Sílvio Brito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sílvio Brito
Informação geral
Também conhecido(a) como "Cabeludo", "John Lennon brasileiro", "Louco", "Rei da Irreverência"
Nascimento 10 de fevereiro de 1952 (65 anos)
Origem Três Pontas, MG
País  Brasil
Gênero(s) Rock, Rock and Roll, Folk Rock, Sertanejo, MPB, Samba, Brega
Ocupação(ões) Cantor, compositor, apresentador, guitarrista, violonista, pianista, saxofonista, trombonista, ator, arranjador
Instrumento(s) Vocal, Violão, guitarra, viola, piano, trombone, saxofone
Período em atividade 1958-presente
Gravadora(s) Philips, Polygram, Chantecler, RGB, Independente
Afiliação(ões) Ronnie Von, Padre Zezinho, Raul Seixas, Antônio Marcos, Vanusa, Fabio Jr., Silvio Santos, Paulo Coelho, Milton Nascimento, Kelly, Moacyr Franco, Tonico e Tinoco, Sivuca, Luis Vagner
Influência(s) John Lennon, The Beattles, Raul Seixas, Ronnie Von, Vanusa, Antônio Marcos, Paulo Coelho, Chico Buarque, Caetano Veloso

Silvio Ferreira de Brito (Três Pontas, MG, 10 de fevereiro de 1952) é um cantor brasileiro de rock e folk rock, famoso por canções de protesto. Em 1974, no compacto Sílvio Brito, lançou os sucessos "Tá Todo Mundo Louco", "Nostalgia 65", "Quase Dois Mil anos Depois", além da faixa-título do álbum, que deu origem ao apelido. Conseguiu unir o rock and roll com músicas de protesto contra a Ditadura, a partir de 1975 passou a compor músicas no ritmo louco como "Espelho Mágico" e "Tô Vendendo Grilo", de 1975, e "Pare o Mundo Que Eu Quero Descer", no estilo folclórico. Ainda nos anos 80, gravou sucessos como "Do Jeito Que o diabo Gosta" e "Careca, Sem Dente e Pelado". Possui 26 Discos e quatro discos de ouro. Ao longo de sua carreira, teve três milhões e meio de discos vendidos

Carreira[editar | editar código-fonte]

Nascido em Três Pontas, aos seis meses de idade mudou-se para Varginha. Aos seis anos, ganhou uma viola, começando sua carreira nessa época ao cantar na rádio Clube de Varginha, em um programa chamado Petizada Alegre. Ainda na adolescência passou a compor músicas gravadas por cantores como Ronnie Von, Antônio Marcos e Vanusa.

1965-1973:Silvio Brito e os Apaches[editar | editar código-fonte]

Aos 12 anos, Sílvio aprendeu a tocar piano, trombone, saxofone e violão, e ingressou, durante 1965 e 1973, Silvio como vocalista da boyband Silvio Brito e os Apaches, banda inspirada no The Beattles, chegaram a lançar dois discos, um em 1969 e outro, em 1973, entretanto, não foi alcançado sucesso. Então, Sílvio Brito mudou-se para os EUA, e trabalhou como lavador de pratos em um restaurante. Mas, voltou para São Paulo, e foi contratado pela Chantecler.

1974-1979: O Auge[editar | editar código-fonte]

Em 1974, lançou o LP "O Cabeludo Chegou", esperava-se que a faixa-título fizesse sucesso, entretanto, "Tá Todo Mundo Louco" foi o single, lançado no Programa Silvio Santos. Tinha uma letra longa, na qual ele já se antecipava e dizia que poderiam achar a canção parecida com a de Raul Seixas (estava se referindo a canção Ouro de Tolo). . No mesmo ano, ganhou o troféu Buzina do Chacrinha de cantor revelação e no ano seguinte, já era conhecido em todo o Brasil.

Em 1975, lançou o disco "Vendendo Grilo", fazendo enorme sucesso com as faixas de protesto "Espelho Mágico" (em parceria com Luis Vagner "guitarreiro" e Tom Gomes), "Tô Vendendo Grilo", e com a romântica sertaneja "Casinha", presente na trilha sonora da telenovela da extinta TV Tupi, Ovelha Negra. No single "Espelho Mágico", Sílvio Brito indagava-se "Existe no mundo alguém mais louco do que eu?".

No ano seguinte, lançou o disco "Minha Alegria", Sílvio lançou as canções "Flor Poluída", "Tudo Bom" e "Minha Alegria", mas, a música "Pare o Mundo Que Eu Quero Descer" fez mais sucesso, sendo que a mesma foi citada na canção "Eu Também Vou Reclamar", de Raul Seixas. Em "Pare o Mundo Que Eu Quero Descer", Sílvio protestava contra o excesso de impostos, desagradando a ditadura, devido ao refrão: "Tem que pagar pra nascer, tem que pagar pra viver, tem que pagar pra morrer". No mesmo ano, a faixa "Recordações"(lançada no disco Vendendo Grilo), foi trilha da telenovela da extinta TV Tupi, Os Apóstolos de Judas.

Em 1977, lança um novo álbum, o Proversos, cuja capa tinha um desenho de Sílvio montado num cavalo, as faixas "Balada Para Um Louco", "Renascer", "Satisfação" e "Proversos", foram os maiores sucessos, sendo muito bem recebidos pelo público. A música "Proversos", possuia uma uma abertura com alto peso de guitarra, sendo um divisor entre o rock and roll, e o rock pesado. Já a música "Renascer", tinha um toque mais poético e lírico, com uma letra muito suave. Outras faixas, fizeram mais o estilo rural, como "Rapaz do Interior" e "Pé de Jenipapo".

Em 1978, lançou dois discos, o primeiro foi Eu Cantarei, com a regravação do sucesso "Casinha" e a faixa "Namoradinha do Mundo". O segundo chamava-se Espelho Mágico, com a regravação da faixa-título e da música "O Caroneiro", e o lançamento de "Se Você Voltasse Agora", ambos os discos fizeram sucesso misto.

Em 1979, lançou o disco Sílvio Brito, com muitas regravações como "Espelho Mágico" e "Tô Vendendo Grilo". No mesmo ano, lançou o aclamado disco Quanto Mais Louco, com sucessos como "Filho da Corrente", "Saudade de Minas Gerais", "Tubo Maluco" e "No Banco Detrás de Meu Carro", escrita com Paulo Coelho. Outras faixas protestam (assim como "Tubo Maluco"), como "Nostalgia Anos 50", que protestava contra a Ditadura cubana, e "Há Perigo no Ar" Outras faixas , focam no folclóre como "Vampiro 1979" e "Anjo e Capeta".

Outros sucessos no estilo "louco", que passou a ser sua marca registrada, foram Pare o Mundo que eu quero Descer e Espelho Mágico, cujo refrão perguntava se Havia alguém no mundo mais louco do que eu? Sucessos que inclusive embalavam o Programa Silvio Santos nas memoráveis tardes de domingo, com o programa "Qual é a Música?" da extinta TVS (TV Studios), atual SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), onde diversos cantores também estiveram à época como Ronnie Von, Dudu França, Marcelo, Gretchen e outros.

Anos 80[editar | editar código-fonte]

No ínicio dos anos 80, Sílvio e Fabio Jr., apresentavam o programa Hallelluyah, um programa religioso e musical.

Em 1980, lançou o disco Voltando às Origens, na qual continha os sucessos "Cidadão" e "Utopia"(do Padre Zezinho). Ao invés do rock, esse disco possuía músicas de moda de viola e sertanejo de raíz, como "O Camponês", "Viola do Vovô" e a faixa-título. O disco foi bem recebido, e até hoje faz sucesso com os fãs, a partir desse disco, Sílvio canta mais a música sertaneja.

Um ano após o fechamento da TV Tupi, Sílvio lança o disco Panorama Mundial, com sucessos como o nostálgico "Me Toque Uma Canção dos Beatles", a faixa de protesto "Do Jeito Que o diabo Gosta" e o infantil "Natal do Tio Patinhas". Além das faixas, "Tudo Azul", "Santa Catarina" e "Flores de Plástico", que fizeram menos sucesso. O disco possuia uma regravação de "Se Você Voltasse Agora", gravada em 1978. Esse disco foi um dos maiores sucessos de 1982

Em 1985, lança um disco com nome duplo, no lado a é chamado de Careca, Sem Dente e Pelado, já o lado b é chamado de Por Um Mundo Melhor, a faixa "Careca, Sem Dente e Pelado", foi o single principal, seguido por "Cante Uma Canção", "Por Um Mundo Melhor" e "Louvado Seja Meu Senhor". O Rock nacional é valorizado com uma mensagem de paz, presente nos singles.

Em 1987, lança o disco Esse Louco Apaixonado, gravado simultaneamente no Brasil e nos EUA, com a participação de Milton Nascimento na faixa "Ponta de Areia" e Kelly no single "Só Por Amor". As músicas mais conhecidas foram "Só Por Amor" e "Nos Becos da Vida". A música "A Saudade Me Mandou", foi escrita por Chico Anysio

Em 1988, lançou o LP Terra dos Meus Sonhos., com sucessos como "Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua", "Meu Amor", "Caso de Emergência", "Não Manipule Meu Medo", além da faixa-título. Sílvio apresentou algumas canções no programa Xou da Xuxa.

Música Religiosa[editar | editar código-fonte]

Silvio Brito também dedicou-se à música religiosa, produzindo e arranjando diversos discos do Padre Zezinho, de quem é amigo pessoal. Silvio também compôs e gravou várias músicas mensagens e com motivos religiosos que fizeram sucesso como Terra dos meus sonhos, Uma luz e a regravação de Utopia, de Padre Zezinho.

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Em 2007, foi o vice-campeão do programa Rei Majestade do SBT, apresentado por Silvio Santos, embolsando 60 mil reais e a participação em quatro faixas do CD do programa. Atualmente, se divide entre espetáculos e sua participação num programa de rádio apresentado por Paulo Lopes, tendo ainda um programa dedicado a família na Rede Vida de televisão, onde na companhia de sua esposa, filhas e do maestro Maurílio Marques Kobel, recebe grandes artistas brasileiros.

Discográfia[editar | editar código-fonte]

  • 1974 - O Cabeludo Chegou(compacto)
  • 1975 - Vendendo Grilo
  • 1976 - Minha Alegria(compacto)
  • 1976 - Pare O Mundo Que Eu Quero Descer(compacto)
  • 1977 - Proversos
  • 1978 - Eu Cantarei
  • 1978 - Espelho Mágico
  • 1979 - Sílvio Brito
  • 1979 - Quanto Mais Louco
  • 1980 - Voltando ás Origens
  • 1981 - Sílvio Brito
  • 1982 - Panorama Mundial
  • 1983 - Quando o Amanhã Chegar
  • 1985 - Por Um Mundo Melhor
  • 1987 - Esse Louco Apaixonado
  • 1988 - Terra dos Meus Sonhos Vol.1
  • 1991 - Para Meus Amigos
  • 1992 - Rockaipira
  • 1995 - Uma Luz
  • 1997 - Terra dos Meus Sonhos Vol.2
  • 1999 - Toda Forma de Amor
  • 2000 - Somos Todos Um
  • 2002 - O E.T de Varginha
  • 2003 - Cidadão
  • 2004 - Pela Paz
  • 2007 - Nos Bares da Vida
  • 2009 - Pretty Woman
  • 2010 - Chega!
  • 2015 - Rockaipira Vol.2

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • 1981 - Aplausos
  • 1984 - Espelho Mágico
  • 1988 - Tá Todo Mundo Louco e outros sucessos
  • 1996 - Tá Todo Mundo Louco - As Melhores
  • 2014 - Silvio Brito:As 20 +

Televisão[editar | editar código-fonte]

  • 1962 - TV Brasil
  • 1980 - Hallelluyah - Tv Tupi
  • 1996 - presente- Sílvio Brito em Família - Rede Vida
  • 2015 - Os Experientes - Rede Globo

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.