Sóliton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Novembro de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O solitão (soliton em inglês) é uma onda considerada solitária cuja estabilidade é invariável e que representa uma solução para algumas equações de propagação que aparecem em várias áreas da física. Normalmente na física de partículas, na física dos plasmas, em especial para a pesquisa de certos eventos ionosféricos, na mecânica dos fluidos, na óptica, entre outros campos da ondulatória.

O fenômeno soliton foi primeiramente descrito em 1834 por John Scott Russell (1808-1882), que observou uma onda solitária no Canal da União, na Escócia[1].

Referências

  1. N. Theodorakopoulos (Junho 2006). «Nonlinear physics (solitons, chaos, discrete breathers)» (PDF). Dept. of Theoretical Physics of the University of Konstanz. Consultado em Novembro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.