Série 1000 da CP

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a antiga série de locotractoras a gasóleo. Se procura a antiga série de locomotivas a vapor, veja Série 1008 a 1013 da CP.
Série 1000
BSicon exTRAIN3.svg
Locotractora 1002 no Museu do Entroncamento, em 2019.
Descrição
Propulsão Diesel-hidráulica
Fabricante Drewry Car Co.
Ano de fabricação 6 (1001-1006)
Tipo de serviço Manobras
Características
Fabricante do motor L. Gardner and Sons
Tipo de motor 8L3
Tipo de transmissão Transmissão mecânica
Performance
Velocidade máxima 41,5 km/h
Operação
Ferrovias Originais Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses
Apelidos Drewry
Local de operação Portugal
Data de entrega 1948
Situação Fora de serviço

A Série 1000, igualmente denominada de Drewry, em referência à sua fabricante, refere-se a um tipo de locotractora utilizado pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.

História[editar | editar código-fonte]

Após o final da Segunda Guerra Mundial, na Década de 1940, a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses estava com dificuldades em manter em funcionamento a sua frota de locomotivas a vapor, devido à escassez de carvão.[1] De forma a resolver este problema, o governo iniciou o Plano de Reequipamento, um programa que utilizava fundos do Plano Marshall para adquirir material circulante que utilizasse combustíveis alternativos, principalmente gasóleo.[1] Entre as várias séries de material circulante encomendadas no âmbito deste programa, estavam as locotractoras da Série 1000.[1] O número de série que lhes foi atribuído, 1000, veio do facto de serem as primeiras unidades motoras a gasóleo da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, cujo método de classificação de material motor foi alterado nesse ano para acomodar a entrada ao serviço das novas unidades, devendo a numeração das locomotivas e locotractoras ser ascendente, por ordem de compra e tipo de disposição dos rodados.[2]

De origem britânica, o seu propósito primitivo era efectuar manobras em zonas em construção.[3]

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Dados gerais:
    • Número de unidades: 6 (1001-1006)
    • Ano de Entrada ao Serviço: 1948
  • Fabricantes
  • Dimensões
    • Altura (total): 3,740 m
    • Largura : 2,345 m
    • Comprimento: 7,815 m
    • Diâmetro das rodas (novas): 0,991 m
  • Performance
    • Velocidade Máxima: 41,5 km/h
    • Esforço inicial máximo de tracção: 7600 kg
    • Factor de adesão: 0,25
    • Esforço de tracção máximo à velocidade máxima: 1020 kg
    • Potência nominal ao carril: 150 Cv
    • Peso em ordem de marcha: 30,4 ton.
    • Peso máximo por eixo: 11 ton.
  • Motor
    • Construtor: L. Gardner and Sons
    • Tipo: 8L3
    • Disposição e número de cilindros: 8 em linha
    • Velocidade: 1200 r.p.m.
    • Potência nominal: 200 Cv
  • Transmissão
    • Tipo: Mecânica
    • Caixa de Velocidades: Wilson - Drewry Car Co. CA5
    • Relação final da Transmissão: 5,32:1

Referências

  1. a b c ERUSTE, Manuel Galán (1998). «Exposición ferroviaria: 50 Años de la Traccion Diesel en Portugal». Maquetren (em espanhol). Ano 6 (71). Madrid: Revistas Profesionales. p. 18-19. ISSN 1132-2063 
  2. «Numeracion Internacional Renfe Y CP». Maquetren (em espanhol). Ano 4 (67). Madrid: Ed. España Desconocida, s. l. 1998. p. 73. ISSN 1132-2063 
  3. TUR, Lluís Prieto i (Junho de 1991). «Las Locomotoras de Maniobras e Industriales». Carril (em espanhol) (33). Barcelona: Associació d'Amics del Ferrocarril-Barcelona. p. 22 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a Série 1000 da CP

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.