Síndrome de Kawasaki

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Doença de Kawasaki
Uma criança com "língua de morango" característica da doença de Kawasaki
Classificação e recursos externos
CID-10 M30.3
CID-9 446.1
OMIM 300530
DiseasesDB 7121
MedlinePlus 000989
eMedicine ped/1236
MeSH D009080
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

A síndrome de Kawasaki, também conhecida como doença de Kawasaki, é uma rara vasculite de vasos medianos. Essa inflamação dos vasos sanguíneos pode ter origem pode ser infecciosa ou autoimune afetando tipicamente (80% dos casos) crianças com menos de 5 anos com predisposição genética. É mais comum em meninos e entre descendentes de japoneses. Não é contagiosa.[1]

A lesão inflamatória dos vasos sanguíneos pode provocar aneurismas, principalmente das artérias coronárias, e coágulos que podem causar tromboembolismo pulmonar, ataque cardíaco ou AVC.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Vídeo com Legenda

Os registros históricos apontam a primeira descrição realizada pelo pediatra japonês Tomisaku Kawasaki, em 1967. Ele descreveu cinquenta crianças com vermelhidão na boca e garganta, febre, manchas na pele, inchaço nos gânglios, mãos e pés, dando nome a este conjunto de síndrome muco-cutâneo-ganglionar. Depois, foram incluídos os problemas vasculares como os aneurismas de coronárias.[1]

Causas[editar | editar código-fonte]

A causa é desconhecida, sendo a teoria mais aceita que envolve a interação de fatores genéticos, infecção transmitida pelo ar e uma reação cruzada autoimune.[2][3]

Um estudo realizado pelos pesquisadores Jeffrey S. Kahn e colaboradores da Yale University, revelou que a doença de Kawasaki pode estar associada com infecção pelo coronavírus New Haven. Eles analisaram secreções respiratórias de 11 crianças diagnosticadas com a doença de Kawasaki. Oito (73%) dos pacientes de Kawasaki foram positivos para o novo coronavírus New Haven.

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

A doença começa com uma fase aguda que dura duas semanas[4]:

Na terceira semana a febre, inchaço, gânglios e erupções cutâneas desaparecem, mas o resto pode continuar e outros aparecem:[1]

  • Transtorno de coagulação (trombocitose);
  • Perda de apetite;
  • Descamação nas pontas dos dedos;

Nessa fase podem ocorrer diversas complicações a longo prazo, como arritmias, sopros cardíacos, pericardite, miocardite e problemas nas válvulas coronárias (valvulopatias) e aneurismas de artérias coronárias.[1]

Outros sintomas inespecíficos relatados incluem tosse, catarro, vômitos, dor de cabeça, dificuldade para respirar e convulsão.[5]

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Além da clínica diversos exames podem encontrar signos que necessitam tratamento, dentre eles:

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Durante quase 5 dias os médicos administram altas doses de imunoglobulina via endovenosa em altas doses e aspirina pela via oral. Cessando a febre, são prescritas doses baixas de aspirina, durante vários meses para evitar aparecimento de coágulos e proteger o coração contra risco de lesão coronariana.[4]

Os aneurismas do coração são tratados com anticoagulantes e aspirina. Já aneurismas de menor monta, utiliza-se somente aspirina.[4] Para evitar a síndrome de Reye, em casos de gripe e varicela, pode ser usado, no lugar da aspirina o dipiridamol.[4]

Casos famosos[editar | editar código-fonte]

Um caso famoso ocorreu com o filho de John Travolta, Jett Travolta, de 16 anos. Jett, portador desta síndrome morreu dia 2 de janeiro de 2009, ao ter um ataque no banheiro do hotel Old Bahama Bay e bater a cabeça. O garoto também sofria de asma. Outro caso famoso é do filho do Backstreet Boy Brian Littrell. Seu filho, o pequeno Baylee Littrell, sofre também desta doença. A artéria coronária de Baylee estava 3.3 na escala – quando o normal em uma criança é entre 0.5 até 0.8.[6][7]

Notas e referências

  1. a b c d e «DOENÇA DE KAWASAKI». Consultado em 3 de janeiro de 2009 
  2. Nakamura Y, Yashiro M, Uehara R, Oki I, Watanabe M, Yanagawa H (2008). "Monthly observation of the number of patients with Kawasaki disease and its incidence rates in Japan: chronological and geographical observation from nationwide surveys". J Epidemiol. 18 (6): 273–9. doi:10.2188/jea.JE2008030
  3. Rowley AH, Baker SC, Orenstein JM, Shulman ST (May 2008). "Searching for the cause of Kawasaki disease--cytoplasmic inclusion bodies provide new insight". Nature Reviews Microbiology. 6 (5): 394–401. doi:10.1038/nrmicro1853
  4. a b c d «Síndrome de Kawasaki». Consultado em 3 de janeiro de 2009 
  5. Yun SH, Yang NR, Park SA (July 2011). "Associated Symptoms of Kawasaki Disease". Korean Circulation Journal. 41 (7): 394–8. doi:10.4070/kcj.2011.41.7.394.
  6. «Perda: Morre filho mais velho de John Travolta». Consultado em 3 de janeiro de 2009 
  7. «Morre filho adolescente de John Travolta». Consultado em 3 de janeiro de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]