Síndrome de Amok

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: "Amok" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Amok (desambiguação).

Na psiquiatria, a síndrome de Amok é uma síndrome que consiste em uma súbita e espontânea explosão de raiva selvagem, que faz a pessoa afetada atacar e matar indiscriminadamente pessoas e animais que aparecem à sua frente, até que o sujeito se suicide.[1]

Segundo Martin (1999, p. 66) "este termo descreve um comportamento homicida e consequentemente suicida de indivíduos mentalmente instáveis que resulta em múltiplas lesões e mortes para os outros".[2]

A definição foi dada pelo psiquiatra estadunidense Joseph Westermeyer em 1972.[3]

O nome surgiu com o termo malaio meng-âmok, que significa “atacar e matar com ira cega”.[4][5]

Referências

  1. Volker Faust: Psychosoziale Gesundheit . Traducido del alemán.
  2. Mota, Patrícia Sofia Caldeira; Sampaio, Francisco Miguel Correia (dezembro de 2011). «Os transtornos típicos de cultura e a enfermagem transcultural: running amok». Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental (6): 28–35. ISSN 1647-2160. Consultado em 28 de março de 2021 
  3. «El asesino de Tokio dice que avisó de la matanza por una web». Madrid. El País (em espanhol). 9 de junho de 2008. ISSN 1134-6582. Consultado em 28 de março de 2021 
  4. De hecho, la Real Academia lo sigue definiendo del modo siguiente: "Entre los malayos, ataque de locura homicida" (ver http://buscon.rae.es/draeI/).
  5. Véase DSM-IV.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Wolfgang Sofsky: Tiempos de horror. Amok, violencia, guerra. Madrid: Editorial Siglo XXI

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]