Sérgio Reis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sérgio Reis
Sérgio Reis em 2005 na festa de lançamento da telenovela América
Informação geral
Nome completo Sérgio Bavini[1]
Nascimento 23 de junho de 1940 (77 anos)
Local de nascimento São Paulo (SP)
Brasil
Nacionalidade brasileira
Gênero(s) Sertanejo, MPB
Ocupação(ões) Cantor
Período em atividade 1960–atualidade
Outras ocupações Compositor, ator e político
Gravadora(s) RCA Victor, BMG Ariola
Página oficial sergioreis.com.br

Sérgio Reis, nome artístico de Sergio Bavini (São Paulo, 23 de junho de 1940) é um cantor, compositor sertanejo, ator e político brasileiro.[2]

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Paulistano nascido no tradicional bairro de Santana, fez parte da Jovem Guarda na década de 1960, criando em 1967 a música "Coração de papel". Gravou seu primeiro disco de música sertaneja com a música "Menino da gaita" em 1972. Seguiu-se o sucesso de "Menino da Porteira", "Adeus Mariana", "Disco Voador", "Panela Velha", "Filho Adotivo", "Pinga ni Mim" e várias outras canções. Seu disco O Melhor de Sérgio Reis, lançado em 1981, vendeu mais de 1 milhão de cópias. O cantor optou por adotar o sobrenome de sua mãe, pois não achava o sobrenome de seu pai adequado para o ramo artístico.

No ano de 2002, Sérgio Reis prestou uma homenagem a Roberto Carlos, com o CD intitulado Nossas Canções, onde "Serjão" interpretou músicas gravadas por Roberto Carlos, de autoria deste em parceria com Erasmo Carlos e de outros compositores.

No ano de 2003, Sérgio Reis gravou seu primeiro DVD, intitulado Sérgio Reis e filhos - violas e violeiros, e como o próprio título diz, teve seus filhos como músicos na apresentação.

Em 2010, para comemorar os mais de 40 anos de parceira, Sérgio Reis e Renato Teixeira lançaram o álbum (CD e DVD) ao vivo Amizade Sincera, que reuniu clássicos da música sertaneja.

Em 3 de março de 2012, o cantor caiu de uma altura de aproximadamente dois metros durante apresentação em show na cidade de Três Marias, em Minas Gerais e permaneceu internado para exames mais detalhados [3].

No dia 20 de novembro de 2014, o cantor recebeu o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Sertaneja pelo álbum Questão de Tempo.[4]

Em 2015 recebeu o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Sertaneja pelo CD/DVD Amizade Sincera II, em parceria com Renato Teixeira.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Para uma lista completa de álbuns lançados por Sérgio Reis, ver Discografia de Sérgio Reis.

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Carreira como ator[editar | editar código-fonte]

Como ator, trabalhou em algumas telenovelas, como Pantanal e A História de Ana Raio e Zé Trovão, na extinta TV Manchete, e Paraíso" e O Rei do Gado, na Rede Globo. Seu último trabalho como ator foi na telenovela Bicho do Mato, na Rede Record.

Na telenovela O Rei do Gado, o personagem de Sérgio fazia uma dupla sertaneja com o personagem de Almir Sater, e a dupla era denominada "Pirilampo & Saracura", gravando, inclusive, canções para a trilha sonora.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Sérgio Reis em 2015

Cinema[editar | editar código-fonte]

Política[editar | editar código-fonte]

Sérgio Reis no momento em que vota pela autorização do impeachment de Dilma Rousseff.

Em 2010, então filiado ao Partido da República (PR), lançou-se candidato a deputado federal por Minas Gerais, mas desistiu da disputa.[8]

Nas eleições de 2014, concorreu ao mesmo cargo, desta vez pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB) e pelo Estado de São Paulo,[9] elegendo-se com 45.330 votos.[10] Seu mandato de quatro anos teve início em 1 de fevereiro de 2015.

Ele tem conciliado sua carreira musical com a atuação parlamentar. Na Câmara dos Deputados ele tem dado prioridade aos projetos e discussões voltadas a área da Saúde e da Previdência Social, em especial, as demandas das pessoas da terceira idade ou aposentados.[11]

Em 17 de abril de 2016, Sérgio Reis votou pela a autorização do processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff, na ocasião da votação no plenário da Câmara dos Deputados. A seção que perdurou por mais de nove horas e contou com ampla cobertura em tempo real dos principais veículos de comunicação do Brasil.[12]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. eleicoes2010.info. «Sérgio Reis 2251 - Deputado Federal (MG)». Consultado em 23 de junho de 2011 
  2. Biografia em sergioreis.com.br
  3. Perda súbita de consciência causou queda de Sérgio Reis
  4. «Paco de Lucía vence Grammy Latino de melhor álbum do ano». G1.Globo.com (BRA). 21 de novembro de 2014. Consultado em 21 de novembro de 2014 
  5. «O Menino da Porteira». Adorocinema.com. Consultado em 6 de janeiro de 2017 
  6. «Mágoa de Boiadeiro». Adorocinema.com. Consultado em 6 de janeiro de 2017 
  7. «O Filho Adotivo». Adorocinema.com. Consultado em 6 de janeiro de 2017 
  8. «Sérgio Reis desiste de candidatura para eleições 2010». UOL. 2 de agosto de 2010 
  9. «Candidato à Câmara, Sérgio Reis avisa: "Não preciso do dinheiro da política nem fazer falcatrua"». R7. 29 de junho de 2014 
  10. «Sergio Reis estreia na política com ajuda de Russomanno». Yahoo! Notícias. 7 de outubro de 2014 
  11. «Eleito deputado, Sérgio Reis quer atuar na saúde e continuar carreira». Eleições 2014 em São Paulo. 6 de outubro de 2014 
  12. Brunet, Daniel. «Sérgio Reis, deputado e sertanejo, explica voto pelo impeachment | Ancelmo - O Globo». Ancelmo - O Globo. Consultado em 28 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]