São Julião da Barra (localidade)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
OER.png São Julião da Barra
  Povoação do Concelho de Oeiras  
The lunchtime rush (5385816833).jpg
Localização
OER Sao Juliao.svg
País Portugal
Região Área Metropolitana de Lisboa
Concelho Oeiras
Freguesia Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias

São Julião da Barra é uma localidade da freguesia de Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias, do concelho de Oeiras. Situa-se na margem direita do rio das Parreiras, sobre a encosta do Alto da Barra até ao litoral mais atlântico do Estuário do Tejo, enquanto que o seu limite a norte compreende a Linha de Cascais. Dividido com o concelho de Cascais, o Forte de São Julião da Barra delimita o extremo ocidental de Oeiras[1], a Barra do Estuário do Tejo. Limita com Oeiras, a leste; Nova Oeiras, a norte; e a oeste com os Lombos e a Torre, já na freguesia cascalense de Carcavelos e Parede.

Para além do forte, São Julião da Barra inclui a Praia da Torre, o Porto de Recreio e a Piscina Oceânica de Oeiras, a Bateria da Feitoria (Colégio Militar), o INATEL, o forte de Nossa Senhora das Mercês de Catalazete (Pousada da Juventude), o forte do Areeiro, o Palácio da Justiça (onde funciona o Tribunal de Círculo e Comarca de Oeiras) e a Estação Ferroviária de Oeiras. Dispõe também de importantes equipamentos militares e de defesa, como o Comando Operacional das Forças Terrestres e o mais importante conjunto social nacional do Ministério da Defesa, o IASFA (Instituto de Acção Social das Forças Armadas) e as instalações da NATO. [2]

O núcleo urbano atual teve origem no Casal da Medrosa, que se foi expandindo em virtude da construção do caminho de ferro, da Fundição de Oeiras e do antigo Liceu Nacional de Oeiras, o único estabelecimento de ensino público da Costa do Estoril durante vários anos.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A freguesia de São Julião da Barra resumia-se estritamente à antiga fortificação, o que lhe dava uma característica puramente militar. No decreto de 6 de Novembro de 1836, consta que a freguesia de São Julião da Barra tinha apenas 24 fogos[1]. Então, já em 1900, o Cardeal Patriarca decide anexar a freguesia de São Julião da Barra à freguesia de Nossa Senhora da Purificação de Oeiras. Esta desagrega-se em 1926 com a criação da freguesia de Paço de Arcos, consolidando-se a freguesia de Oeiras e São Julião da Barra.

Em 1952 foi inaugurado em S. Julião da Barra o antigo liceu nacional de Oeiras, assim chamado durante o Estado Novo, atualmente Escola Secundária Sebastião e Silva. Já em 1972, junto à Estrada da Medrosa, estabeleceu-se o Comando de Oeiras da NATO, que ali viria a ficar por 60 anos.

A 16 de Janeiro de 2013, no âmbito da reorganização das freguesias, a freguesia de Oeiras e São Julião da Barra é extinta e é novamente agregada às antigas freguesias de Paço de Arcos e Caxias, numa freguesia litoral agora denominada Oeiras e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias.

Referências

  1. a b «História». Unidade Pastoral de Nova Oeiras e São Julião da Barra | UP. Consultado em 25 de julho de 2016 
  2. «Oeiras - Factos e Números». Câmara Municipal de Oeiras 
  3. «Oeiras - Factos e Números». Câmara Municipal de Oeiras 
Ícone de esboço Este artigo sobre bairros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.