São José da Laje

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São José da Laje
"Princesa das Fronteiras"
Bandeira de São José da Laje
Brasão de São José da Laje
Bandeira Brasão
[[1]]
Aniversário 28 de julho
Fundação 1876
Gentílico lajense
Prefeito(a) Bruno Rodrigo Valença de Araújo (Rodrigo de Neno) (PMDB -> 2013-2016)
Localização
Localização de São José da Laje
Localização de São José da Laje em Alagoas
São José da Laje está localizado em: Brasil
São José da Laje
Localização de São José da Laje no Brasil
09° 00' 36" S 36° 03' 28" O09° 00' 36" S 36° 03' 28" O
Unidade federativa  Alagoas
Mesorregião Leste Alagoano IBGE/2008 [1]
Microrregião Serrana dos Quilombos IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Zona da Mata
Municípios limítrofes Ibateguara, União dos Palmares, Santana do Mundaú e Canhotinho (PE).
Distância até a capital 97 km
Características geográficas
Área 264,674 km² [2]
População 22 689 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 85,72 hab./km²
Altitude 256 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,668 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 127 878,689 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 574,24 IBGE/2008[5]
Página oficial

São José da Laje é um município brasileiro do estado de Alagoas. Sua população estimada é de 22.188 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do povoado de São José da Laje está ligada às primeiras expedições comerciais feitas entre Porto Calvo, Porto de Pedras e outros municípios situados no litoral norte, além de algumas cidades de Pernambuco como Rio Formoso, Cabo de Santo Agostinho e Serinhaém. Sua expansão, no entanto, deveu-se realmente a motivos religiosos. Em 1828, já havia uma doação feita por José Vicente de Lima e sua mulher, Angélica de Mendonça, a São José. Eles doaram 100 mil réis de terra. O casal era dono de um antigo engenho de açúcar onde mais tarde se instalou a fazenda Boa Esperança. O contorno das terras doadas não era bem definido mas citava o rio canhoto, no ponto onde está hoje a cidade. Em 28 de julho de 1876, o povoado era desenvolvido e se chamava Laje do Canhoto. A Assembléia Provincial o elevou à categoria de vila, com o título de São José da Laje.

Para a Laje foi, também, a sede do município de Imperatriz (hoje União dos Palmares), através da Lei 737, de 1876, que terminou não sendo cumprida. Pela resolução 896, de 1886, ficou criado o município de São José da Laje, com os mesmos limites da freguesia, mas judicialmente ligado a União dos Palmares. Só com a Constituição de 1935 é que o município teve assegurada a comarca.

Funções Administrativas[editar | editar código-fonte]

Distrito criado com a denominação de São José da laje, pela lei provincial nº 885, de 30-06-1882. Elevado à categoria de vila com denominação de São José da Laje, pela resolução provincial ou pela lei provincial nº 681, de 24-04-1875 e por lei provincial nº 737, de 0707-1876.

Suprimida pela lei provincial nº 956, de 13-07-1885.

Restaurado pela lei nº 986, de 28-06-1886.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede.Elevado à categoria de cidade com a denominação de São José da Laje, pela lei estadual nº 681, de 16-06-1920.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede. Em divisão territorial datada de 31-XII-1936, o município aparece constituído de 3 distritos: São José da Laje, Canastra e Piquete. Em divisão territorial datada de 31-XII-1937, o município é constituído de 2 distritos: São José da Laje e Piquete. Não figurando o distrito de Canastra. Pelo decreto-lei estadual nº 2909, de 30-12-1943, o distrito de Piquete passou a denominar-se Ibateguara.

No quadro fixado para vigorar em 1949-1953, o município é constituído de 2 distritos: São José da Laje e Ibategura, ex Piquete. Pela lei estadual nº 2076, de 19-11-1957, desmembra do município de São José da Laje o distrito de Ibateguara. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Atualmente o prefeito da cidade o é Bruno Rodrigo Valença de Araújo, eleito para o período 2013 a 2016.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Canhoto
  • Rio Inhumas
  • Riacho Seco

Principais acessos[editar | editar código-fonte]

Dados complementares[editar | editar código-fonte]

  • Hospitais: 1
  • Postos de Saúde: 6
  • Escolas de Ensino Fundamental: 29
  • Escolas de Ensino Médio: 1
  • Agências Bancárias: 2

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 24 de outubro de 2011. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Alagoas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.