Série eluotrópica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Série eluotrópica é uma lista de diversas substâncias ordenadas segundo seu poder de eluição para um determinado adsorvente. Tais séries são úteis para determinar os solventes necessários para o processo de cromatografia de uma mistura de substâncias. Normalmente as séries começam com os solventes não-polares, como o hexano e finalizam com os solventes polares, como a água ou metanol. A ordem dos solventes em uma série eluotrópica depende da fase estacionária assim como da substância empregada para determinar a ordem.[1]

Força de eluição[editar | editar código-fonte]

A força de eluição, força eluente ou força eluotrópica, (εº), de um solvente é a medida da energia de adsorção do solvente tomando como referência o sistema puro pentano-sílica, a qual se atribui o valor zero. [2] Por exemplo, a série de Snyder quantifica a força de eluição de cada solvente em alumina. Esta força indica a facilidade do solvente para formar ligação de hidrogênio com as moléculas a serem separadas, o que depende de sua constante dielétrica ou momento dipolar de ligação.

Séries eluotrópicas[3][editar | editar código-fonte]

Série de Trappe[4] Série de Strain[5] Série de Snyder[6]
menos polar menos polar força de eluição (εº)
éter de petróleo

ciclohexano

tetracloreto de carbono

tricloroetano

tolueno

benzeno

diclorometano

clorofórmio

éter etílico

acetato de etilo

acetona

n-propanol

etanol

metanol

água

piridina
éter de petróleo

tetracloreto de carbono

ciclohexano

dissulfeto de carbono

éter etílico

acetona

benzeno

tolueno

ésteres orgânicos

1,2-dicloroetano

clorofórmio

diclorometano


etanol
água

piridina

ácidos orgânicos

mistura de ácidos orgânicos com bases, água, álcoois ou piridina
n-pentano (0.00)


n-hexano (0.01)
n-heptano (0.01)
ciclohexano (0.04)
dissulfeto de carbono (0.15)
tetracloreto de carbono (0.18)
éter isopropílico (0.28)
2-cloropropano (0.29)
tolueno (0.29)
1-cloropropano (0.30)
clorobenzeno (0.30)
benzeno (0.32)
bromoetano (0.37)
éter dietílico (0.38)
clorofórmio (0.40)
diclorometano (0.42)
tetrahidrofurano (0.45)
1,2-dicloroetano (0.49)
metiletilcetona (0.51)
acetona (0.56)
dioxano (0.56)
acetato de etilo (0.58)
acetato de metila (0.60)
1-pentanol (0.61)
dimetilsulfóxido (0.62)
anilina (0.62)
nitrometano (0.64)
acetonitrila (0.65)
piridina (0.71)
2-propanol (0.82)
etanol (0.88)
metanol (0.95)
etilenoglicol (1.11)
ácido acético ( >>1)

mais polar mais polar mais polar

Misturas de solventes[editar | editar código-fonte]

Às vezes, são utilizados como eluentes em cromatografia misturas de dois ou mais solventes com diferentes forças de eluição dentro do intervalo: hexano <tolueno <clorofórmio <diclorometano <acetona <acetato de etila <etanol <metanol e água <

Por exemplo uma mistura de hexano e acetato de etila (20:1) tem menor poder de eluição do que uma mistura de 10:1 dos mesmos solventes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Técnicas analíticas de separación. Miguel Valcárcel Cases. Editorial Reverté, 1994. ISBN 8429179844. Pág.400
  2. Análisis químico cuantitativo. Daniel C. Harris. Editorial Reverté, 2001. ISBN 842917222X. Pág.699
  3. Tomado de Tables for Chemistry
  4. W. Trappe Biochem. Z. 305, 150 (1940); 306, 316 (1940)
  5. H. H. Strain "Chromatographic Adsorption Analysis", Interscience Publ., Inc., New York (1942)
  6. Snyder en: High-Performance Liquid chromatography (C. Horvàth ed.), Vol. 3, Academic Press, New York