ambiente[editar | editar código-fonte]

O rio da Vargem, afluente do Iguaçu, corta todo o município de norte a sul.

O município de São João do Triunfo faz parte do segundo planalto paranaense, também conhecido como planalto de Ponta Grossa, onde o relevo é ondulado e a altitude média varia de 1200 a 300 metros acima do nível do mar.[14] A altitude média da sede é de 840 metros, sendo uma das sedes com a maior elevação do estado,[15] e a idade geológica do solo predominante pertence ao período Permiano.[16]

A vegetação predominante é a Mata Atlântica,[17] sendo que as reservas remanescentes do domínio florestal atlântico ocupavam 13 288 hectares em 2011, ou 18,4% da área total municipal.[18] O principal curso hidrográfico que corta o território municipal é o rio da Vargem.[13]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima triunfense é caracterizado, segundo o IBGE, como subtropical mesotérmico brando superúmido (tipo Cfb segundo Köppen),[19] tendo chuvas bem distribuídas durante o ano e temperatura média anual de 17,4 °C com invernos amenos e verões quentes.[20][21] O mês mais quente, janeiro, tem temperatura média de 21,5 °C, sendo a média máxima de 27,3 °C e a mínima de 15,8 °C. E o mês mais frio, julho, de 12,8 °C, sendo 19,2 °C e 6,5 °C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[22]

A precipitação média anual é de 1 451,0 mm, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem 72,0 mm. Em fevereiro, o mês mais chuvoso, a média fica em 185,0 mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30 °C, especialmente entre julho e setembro. Geadas são comuns no inverno e entre os dias 22 e 23 de julho de 2013 houve registro de chuva congelada na cidade.[23]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 10 296
1980 10 803 4,9%
1991 12 320 14,0%
2000 12 479 1,3%
2010 13,704 -99,9%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[24]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 13 704 habitantes.[7] Segundo o censo daquele ano, 7 208 habitantes eram homens e 6 496 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 4 048 habitantes viviam na zona urbana e 6 496 na zona rural.[7] Da população total naquele ano, 1 215 habitantes (8,86%) tinham menos de 15 anos de idade, 2 894 habitantes (20,11) tinham de 15 a 64 anos e 344 pessoas (2.5%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 73,1 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 2,1.[25]

Em 2010, a população era composta por 10.790 brancos (78,74 %), 244 negros (1,78%), 69 amarelos (0,50%), 2 597 pardos (18,95%) e 4 indígenas (0,03%).[26] Considerando-se a região de nascimento, 16 eram nascidos no Sudeste (0,12%), 6 na Região Norte (0,04%), 5 no Nordeste (0,04%) e 13 620 no Sul (99,39%). 13 438 habitantes eram naturais do Paraná (98,06%) e, desse total, 11 877 eram nascidos em São João do Triunfo (86,67%).[27] Entre os 266 naturais de outras unidades da federação, SC era o estado com maior presença, com 112 pessoas (0,82%), seguido pelo RS, com 70 residentes (0,51%), e por MG, com 11 habitantes residentes no município (0,08%).[28]

Paróquia São João Batista, na praça da Igreja Matriz

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de São João do Triunfo é considerado alto pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,629 (o 3501º maior do Brasil). A cidade possui a maioria dos indicadores próximos à média nacional segundo o PNUD. Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,475, o valor do índice de longevidade é de 0,801 e o de renda é de 0,655.[29] De 2000 a 2010, a proporção de pessoas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo reduziu em 20,5% e em 2010, 79,5% da população vivia acima da linha de pobreza, 11,7% encontrava-se na linha da pobreza e 8,8% estava abaixo[30] e o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,500, sendo que 0,41 é o pior número e 0,36 é o melhor.[31] A participação dos 20% da população mais rica da cidade no rendimento total municipal era de 52,6%, ou seja, 15,3 vezes superior à dos 20% mais pobres, que era de 3,4%.[30]

De acordo com dados do censo de 2010 realizado pelo IBGE, a população municipal está composta por: 11 917 católicos (86,96%), 1 473 evangélicos (10,75%) e 198 pessoas sem religião (1,44%).[32] Segundo divisão da Igreja Católica, a cidade sedia a Paróquia São João Batista, subordinada à Diocese de União da Vitória.[33][34]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelos poderes Executivo e Legislativo.[35] O representante do poder executivo de São João do Triunfo eleito nas eleições municipais em 2016 foi Abimael do Valle, do Partido dos Trabalhadores, que conquistou um total de 4 315 votos (47,37% dos eleitores), tendo Geraldo Chaves como vice-prefeito.[36]

O poder legislativo, por sua vez, é constituído pela câmara, composta por 9 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição)[37] e está composta por duas cadeiras do Partido da Social Democracia Brasileira, duas cadeiras do Partido da República, uma cadeira do Partido dos Trabalhadores, uma cadeira do Partido do Movimento Democrático Brasileiro, uma cadeira do Partido Republicano da Ordem Social, uma cadeira do Partido Social Cristão e uma cadeira do Partido Democrático Trabalhista. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).[36]

Havia 11 082 eleitores em abril de 2016, o que representa 0,142% do total do estado.[38] O município de São João do Triunfo é regido por lei orgânica[39] e é o único município jurisdicionado pela Comarca de São João do Triunfo, de entrância inicial, da qual é a sua sede.[40] Encontra-se subdividido em dois distritos, sendo eles a sede e Palmira.[41]

Política de São João do Triunfo
Prefeitura Municipal, sede do poder executivo do município.
Câmara de Vereadores, sede do poder legislativo do município.
Fórum da Comarca, sede do poder judiciário do município.

Economia[editar | editar código-fonte]

No Produto Interno Bruto (PIB) de São João do Triunfo, destacam-se a agropecuária e o setor de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2013, o PIB do município era de R$ 290 501 mil.[6] 9 122 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 20 087,17.[6] Em 2010, 70,72% da população maior de 18 anos era economicamente ativa, enquanto que a taxa de desocupação era de 2,61%.[25]

Salários, juntamente com outras remunerações, somavam 13 095 mil reais e o salário médio mensal de todo o município era de 2,0 salários mínimos. Havia 209 unidades locais e 206 empresas atuantes.[42] Segundo o IBGE, 16,31% das residências sobreviviam com menos de um salário mínimo mensal por morador (667 domicílios), 18,9% sobreviviam com entre um e três salários mínimos para cada pessoa (767 domicílios), 1,71% recebiam entre três e cinco salários (70 domicílios), 0,83% tinham rendimento mensal acima de cinco salários mínimos (34 domicílios) e 2,74% não tinham rendimento (112 domicílios).[43]

Setor primário

Produção de fumo, soja e milho (2014)[44]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Fumo 7 200 18 000
Soja 5 500 15 950
Milho 1 200 9 000
Agência do Banco do Brasil.

Em 2013, de todo o PIB da cidade, 163 061 mil reais era o valor adicionado bruto da agropecuária,[6] enquanto que, em 2010, 70,72% da população economicamente ativa do município estava ocupada no setor.[25] Segundo o IBGE, em 2013, o município contava com 4 286 bovinos, 398 bubalinos, 180 caprinos, 2 800 equinos, 650 ovinos, 11 000 galinhas e 21 000 galináceos. 610 vacas foram ordenhadas, das quais foram produzidos 310 mil litros de leite. Também foram produzidos 21 000 quilos de mel de abelha.[45]

Na lavoura temporária são produzidos principalmente o fumo (18 000 toneladas produzidas e 7 200 hectares cultivados), a soja (15 950 toneladas produzidas e 5 500 hectares plantados) e o milho (9 000 toneladas produzidas e 2 600 hectares cultivados), além do alho, arroz, aveia, batata-inglesa, cebola, centeio, feijão, mandioca, trigo e triticale.[44] Já na lavoura permanente destacam-se a erva-mate (900 toneladas produzidas e 330 hectares colhidos) e a uva (126 toneladas produzidas e 14 hectares colhidos).[46]

Setores secundário e terciário

A produção industrial rendia 15 758 mil reais ao PIB do município em 2013, sendo resumida principalmente à indústria de transformação, com presença em pequena escala de estabelecimentos de produtos minerais não metálicos, madeira e do mobiliário, indústria química e produtos alimentícios.[47] De acordo com o IBGE, em 2014 foram extraídos 7 500 m³ de madeira em lenha[48] e, segundo estatísticas do ano de 2010, 2,89% dos trabalhadores de São João do Triunfo estavam ocupados na indústria de transformação.[25]

Também em 2010, 3,18% da população ocupada estava empregada no setor de construção, 0,29% nos setores de utilidade pública, 7,63% no comércio e 16,52% no setor de serviços[25] e em 2012, 57 810 reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor terciário.[6]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Habitação, segurança pública, serviços e comunicações[editar | editar código-fonte]

São João do Triunfo contava, em 2010, com 4 090 domicílios, dos quais 4 067 eram casas e 23 eram apartamentos. Do total de domicílios, 3 585 eram próprios, sendo 3 546 próprios já quitados e 39 próprios em aquisição, 200 eram alugados; 295 imóveis foram cedidos, sendo 152 cedidos por empregador e 143 cedidos de outra maneira; e dez foram ocupados de outra forma.[49] O serviço de abastecimento de energia elétrica é feito pela Companhia Paranaense de Energia, sendo que em 2010, segundo o IBGE, 4 001 domicílios possuíam acesso à rede elétrica.[49]

Destacamento da polícia militar.

Em 2011, foi registrada uma taxa de 3 homicídios para cada 100 mil habitantes, sendo o 195º maior índice do estado e o 2620º maior do Brasil.[50] O índice de acidentes de trânsito neste mesmo ano foi de duas ocorrências para cada 100 mil residentes.[51] Em relação à ocorrência de suicídios, a taxa foi de 2,3 ocorrências a cada 100 mil habitantes, sendo a 162ª maior taxa a nível estadual e a 2074ª a nível nacional.[52] Por força da Constituição Federal do Brasil, São João do Triunfo possui também uma Guarda Municipal, responsável pela proteção dos bens, serviços e instalações públicas do município.[53] O 2º Pelotão da PMPR em São João do Triunfo é a sede da polícia militar do município jurisdicionado pelo 27º BPM, com sede em União da Vitória, do 4º CRPM, com sede em Ponta Grossa.[54]

O fornecimento de água e a coleta de esgoto da cidade são feitos pela Companhia de Saneamento do Paraná e em 2008, havia 2 149 unidades consumidoras e eram distribuídos em média 746 m³ de água tratada por dia.[55] Segundo o IBGE, em 2010, 2 214 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento e 3 313 domicílios possuíam banheiros para uso exclusivo das residências.[49]

O código de área (DDD) de São João do Triunfo é 042[56] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) vai de 84150-000 a 84150-000.[57]

Saúde, educação e transportes[editar | editar código-fonte]

Hospital e Maternidade Imaculada Conceição.

O município possuía, em 2009, onze estabelecimentos de saúde, sendo um deles privado e dez públicos municipais entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles havia 26 leitos para internação.[58] Em 2014, 99% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[59] Em 2013, foram registrados 159 nascidos vivos, ao mesmo tempo que o índice de mortalidade infantil foi de nenhum óbito de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[59] Em 2010, 4,31% das mulheres de 10 a 17 anos tiveram filhos, sendo 12,22% delas entre 10 e 14 anos e a taxa de atividade nesta faixa etária de 12,22%.[25] 83,0% das crianças menores de 2 anos de idade foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2013, sendo que 1,2% delas estava desnutrida.[30]

C.E. Francisco Neves Filho.

Na área da educação, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas era, no ano de 2013, de 4,4 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 à 10), sendo que a nota obtida por alunos do 5º ano (antiga 4ª série) foi de 5,3 e do 9º ano (antiga 8ª série) foi de 4,4; o valor das escolas públicas de todo o Brasil era de 4,0.[60] Em 2010, 85,08% das crianças com faixa etária entre sete e quatorze anos não estavam cursando o ensino fundamental.[25] A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 43,82% e o percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 18 e 24 anos era de 26,40%. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com idade superior à recomendada, era de 10,1% para os anos iniciais e 33,2% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 32,1%.[60] Dentre os habitantes de 18 anos ou mais, 29,14% tinham completado o ensino fundamental e 26,40% o ensino médio, sendo que a população tinha em média 9,88 anos esperados de estudo.[25]

Em 2010, de acordo com dados da amostra do censo demográfico, da população total, 3 704 habitantes frequentavam creches e/ou escolas. Desse total, 44 frequentavam creches, 283 estavam no ensino pré-escolar, 106 na classe de alfabetização, 27 na alfabetização de jovens e adultos, 2 395 no ensino fundamental, 488 no ensino médio, 93 na educação de jovens e adultos do ensino fundamental, 75 na educação de jovens e adultos do ensino médio, 25 na especialização de nível superior e 169 em cursos superiores de graduação. 8 934 pessoas não frequentavam unidades escolares, sendo que 1 446 nunca haviam frequentado e 8 554 haviam frequentado alguma vez.[61] O município contava, em 2012, com 38 matrículas nas instituições de ensino da cidade, sendo que dentre as doze escolas que ofereciam ensino fundamental, quatro pertenciam à rede pública estadual, oito à rede municipal. Dentre as 47 instituições que forneciam o ensino médio, 47 pertenciam à rede pública estadual.[62]

A frota municipal em 2015 era de 5 743 veículos, sendo 3 292 automóveis, 279 caminhões, 15 caminhões-tratores, 620 caminhonetes, 123 caminhonetas, 14 micro-ônibus, 1 171 motocicletas, 99 motonetas, 41 ônibus, 70 reboques, 65 semi-reboques e seis utilitários.[63] O município é atendido pela PR-151, além da BR-277, partindo de Curitiba e passando por Campo Largo, Balsa Nova, São Luiz do Purunã, Colônia Witmarsum, Porto Amazonas e Palmeira (BR-277), para depois virar à esquerda na PR-151.[64]

Educação de São João do Triunfo em números (2012)[62]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 143 7 3
Ensino fundamental 2 326 98 12
Ensino médio 596 47 4

Cultura[editar | editar código-fonte]

Biblioteca Cidadã Professora Lina dos Santos Oliveira

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de São João do Triunfo, juntamente ou não com instituições locais, passou a investir mais no segmento de festas e eventos. A Secretaria de Educação, Cultura e Turismo é o órgão em complementação ao processo legislativo que versa sobre o setor cultural do município, sendo composto obrigatoriamente por representantes dos vários.[65]

O único espaço cultural é uma biblioteca,[66] denominada Biblioteca Cidadã Professora Lina dos Santos Oliveira.[67] O único atrativo turístico, a Cachoeira Arco Íris situa-se em São João do Triunfo, na Comunidade Coxilhão Santa Rosa, perto da Torre da Telepar, depois da cidade de Palmeira. O dono é Paulo Domingos Bedim. Ela se abre ao visitante.[68]

Em São João do Triunfo há dois feriados municipais, e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia da Festa de São João Batista, comemorada em 24 de junho, e o dia da emancipação política da cidade, em 15 de fevereiro.[69] De acordo com a lei federal nº 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais com âmbito religioso, já incluída a Sexta-Feira Santa.[70][71]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Abimael do Valle é Prefeito Eleito de São João do Triunfo pelo PT na coligação TRIUNFO PARA TODOS Eleições 2016 - 1° de janeiro de 2017
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. a b «Estimativas populacionais para os municípios brasileiros em 01.07.2016 (PDF)» (PDF). Estimativa Populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30 de agosto de 2016. Consultado em 2 de setembro de 2016 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b c d e f «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. a b c «Tabela 608 - População residente, por situação de domicílio e sexo - Sinopse». Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  8. a b Ferreira 1996, p. 638.
  9. Harper, Douglas. «John». Online Etymology Dictionary. Consultado em 20 de abril de 2016 
  10. «João Batista, O Mensageiro Precursor do Prometido Messias». Verdade em foco. Consultado em 20 de abril de 2016 
  11. a b c d e f g Ferreira 1996, p. 637-638.
  12. Embrapa Monitoramento por Satélite. «Paraná». Consultado em 25 de julho de 2012. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 
  13. a b Nonoya Filho, José. ««Paraná: rodoviário, político, turístico, escolar». » (Mapa). São João do Triunfo. 1:750.000. Cartografado por Silva, Natanael Alves da; Silva, Manuel Salvador da; Lima, Valdecir Borges de Lima. São Paulo: Editora Trieste 
  14. Thais Pacievitch. «Geografia do Paraná». InfoEscola. Consultado em 9 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 9 de agosto de 2014 
  15. Embrapa Monitoramento por Satélite. «Paraná». Consultado em 8 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 9 de outubro de 2011 
  16. Secretaria da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul do Paraná (2006). «Idades geológicas». Consultado em 9 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 9 de agosto de 2014 
  17. Cidades@ - IBGE. «Infográficos: dados gerais». Consultado em 9 de agosto de 2014 
  18. Fundação SOS Mata Atlântica (20 de agosto de 2012). «Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica» (PDF). p. 10. Consultado em 9 de agosto de 2014. Cópia arquivada em 28 de março de 2014 
  19. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 23 de março de 2014. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011 
  20. Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). «Clima». Consultado em 23 de março de 2014. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 
  21. Biblioteca IBGE. «Brasil - Climas». Consultado em 23 de março de 2014. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 
  22. a b «Clima: São João do Triunfo». Clima-Data.org. Consultado em 22 de maio de 2016 
  23. Redação (23 de julho de 2013). «Geada entra no lugar da neve nesta quarta-feira no Paraná». Consultado em 22 de maio de 2016 
  24. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  25. a b c d e f g h Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). «Perfil». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  26. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «População por raça e cor». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  27. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  28. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  29. PNUD. «1 - Evolução do desenvolvimento nos municípios brasileiros» (PDF). Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  30. a b c Portal ODM. «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  31. Portal ODM (2012). «Perfil municipal». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  32. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  33. «Mapa diocesano». Diocese de União da Vitória. Cópia arquivada em 24 de maio de 2016 
  34. «Paróquias». Diocese de União da Vitória. Cópia arquivada em 24 de maio de 2016 
  35. Flávio Henrique M. Lima (9 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 22 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 
  36. a b «Candidatos». Eleições 2016. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  37. DJI. «Constituição Federal - CF - 1988 / Art. 29». Consultado em 22 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 
  38. Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (12 de abril de 2013). «Consulta Quantitativo». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  39. «Lei Orgânica do Município de São João do Triunfo» (PDF). Controle Municipal. Consultado em 24 de maio de 2016 
  40. «Comarca de São João do Triunfo». Subprocuradoria-Geral da Justiça para Assuntos de Planejamento Institucional do Ministério Público do Paraná. Consultado em 30 de maio de 2016 
  41. Ferreira 1996, p. 638.
  42. Cidades@ - IBGE (2012). «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas». Consultado em 25 de maio de 2016 
  43. Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) (2010). «Domicílios particulares permanentes, por classes de rendimento nominal mensal domiciliar per capita». Consultado em 25 de maio de 2016 
  44. a b Cidades@ - IBGE (2014). «Lavoura Temporária 2014». Consultado em 25 de maio de 2016 
  45. Cidades@ - IBGE (2013). «Pecuária 2013». Consultado em 25 de maio de 2016 
  46. Cidades@ - IBGE (2014). «Lavoura Permanente 2014». Consultado em 25 de maio de 2016 
  47. «Caderno Estatístico». Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. 2016. Consultado em 25 de maio de 2016 
  48. Cidades@ - IBGE (2014). «Extração vegetal e silvicultura - 2014». Consultado em 25 de maio de 2016 
  49. a b c Cidades@ - IBGE (2010). «Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  50. Julio Jacobo Waiselfisz (2 de julho de 2014). «Número e taxas (por 100 mil) de homicídio em municípios com mais de 20.000 habitantes» (xls). Mapa da Violência. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  51. Julio Jacobo Waiselfisz (2 de julho de 2014). «Número e taxas (por 100 mil) de óbitos em acidentes de transporte em municípios com mais de 20.000 habitante» (xls). Mapa da Violência. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  52. Julio Jacobo Waiselfisz (2 de julho de 2014). «Número e taxas (por 100 mil) de suicídio em municípios com mais de 20.000 mil habitantes» (xls). Mapa da Violência. Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  53. Presidência da República (1988). «Constituição da República Federativa do Brasil de 1988». Consultado em 12 de junho de 2011 
  54. «4º Comando Regional de Polícia Militar». Polícia Militar do Paraná. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  55. Cidades@ - IBGE (2008). «Pesquisa Nacional de Saneamento Básico - 2008». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  56. Guia Mais. «DDD da Cidade». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  57. Correios. «CEP de cidades brasileiras». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  58. Cidades@ - IBGE. «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  59. a b Portal ODM (2012). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  60. a b Portal ODM (2012). «2 - educação básica de qualidade para todos». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  61. Cidades@ - IBGE (2010). «Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Educação». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  62. a b Cidades@ - IBGE (2012). «Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2012». Consultado em 22 de fevereiro de 2015 
  63. IPARDES (2016). «Caderno Estatístico». Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  64. «Mapa Multimodal do Paraná» (PDF). Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Consultado em 20 de julho de 2011 
  65. Prefeitura. «SCRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E TURISMO». Consultado em 29 de maio de 2016 
  66. «Caderno Estatístico». Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  67. Governo do Paraná. «Bibliotecas Municipais». Biblioteca Pública do Paraná. Consultado em 29 de maio de 2016 
  68. Prefeitura. «Cachoeira Arco Íris». Consultado em 29 de maio de 2016 
  69. «Eventos do Paraná». Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  70. Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 27 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 
  71. Presidência da República. «Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995». Consultado em 27 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ferreira, João Carlos Vicente (1996). O Paraná e seus municípios. Maringá: Editora Memória Brasileira. p. 637-638. 728 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]