Sérgio Cutolo dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sérgio Cutolo dos Santos
Sérgio Cutolo em 2019.
13.º Ministro da Previdência Social do Brasil
Período 15 de dezembro de 1993
a 1º de janeiro de 1995
Presidente Itamar Franco
Antecessor(a) Antônio Britto
Sucessor(a) Reinhold Stephanes
Dados pessoais
Nascimento 18 de dezembro de 1952 (69 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Universidade de Brasília (UnB)
Prêmio(s) Ordem do Mérito Militar[1]
Profissão economista

Sérgio Cutolo dos Santos GOMM (São Paulo, 18 de dezembro de 1952) é um economista brasileiro. Foi ministro da Previdência Social durante o governo Itamar Franco.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

É filho de Antonio Bernardo dos Santos e Diva Cutolo.[2]

Em 1975, formou-se em ciências económicas pela Universidade de Brasília.[2]

Casou-se com Sandra Cristina Filgueiras de Almeida com quem teve três filhos.[2]

Em 13 de dezembro de 1993 foi indicado para o ministério da Previdência Social.[2] Participou da crítica à falta de transparência das relações entre empresas estatais e fundos de previdência.[2]

Em 1994, como ministro, Cutolo foi admitido pelo presidente Itamar Franco à Ordem do Mérito Militar no grau de Grande-Oficial especial.[1]

Em fevereiro de 1995 foi nomeado presidente da Caixa Econômica Federal.[2] Em junho de 1996 iniciou mudanças no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) oferecendo descontos a quem pagasse débitos antes do prazo. Criticou o Fundo de Compensação da Variação Salarial (FCVS).[2]

Após um período na secretaria de Desenvolvimento Urbano (criada em 31 de dezembro de 1998 mas extinta em julho de 1999), Sérgio Cutolo passou a trabalhar no setor privado. Trabalhou como consultor do Banco Pactual.[2]

Referências

Precedido por
Antônio Britto
Ministro da Previdência Social do Brasil
1993 — 1995
Sucedido por
Reinhold Stephanes
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.