São Mateus (Madalena)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja São Mateus (desambiguação).
 Portugal São Mateus  
—  Freguesia  —
Igreja de São Mateus, Pico
Igreja de São Mateus, Pico
Brasão de armas de São Mateus
Brasão de armas
Localização no concelho de Madalena
Localização no concelho de Madalena
São Mateus está localizado em: Açores
São Mateus
Localização de São Mateus nos Açores
Coordenadas 38° 25' 59" N 28° 27' 31" O
País  Portugal
Região Flag of the Azores.svg Açores
Concelho MAD.png Madalena
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Mário Silva (PPD/PSD)
Área
 - Total 17,74 km²
População (2011)
 - Total 772
    • Densidade 43,5 hab./km²
Gentílico: São-mateusense
Código postal 9950-521 São Mateus MAD
Orago São Mateus

São Mateus é uma freguesia portuguesa do concelho da Madalena, com 17,74 km² de área e 772 habitantes (2011), tem uma densidade populacional de 43,5 hab/km² e dista da sede de concelho: 15.00 km.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A freguesia de São Mateus é a mais antiga freguesia do concelho da Madalena do Pico, tendo a data de chegadas dos primeiros povoadores ocorrido em 1482. A sua posição geográfica, na costa Sul da ilha, leva-a a confinar a oeste com a freguesia da Candelária e a leste com a de São Caetano.

A sua igreja paroquial, dedicada à evocação de São Mateus, foi consagrada ao mesmo santo padroeiro, tendo a sua construção sido iniciada apenas em 1838. Acredita-se que no primitivo templo que houve nesta freguesia de São Mateus deva ter sido coevo da fundação da respectiva paróquia, embora se ignore a data da sua construção, existem documentos que a referem como existente já em 1542.

Esta Igreja de São Mateus apresenta-se como uma das mais ricas e majestosas da ilha do Pico.

Trata-se de uma das mais imponentes igrejas de toda a ilha do Pico. Apresenta uma nave central com grande envergadura e rodeada por colunas. O templo encontra-se dividido por três naves, com duas séries de seis arcos.

Este templo corria o dia 1 de julho de 1962 foi elevado à categoria de Santuário Diocesano por decreto do então 36.º Bispo de Angra, Dom Manuel Afonso de Carvalho.

Apresenta-se com 33 metros de comprimento, possui três naves sustentadas por pesadas pilastras. Apresenta a curiosidade de um quadro a óleo representando um apóstolo, sobre cada uma das pilastras. No tecto da capela-mor encontra-se pintada a fresco uma pormenorizada cena do Ecce Homo.

Dentre as várias capelas laterais, destaca-se a do Senhor Bom Jesus, embora possa datar de um pouco mais tarde. A imagem do "Ecce Homo" que aí se encontra apresenta valor artístico. Foi oferecida em 1862 por um filho da freguesia, Francisco Ferreira Goulart, quando do seu regresso da vila de Iguape, na então província de São Paulo, no Brasil, onde é cultuada uma imagem idêntica.

Esta freguesia é atravessada por vários cursos de água, a saber; a Ribeira das Grotas, a Ribeira da Calheta e a Ribeira dos Bodes, o seu território que aproximadamente 17,74 quilómetros quadrados apresenta um povoamento disperso, mas ordenados ao longo das principais vias do comunicação, que levou à criação de pequenos núcleos populacionais, destacando-se entre eles os sítios e lugares de Areeiro, Bagaço, Cabeços, Caminho de Baixo, Grotas, Ginjeira, Mata, Pontinha, Porto Novo e Relvas.

De terras muito férteis e com diferentes microclimas apresenta quatro principais zonas de cultivo e de actividades agrícolas: os Biscoitos, e o Bagaço, locais junto do mar, onde a população se dedica principalmente à produção de artigos relacionados com vitivinicultura e com a produção de fruta, surgindo assim apreciáveis areias de vinhas a de pomares.

As pastagens surgem em altitude, nas encostas da Montanha do Pico e procede-se à criação de Gado, principalmente bovino.

Dada a sua proximidade com o mar esta freguesia apresenta também uma apreciável actividade piscatória, o que traz algum movimento ao Porto de São Mateus. Além destas actividades surgem outras relacionadas actividades comerciais que contribuem também para o seu desenvolvimento económico.

Esta freguesia muito relacionada com actividade da caça à baleia, apresenta ainda resquícios da actividade como o caso das antigas vigias de baleia e a casa dos botes junto ao porto de São Mateus.[1]

Nesta freguesia, no dia 6 de Agosto de cada ano venera-se o Senhor Bom Jesus.

População[editar | editar código-fonte]

Evolução da População  1864 / 2011
População da freguesia de São Mateus [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 209 3 142 1 479 1 457 1 364 1 244 1 276 1 302 1 346 1 319 1 053 893 897 847 772
Grupos Etários 2011
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 128 109 406 204 15,1% 12,9% 47,9% 24,1%
2011 104 80 396 192 13,5% 10,4% 51,3% 24,9%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Francisco Ferreira Goulart, Benemérito de São Mateus, com importantes doações para a Igreja da localidade.

Património construído[editar | editar código-fonte]

Localidades[editar | editar código-fonte]

Cursos de água[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Enciclopedia.com.pt – São Mateus
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes