Sérgio Abreu (luthier)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sérgio Abreu
Informação geral
Nome completo Sérgio Rebello Abreu
Nascimento 5 de junho de 1948 (69 anos)
Instrumento(s) violão
Outras ocupações luthier

Sérgio Rebello Abreu (Rio de Janeiro, 5 de junho de 1948) é um violonista e luthier brasileiro.

Foi violonista durante sua juventude[1], tendo estudado com seu avô Antonio Rebello e seu pai Osmar Abreu. Seguindo seus estudos a partir de 1961 com a violonista Monina Távora[2].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1968, Sérgio iniciou sua carreira internacional na Inglaterra ao lado de seu irmão Eduardo Abreu[3][4] formando o grupo Duo Abreu.[5] A atuação do grupo se estendeu à Europa[6], Austrália e Estados Unidos[7] com turnês anuais. Eduardo abandonou o violão profissionalmente em 1975 e Sérgio prosseguiu uma carreira solo até 1981, ano de seu último concerto.[8]

Após esse período, desenvolveu seu interesse pela construção de violões e hoje é considerado um dos grandes luthiers brasileiros.[9][10] Seus instrumentos são construídos com base no modelo do fabricante alemão Hermann Hauser, do qual Sérgio Abreu possui um exemplar de 1930.[11]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • The Guitars of Sérgio and Eduardo Abreu (1971)
  • Photo of Sud Africa 1973 Tour [1]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Concurso Internacional de Violão (1967)[12]
  • Photo: Abreu Sud Africa tour 1973 [13]

Referências

  1. Lucas Nobile (11 de agosto de 2009). «Artesãos por trás do bojo perfeito». Estadão. Consultado em 26 de agosto de 2013 
  2. «Sergio Abreu reverencia a memória de sua professora Monina Távora». ABMES educa/Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior. 12 de outubro de 2011. Consultado em 26 de agosto de 2013 
  3. Luciano Cesar Morais (2007). «Sérgio Abreu, sua herança, poética e contribuição musical através de suas transcrições para violão» (PDF). Universidade de São Paulo- Escola de Comunicação e Artes. Consultado em 26 de agosto de 2013 
  4. «Sérgio Abreu And Eduardo Abreu ‎– The Guitars Of Sérgio And Eduardo Abreu». Disco GS. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  5. Rádio MEC (21 de janeiro de 2013). «Sérgio Abreu - Violonista interpreta composições de N. Paganini e Fernando Sor. Ouça na quarta-feira, às 22h». Violões em foco. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  6. Folha de S. Paulo (19 de junho de 1967). «Seis recitais de Sérgio Abreu para televisão francesa». Caderno Ilustrada, página 2. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  7. «LCCN Permalinks». United States Library of Congress. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  8. Luís Nassif (17 de novembro de 2002). «Os violões que se cansaram». Folha de S.Paulo, caderno Dinheiro, página B3. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  9. Edson Wander (14 deabril de 2005). «Brasil dedilhado-Caixa com livro, DVD e CD duplo, organizado pela pesquisadora Maria Luiza Kfouri, faz antologia do mais popular dos instrumentos musicais no país.». Carta Maior. Consultado em 16 de setembro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  10. Diário de Sorocaba (23 de janeiro de 2013). «Do Tonante ao Sérgio Abreu». Consultado em 16 de setembro de 2013 
  11. Guitar Salon International. «1993 Sergio Abreu SP/IN». Consultado em 16 de setembro de 2013 
  12. Folha de S. Paulo (5 de fevereiro de 1968). «Por falar em violão». Caderno Ilustrada, seção Música, página 3. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  13. http://classicalmusicianstoza.blogspot.ca/2014/06/sergio-and-eduardo-abrev-brazilian.html  Em falta ou vazio |título= (ajuda)